Circo de Nero: de matadouro de cristãos a Sede da fé católica.

Era, então, o século I.

O Imperador de Roma queria se divertir. Não havia vídeo-game, nem Netflix, nem livros de colorir para adultos… Então, restavam a Nero César Augusto as surubas e o sadismo. Sem moral e sem limites, ele costumava se deleitar com a humilhação, tortura e morte de cristãos em seu circo macabro, localizado na colina vaticana.

Quando caía a noite, o Circo de Nero era muitas vezes iluminado por tochas humanas: cristãos amarrados em postes, sendo consumidos lentamente pelo fogo. De dia, as atrações eram as mais variadas. Alguns de nossos irmãos eram fantasiados como animais selvagens (com trajes de urso, tigre, leopardo etc.) e, jogados à arena, eram perseguidos e abatidos a flechadas, por “caçadores” habilidosos.

Os anos se passaram. Quem sabe, em algum lugar no mundo dos mortos (talvez um lugar bem quente), Nero tenha ficado abismado ao saber que, pouco mais de 200 anos após a sua morte, no lugar do seu amado circo de terror fora construído o templo principal da fé cristã.

No ano 324, o Imperador Constantino inaugurou a primeira Basílica de São Pedro, cujo altar principal ficava sobre o túmulo do mesmo Apóstolo. O desenho abaixo mostra o local dessa antiga Basílica que foi demolida anos mais tarde para a construção da atual Basílica. Como se deu a Construção, leia AQUI.

basilica_vaticano

Quis o Senhor que o trono de Pedro Apóstolo fosse construído sobre um terreno regado com o sangue precioso dos mártires – homens, mulheres e crianças que deram seu testemunho de amor e fé até o fim. Portanto, se um dia você tiver a graça de visitar o Vaticano (eu ainda não tive), não tenha pudor de, já na entrada da praça de São Pedro, se abaixar e beijar devotamente aquele solo santo!

A construção da Basílica de São Pedro apenas veio confirmar, visivelmente, algo que já era uma realidade havia muitos anos: a sede da fé cristã fora transferida de Jerusalém, o coração do judaísmo, para Roma, o centro do paganismo. E assim foi cumprida a profecia de Cristo sobre Israel:

“Por isso vos digo: ser-vos-á tirado o Reino de Deus, e será dado a um povo que produzirá os frutos dele.” (Mateus, 21,43)

Tal profecia é reafirmada por São Paulo, quando fala aos cristãos romanos. Ele chama os cristãos romanos de origem pagã de “oliveira selvagem”, que foi enxertada no lugar dos “ramos cortados” (judeus que rejeitaram Jesus como Messias):

“Se alguns dos ramos foram cortados, e se tu, oliveira selvagem, foste enxertada em seu lugar e agora recebes seiva da raiz da oliveira não te envaideças nem menosprezes os ramos.” (Romanos 11,17)

Salve, salve Roma, é eterna a tua história!

O OBELISCO VATICANO

No centro da Praça de São Pedro, os cristãos podem ver e tocar em uma testemunha dos horrores do Circo de Nero: o Obelisco Vaticano, de 25 metros de altura.

A história desse monumento é fantástica. Trazido do Egito, ele fora colocado a mando de Calígula bem no meio do Circus Maximus – mais tarde chamado de Circo de Nero (ilustração abaixo). Em seu topo foi fixada uma esfera de metal, que, dizem alguns, continha os restos mortais de Júlio César.

circo_nero

No século XVI, o Papa Sisto V decidiu exorcizar o Obelisco – afinal, tratava-se de um objeto de culto pagão – e transferi-lo para a frente da Basílica de São Pedro. Foi loucura total, uma verdadeira proeza da engenharia! Ao longo de um ano, reuniu-se a força de cerca de 900 homens e 150 cavalos para transportar e erguer o gigante de pedra, puxado por cordas de linho.

No topo, uma cruz contendo alguns fragmentos da cruz de Cristo foram colocados no lugar da esfera de metal. E assim, o monumento pagão tornou-se símbolo do reinado da cruz no Ocidente, da vitória da verdadeira fé sobre os falsos deuses e ideologias.

Hoje, em muitos lugares da Europa, o cristianismo perdeu o vigor, é como uma religião de museu. Em todo o Ocidente, os valores cristãos parecem retroceder, dando lugar a um mundo sem Deus. Nesse momento, os cristãos são chamados a viver e a pregar o Evangelho com radicalidade. Não temos o direito de sermos mornos! Peçamos ao Senhor a graça de honrarmos o sangue dos cristãos primitivos, que pavimentaram com amor e dor o caminho da fé, sobre o qual caminhamos, cheios de esperança.

Fontes: ROPS, Daniel. A Igreja dos Apóstolos e Mártires. Editora Quadrante, 1988.


capablog

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Portal criado para evangelização e informação com conteúdos de entretenimento, liturgia, notícias, oração e leitura. Somos independentes. Nosso trabalho é evangelizar independente da nossa localização. Aqui divulgamos a Igreja de maneira geral. Estamos a serviço da evangelização. Nosso objetivo é levar a mensagem Jesus Cristo através de artigos, notícias, formação, música e liturgia. Estamos a SERVIÇO DA EVANGELIZAÇÃO.

%d blogueiros gostam disto: