“A semente que cai em terra boa produz muito fruto”

A demora na realização das promessas de Deus possibilita aos discípulos e a nós, entrarmos em crise. Percebendo essa situação, Jesus conta para eles e para nós, a parábola das sementes.

A Palavra de Deus é, em si mesma, boa e, se bem apresentada, produzirá muitos frutos; mas isso não depende só da Palavra; depende também das diversas situações em que se encontra o terreno onde ela é depositada, isto é, das diversas respostas.

A Palavra é oferecida e exatamente por ser oferecida, conserva em si todo o risco da negligência, do descaso, da não aceitação, da oposição.

De acordo com a parábola, ela poderá ser comida pelos pássaros, poderá cair entre as pedras e não criar raízes e, finalmente, poderá cair entre os espinhos e morrer sufocada.

Vamos refletir sobre cada um desses alertas feitos por Jesus. O primeiro se refere à semente que pode ser ciscada pelos pássaros. É o nosso medo do sofrimento, em relação ao caminho da cruz, tantas vezes abordado por Jesus e a busca incessante de realizações, de êxito. É como aquela pessoa que vê na possibilidade de exercer um serviço eclesial, como uma ocasião de prestígio, de status.

A semente que caiu entre as pedras e não criou raízes, representa aqueles que só externamente aceitaram a Palavra. Ela não foi aceita com profundidade. Teme-se que a adesão a Cristo seja ocasião de constrangimento, de envergonhar-se.

A que caiu entre os espinhos é a semente sufocada, imagem de muitíssimos cristãos. As preocupações da vida presente, a atração exercida pelo ter, pelo poder, pelo possuir, pelo ganhar se impõem, são obstáculos para o acolhimento da Palavra.

A Palavra não é ineficaz, mas falta o acolhimento. A Palavra se adapta às condições do terreno, ou melhor, aceita as respostas que o terreno dá e que com freqüência  são negativas. É necessário preparar o terreno, os corações, para que percam o endurecimento causado pelos ídolos das  ideologias, do consumismo, do dinheiro, do prazer, das demais riquezas.

Se o terreno, se os corações forem trabalhados pela simplicidade, pela autenticidade, pela educação libertadora daqueles ídolos, a Palavra descerá qual chuva fina, penetrando a terra e fazendo a semente frutificar».

(Reflexão do Padre Cesar Augusto dos Santos)

Rogai por nós Bem Aventurado São Bento

São Bento nasceu na Umbria, Itália, no ano de 480. Era de família nobre romana. Desde pequeno manifestou um gosto especial pela oração. Realizou os primeiros estudos na região de Nurcia, próximo à cidade de Spoleto. Depois foi morar em Roma para estudar filosofia.

Vida de São Bento

Um eremita chamado Romano encontrou Bento e lhe deu um hábito de monge. Romano ensinou a São Bento tudo sobre a vida de eremita e levando-o para uma gruta escondida, (gruta santa), no monte de Subíaco. Lá, o jovem Bento aprofundava-se na vida de eremita e Romano o ajudava regularmente com alimentos.

São Bento ficou ali por 3 anos só em orações e estudos, sem receber visitas. Um dia, porém, um sacerdote da região, fazendo seu jantar, ouviu uma voz dizendo: estás fazendo seu jantar enquanto meu servo Bento morre de fome no deserto.  O sacerdote, com muito esforço, partiu para o deserto, encontrou a gruta em que Bento estava escondido e após uma oração, disse que era o dia da Páscoa do Senhor e serviu-lhe a comida.

Tempos depois o jovem bento foi descoberto por pastores e assim passou a receber muitas visitas para conselhos e orações. Logo sua fama começou a crescer e ele passou a ser visitado por mais e mais pessoas em busca de aconselhamentos e orações.

Tentativa de assassinato

Por causa de sua fama de santidade, São Bento foi chamado para ser o abade (superior) do convento de Vicovaro. Ele aceitou, desejando prestar um serviço. Porém, não combinou com a vida que os monges viviam, porque não era incondicional como ele achava que deveria ser o seguimento de Cristo.

Foi se formando entre os religiosos uma antipatia contra o santo, chegando ao cúmulo de tentarem matá-lo com veneno, mas, abençoando a taça de vinho envenenada, como fazia com todos os alimentos que comia, ela se quebrou. Assim, bento disse em seguida que Deus perdoe a vocês, meus irmãos. Depois disso, abandonou o convento e voltou para Subíaco.

A primeira ordem monástica da história

São Bento fundou em poucos anos doze mosteiros. Antes de Bento, os monges viviam como eremitas, isolados, sozinhos. São Bento organizou a vida monástica comunitária e os mosteiros começaram a florescer. Todos eles seguiam a famosa Regra de São Bento.  As famílias nobres de Roma começaram a mandar seus filhos para estudarem nos mosteiros fundados por São Bento. Santo Plácido e São Mauro estavam entre os educandos de São Bento.

A Regra de São Bento

A Regra de São Bento (Regula Monasteriorum) é um livro escrito por São Bento, com as regras para a vida monástica comunitária. É um livro com 73 capítulos curtos. A regra prioriza o silêncio, a oração, o trabalho, o recolhimento, a caridade fraterna e a obediência. Assim nascia a famosa Ordem dos Beneditinos, ou Ordem de São Bento, que permanece viva e atuante até hoje, seguindo a mesma regra escrita há mais de 1500 anos. A Regra de São Bento foi também adaptada para várias congregações de monges do ocidente.

Milagres de São Bento

No Monte Cassino, Itália, Bento começou a pregar o Evangelho para o povo. Com a pregação e os inúmeros milagres que fazia, inclusive vários exorcismos, o povo começou a se converter. Assim, o povo de Monte Cassino derrubou o templo de Apolo, que fora construído no cume do monte e com suas ruínas construíram dois conventos com as bênçãos de São João Batista e São Martinho. Esta foi a origem do grande mosteiro de Monte Cassino, criado em 529, com a bênção do Papa Felix lll.

Devoção a São Bento

São Bento morreu no ano de 547, aos 67 anos. Predisse sua morte no mesmo ano da morte de sua irmã Santa Escolástica, fundadora do ramo feminino da ordem de São Bento. Mandou abrir sua própria sepultura e depois de falar aos monges, de pé com as mãos para o céu, morreu. Parte de suas relíquias estão no Mosteiro de Monte Cassino e outras na abadia de Fleury, na França. São Bento foi canonizado no ano de 1220 e sua festa é comemorada no dia 11 de julho.

Imagem de São Bento

Sua imagem é representada com o livro das regras; um sino, que representa a voz de Deus; um copo quebrado e a serpente representando o veneno; um corvo com um pedaço de pão no bico representando o tempo em que ele passou no deserto e uma vara representando a disciplina.

Medalha de São Bento e sua mensagem

A medalha de São Bento foi esculpida primeiramente nas colunas do mosteiro de Monte Cassino. Na frente da medalha lê-se: Ejus in ibitu nostro praesentia muniamur. Sejamos protegidos pela sua presença na hora da nossa morte.

No verso encontra-se as seguintes inscrições:

CSPB      – Crux Sancti Patris Benedicti     – (cruz do Santo Pai Bento)

CSSML   – Crux Sacra Sit Mihi Lux             – (a Cruz Sagrada Seja a minha Luz)

NDSMD – Non Draco Sit Mihi Dux            – (não seja o Dragão o meu guia)

VRS        – Vade Retro Satana                    – (para traz satanás)

NSMV   – Nunquam Suade Mihi Vana    – (Nunca Seduzas minha alma)

SMQL    – Sunt Mola Quae Libas               – (são coisas más que brindas)

IVB         – Ipse Venana Bibas                     – (Bebas do mesmo veneno)

Oração a São Bento

A Cruz sagrada seja a minha Luz. Não seja o dragão o meu guia. Retira-te satanás. Nunca me aconselhe coisas vãs. É do mal o que tu me oferece. Beba tu mesmo do teu veneno. Rogai por nós Bem Aventurado São Bento, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Portal Terra de Santa Cruz

Conheça o Hino Oficial da JMJ Panamá 2019

As autoridades religiosas do Panamá apresentaram o hino oficial da Jornada Mundial da Juventude 2019.

O nome da música é “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo vossa palavra”, composta por Abdiel Jiménez, um catequista e salmista da Paróquia de Cristo Ressuscitado, em San Miguelito, Panamá.

O hino escolhido foi analisado pelo Dicastério Vaticano para os Leigos, a Família e a Vida juntamente com outras 50 propostas. A letra, em espanhol, convida os jovens a seguir o exemplo de Maria e é uma preparação para a JMJ, que acontece em janeiro de 2019.

Em breve a Igreja no Brasil disponibilizará o Hino na versão português. Estamos ansiosos para ver esta versão. O hino é maravilhoso e simples, fácil de aprender. Enquanto a versão brasileira não sai, vamos ouvindo, compartilhando e cantando a versão original em espanhol.

Portal Terra de Santa Cruz – A serviço da Evangelização

II Encontro Diocesano de Acólitos em Caxambu/MG – Servidores do altar em oração!

Aconteceu no dia 02 de julho de 2017, em Caxambu/MG, o Encontro Diocesano de Acólitos da Diocese da Campanha/MG (EDA)

O Encontro contou com a presença de 840 acólitos de toda a diocese, participaram 59 paróquias, das sete Foranias e a presença do nosso querido Bispo Sua Exa. Revma. Dom Pedro Cunha Cruz, que foi recebido com uma calorosa acolhida dos acólitos, com a participação de diversos padres.

O Evento deu-se início às 09h da manhã.  Assessor do Setor Juventude da Diocese da Campanha e organizador do encontro o Reverendo Pe.  Aylton Marcos de Jesus Santos, Vigário Paroquial de Caxambu, realizou juntamente com Acolita Mariana Bueno, da Paróquia São Sebastião de Varginha/MG e o EAC (Encontro de Jovens com Cristo) de Caxambu, uma animada e linda a acolhida de todos os presentes, por foranias citando cada paróquia presente.

A Paróquia de Santa Catarina de Alexandria – Natércia/MG, sede do encontro diocesano de acólitos do ano passado (2016), levou a Cruz que acompanha todos os encontros. Houve, ainda, uma linda lembrança de como surgiu à ideia de realizar o EDA e uma linda homenagem a Nossa Senhora Aparecida, encontrada no Rio Paraíba, representado pelas águas das doze fontes da cidade de Caxambu. Tendo em vista que vivemos o Ano Nacional Mariano por decorrência da celebração dos 300 anos de Aparecida!

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 1 pessoa, sapatos e campo de beisebol

Programação da manhã

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e área internaLogo após este momento de acolhida, e de abertura oficial do evento, os representantes da Paróquia São Sebastião, de Varginha, conduziu a oração do Ofício Divino, acompanhada por todos os presentes.

Dom Pedro, realizou com os acólitos um momento de formação. Falando da importância deste ministério, enfatizou que os acólitos, apesar de estarem em uma posição muito próxima do altar, devem ter sempre, muita discrição, zelo, humildade e amor ao serviço ao altar. Lembrou-os que não devem nunca deixar-se cair no automático, em um serviço corriqueiro. Devem sempre servir como se fosse à primeira vez. O mesmo fez comentários, muito úteis aos acólitos, ações que ele observou em suas visitas em nossa Diocese. Acreditamos que sua explanação abriu o olhar e sanou muitas dúvidas dos acólitos que lá estavam.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e área interna

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e campo de beisebol

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, criança e área interna

WhatsApp_Image_2017-07-03_at_20.18.40

Após este momento de formação, Sua Exa. Revma. Dom Pedro Cunha Cruz presidiu a Santa Missa concelebrada pelo Reverendíssimo Cônego José Douglas Baroni, pelos Reverendos Padres Everson de Souza Marcelino (Assessor Diocesano dos Acólitos e Pároco de Heliodora/MG), Aloísio Gustavo Dias, Nelson Barbosa Lima e Aylton Marcos de Jesus S. (Pároco e Vigários de Caxambu).

Neste dia importante para os acólitos a Igreja celebra a Solenidade de São Pedro e São Paulo, dois mártires e pilares de nossa Igreja. Para a celebração da santa missa todos os acólitos se paramentaram com suas túnicas, deixando o Sacrifício da Santa Eucaristia mais belo e solene.  Serviram no altar os acólitos da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, de Caxambu.

A imagem pode conter: 8 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e campo de beisebol

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, multidão e campo de beisebol

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, campo de beisebol e área interna

A imagem pode conter: 1 pessoa, no palco, campo de beisebol e área interna

A imagem pode conter: 1 pessoa

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, campo de beisebol e casamento

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé e pessoas no palco

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas no palco, pessoas em pé e área interna

A imagem pode conter: 5 pessoas, área interna

O povo caxambuense, muito acolhedor, preparou um almoço caprichado, gostoso e farto, todos os presentes puderam fazer sua refeição com tranquilidade, em um ambiente preparado com muito carinho para receber os acólitos.

Após o almoço, os acólitos contaram com a recepção fervorosa e animada da equipe de canto de Caxambu, a maioria deles foi para a quadra onde cantaram e dançaram ao som de músicas católicas, demonstrando a alegria de ser jovem, e jovem da Igreja Católica.

Programação da Tarde

O Reverendo Padre Edson Pereira Oliveira, Reitor do Seminário Propedêutico São Pio X, e Vigário Paroquial da Campanha/MG, realizou uma palestra respondendo 38 perguntas que foram tiradas dos grupos dos acólitos por foranias, esclarecendo dúvidas pertinentes ao ministério em questão. A ordem de importância das celebrações litúrgicas, as funções que o acólito exerce e o paramento do acólito, foram temas centrais da palestra e das perguntas respondidas pelo padre.

Pe. Edson nos diz que “Tudo aquilo que chama a atenção para nós mesmos, durante a celebração, esvazia o Mistério”, alertando que o acólito deve servir de forma simples, humilde e zelosa.

Adoração

Ao término do dia, o Reverendo Padre Everson de Souza Marcelino presidiu o momento adoração ao Santíssimo Sacramento, todos os acólitos devidamente paramentados, se ajoelharam diante do Cristo Eucarístico no Altar. Momento este para render graças, agradecimentos, fazer pedidos, desejos de serem bons servidores do altar do Senhor.

Em seguida, os 840 acólitos presentes seguiram em procissão até a Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios, em duas filas, ladeando o Santíssimo Sacramento, que foi transladado pelos Padres Everson, Edson e pelo Padre Noel Victor Gonzaga Reitor do Santuário de Nossa Senhora da Conceição da Beata Nhá Chica em Baependi/MG.

Foi um momento de muita devoção, de prova da entrega e do amor ao serviço do altar, que cada acólito traz no coração. Foi uma procissão silenciosa, organizada, com muito zelo e respeito ao Senhor que estava entre nós. A procissão foi longa, não se conseguia ver, ao mesmo tempo, seu início e seu fim. Uma verdadeira peregrinação eucarística pelas ruas de Caxambu.

Ao chegar à Matriz de destino, padre Everson realizou a Bênção Solene com o Santíssimo Sacramento, a Igreja tomada pelos acólitos, prostrados diante do Senhor em perfeita e mais sincera adoração.

Encerramento

Este grande dia de formação, oração e demonstração de amor ao Ministério dos Acólitos, foi finalizado com uma encenação, releitura do evangelho das Bodas de Cana. Padre Aylton narrou e mostrou aos acólitos que o serviço do acolitato começou na primeira manifestação pública do Senhor, demonstrado através dos garçons que o ajudaram carregando os jarros com água para o seu primeiro milagre.

Temos certeza, todos que estiveram presente e participaram deste dia, voltaram para suas casas com os corações mais piedosos, mais humildes e mais cheios de amor ao serviço que prestam ao altar do Senhor.

E agora, ficam todos na espera e expectativa do Encontro de Acólitos de 2018 que acontecerá na cidade de Três Pontas/MG.

Agradecimentos

Deixamos aqui nossos agradecimentos a todos os que de alguma forma ajudaram para que este encontro acontecesse de forma bela e organizada.

Ao povo acolhedor de Caxambu; às equipes de organização; aos párocos que abraçaram esta ideia; aos coordenadores paroquiais por animarem suas equipes; aos acólitos que participaram de forma zelosa;

Gratidão ao Padre Everson de Souza Marcelino nosso Assessor Diocesano dos Acólitos; ao padre Aloisio (Liu), que abriu as portas de sua Paróquia; aos padres que lá estiveram presentes, que nos ajudaram neste dia importante de formação;

Abraço fraterno em nosso querido Pastor Dom Pedro Cunha Cruz, por sua presença neste evento nos mostrando a importância e a humildade deste ministério.

Por fim rendemos graças a Deus pela vida do querido Padre Aylton, que tanto se dedicou e empenhou para que tudo ocorresse de forma tranquila e bela.

A todos o nosso muito Obrigado!

Escrito por Setor Juventude da Diocese da Campanha – Colaboração de Mariana Bueno, acolita da Paróquia do Mártir em Varginha. 

Fotos: Maria Aparecida Andrade Anésio – Três Corações/MG 

Fotos Adoração/Capa: Salomé Cassimiro  Varginha/MG

Edição: Portal Terra de Santa Cruz – A serviço da Evangelização 

Portal criado para evangelização e informação com conteúdos de entretenimento, liturgia, notícias, oração e leitura. Somos independentes. Nosso trabalho é evangelizar independente da nossa localização. Aqui divulgamos a Igreja de maneira geral. Estamos a serviço da evangelização. Nosso objetivo é levar a mensagem Jesus Cristo através de artigos, notícias, formação, música e liturgia. Estamos a SERVIÇO DA EVANGELIZAÇÃO.

%d blogueiros gostam disto: