Arquivo da categoria: Santuário Nacional de Aparecida/SP

Papa dá de presente Rosa de Ouro ao Santuário de Aparecida

Estamos nos aproximando da grande festa dos 300 anos do encontra da imagem de Nossa Senhora Aparecida nas águas do Rio Paraíba do Sul. Ontem nono e último dia de preparação para este evento, viveu-se um momento muito especial com a presença do Delegado do Santo Padre para a comemoração, Cardeal Giovanni Battista Re, que entregou ao Santuário Nacional a Rosa de Ouro, presente do Papa Francisco. Dom Orlando Brandes, Arcebispo de Aparecida recebeu a honraria que representa a predileção do Pontífice por personalidades, Santuários e o reconhecimento de fatos históricos, importantes para a Igreja.

Sobre os momentos vividos no Santuário no dia de ontem nós conversamos com o Reitor do Santuário Nacional Padre João Batista de Almeida.

Chegada do Delegado Pontifício

O Delegado Pontifício, Cardeal Giovanni Battista Re chegou ao Santuário Nacional na manhã de segunda-feira (9) e foi recepcionado pelo Arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, pelo Arcebispo de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Scherer, pelo Reitor do Santuário, Padre João Batista de Almeida, pelo ecônomo, Padre Daniel Antônio, pelo Prefeito de Igreja, Padre Rodrigo Arnoso e diversos Missionários Redentoristas.

Assim que chegou, o representante do Papa fez questão de visitar o nicho de Nossa Senhora Aparecida, onde rezou uma Ave Maria junto aos devotos que estavam visitando a Imagem.

Programação

Nos três dias de comemoração dos 300 anos de Aparecida o Legado Pontifício preside a celebração eucarística das 9h, neste dia 11 de outubro e no dia 12, a Missa Solene, às 9h30.

19H00  VIGÍLIA MARIANA

20H30  FESTIVAL DA PADROEIRA COM PADRE CANTORES

LOCAL: TRIBUNA PAPA BENTO XVI

GRATUITO

PARTICIPAÇÃO: PE. FÁBIO DE MELO, PE. ANTÔNIO MARIA, PE. REGINALDO MANZOTTI, PE. JUAREZ, PE. OMAR, PE. ZEZINHO, PE. JOÃOZINHO, PE. MARCOS E PE. PERIQUITO.

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: DANIEL E ZIZA FERNANDES

Foi em clima de alegria e oração que o Santuário de Aparecida celebrou nesta segunda-feira (9), o último dia da Novena Solene em preparação as festividades do grande Jubileu dos 300 anos, que terá início nessa terça-feira, dia 10.

Os nove dias de celebração recordou os principais momentos dos três séculos de história da Padroeira do Brasil, homenageando as pessoas que fizeram parte da difusão da devoção à Mãe Aparecida.

“A novena esse ano foi bastante oracional e esse era o desejo nosso, que fosse um momento muito forte de oração do povo de Deus. Os pregadores vieram coroar esse momento oracional, colocando a devoção a Nossa Senhora como um grande louvor a Deus, mas também como um compromisso de fé e de vivência em sociedade, tanto a tarde com os bispos redentoristas, quanto à noite com os bispos convidados pelo Dom Orlando”, avaliou o Reitor do Santuário, Padre João Batista de Almeida.

O reitor frisou também, a importante participação dos devotos, que segundo ele, colocou o coração em oração. “O povo contribuiu e muito com a sua presença, com a sua animação e posso dizer com toda certeza também, com o seu momento de silêncio. O povo soube calar na hora em que precisava fazer silêncio para o coração rezar, e foi muito bonita a Novena esse ano.”

Durante os nove dias, foram mais de duzentos voluntários nas coreografias, 50 pessoas na produção dos carros andor, 17 bispos celebrantes, e diversos sacerdotes concelebrantes, além de toda a equipe de liturgia e colaboradores do Santuário Nacional que direta ou indiretamente estiveram envolvidos na organização de todas as celebrações, para que tudo saísse perfeito e o povo pudesse se preparar bem para as festividades nos dias 10, 11 e 12 de outubro.

Festa Jubilar

Nos próximos dias, o Santuário estará em festa com uma programação repleta de celebrações, procissões e shows em homenagem aos 300 anos de bênçãos e de graças do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida. Destaque para o dia 11, quando a Mãe Aparecida será presenteada com a revelação da Cúpula Central.

“No dia 11 nos queremos dar um grande presente a Nossa Senhora, que é a coroa do seu Santuário, a Cúpula, e vai ser para nós um momento bastante emocionante e um presente que vai ficar para a história”, afirmou padre Joao Batista.

No dia 12, o dia oficial da Padroeira do Brasil, os devotos recordaram o caminho que Nossa Senhora Aparecida fez até se tornar símbolo nacional da fé, com uma procissão saindo do Porto Itaguaçu até o Santuário.

Anúncios

Aparecida 300 anos: Conheça a Oração Jubilar e o hino do Jubileu 300 Anos de Bênçãos

Confira a Oração e Hino do Jubileu 300 anos de Bênçãos – Aparecida/SP

Oração Jubilar: 300 Anos de Bênçãos Senhora Aparecida, Mãe Padroeira, em vossa singela imagem, / há 300 anos aparecestes nas redes dos três benditos pescadores / no Rio Paraíba do Sul. / Como sinal vindo do céu, / em vossa cor, / vós nos dizeis que para o Pai não existem escravos, / apenas filhos muito amados. / Diante de vós, embaixadora de Deus, / rompem-se as correntes da escravidão! / Assim, daquelas redes, / passastes para o coração e a vida / de milhões de outros filhos e filhas vossos. / Para todos tendes sido bênção: / peixes em abundância, / famílias recuperadas, / saúde alcançada, / corações reconciliados, / vida cristã reassumida. / Nós vos agradecemos tanto carinho, tanto cuidado! / Hoje, em vosso Santuário e em vossa visita peregrina, / nós vos acolhemos como mãe, / e de vossas mãos recebemos o fruto de vossa missão entre nós: / o vosso Filho Jesus, nosso Salvador. / Recordai-nos o poder, a força das mãos postas em prece! / Ensinai-nos a viver vosso jubileu com gratidão e fidelidade! / Fazei de nós vossos filhos e filhas, / irmãos e irmãs de nosso Irmão Primogênito, Jesus Cristo, Amém!

Hino

Composição: Pe. Zezinho, scj 

300 anos de devoção a Maria. 

300 anos de oração com Maria. 

300 anos de adoração a Jesus. 

Nestas colinas de Aparecida. 

Solidários no Sacrário. 

Missionários queremos ser. 

Pequenina, restaurada. 

A sua Imagem nos ensinou. 

A ser um povo que não sabe esmorecer. 

E se acaso for ferido, oprimido e esmagado. 

Esquecido e machucado. 

Outra vez reencontrado. 

Nosso povo saberá renascer.

Breve Histórico: No ano de 1717, três pescadores, levados por necessidades históricas e econômicas, saíram a pescar, numa época escassa de peixes. Por ação misteriosa de Deus, chegando ao “Porto de Itaguassu”, a primeira coisa que caiu em suas redes foi o corpo de uma imagem quebrada, na altura do pescoço. Num segundo lance de rede, pescaram a cabeça da mesma imagem. Juntando as duas partes viu-se que se tratava da Senhora da Conceição.

Depois do encontro da Imagem, a pesca de peixes foi abundante e os pescadores intuíram a presença e ação de Deus naquele singular evento.

Por assim ter aparecido, o povo chamou-a de “Aparecida”, nome consagrado pela devoção popular, chegando a ser proclamada Rainha em 1904, e Padroeira do Brasil em 1930.

Portal Terra de Santa Cruz

Acesse nossa página no Facebook AQUI

“São Vocês que Tomam Posse da Minha Vida e do Meu Ministério”, diz Dom Orlando Brandes em Cerimônia de Posse na Arquidiocese de Aparecida-SP

Os 13 sinos do Campanário de Aparecida badalaram de maneira forte várias notas que indicavam um dia de celebração, de comunhão e de alegria. A manhã nublada do dia 21 de janeiro de 2017 agora está marcada na história de Aparecida. É um dia de forte emoção, de um novo passo, um dia que presenteia o Santuário Nacional de Aparecida e a Arquidiocese com um novo pastor. Hoje foi dia de Boas-Vindas, momento em que dom Orlando Brandes recebe o báculo das mãos do Cardeal dom Raymundo Damasceno Assis, antecessor querido pelo povo, que deixa a arquidiocese após 13 anos de muita dedicação, compromisso e boa-vontade.

Dom Orlando recebe a missão em um momento muito especial, pois é um Ano Mariano, um tempo em que se comemora os 300 anos do encontro da Imagem de Aparecida e uma ocasião histórica para o Santuário Nacional.

Durante a celebração de posse na missa das 9h, todo o povo de Deus acolheu o novo arcebispo espontaneamente, com palmas, com jeito caloroso e com muita alegria.

O altar central repleto de bispos e arcebispos de todo o Brasil, também contou com a presença do Núncio Apostólico no Brasil, dom Giovanni D’Aniello, que fez questão de exortar palavras de boas-vindas e acolhimento e agradecer o empenho e o cumprimento da missão de dom Damasceno nos últimos 13 anos.

Posse de Dom Orlando Brandes no Santuário Nacional_Fotos: Denílson Luís/Santuário Nacional
Posse de Dom Orlando Brandes_Fotos: Denílson Luís Santuário Nacional

Na animação da celebração, o missionário redentorista e ecônomo do Santuário Nacional, padre Daniel Antônio, representou todo o Povo da Arquidiocese em agradecimento ao Cardeal Damasceno por toda a sua vida dedicada à Igreja no Brasil. “Com certeza o seu nome já está escrito entre aqueles que muito colaboraram para a história da devoção à Rainha e Padroeira do Brasil”, disse.

Ao novo arcebispo, deu as mais festivas boas-vindas. “Como cristãos batizados e devotos de Nossa Senhora, dizemos com o senhor que somos operários de Deus e por isso, juntos, queremos ajudá-lo na obra evangelizadora da Igreja”.

Representantes das Paróquias e dos três Santuários da Arquidiocese de Aparecida fizeram procissão, seguidos pela Imagem de Nossa Senhora Aparecida e a de Santo Antônio de Sant’Ana Galvão. Enquanto cantavam o “Hino dos 300 Anos”.

O Colégio de Consultores da Arquidiocese de Aparecida também posicionou-se para acolher o novo arcebispo, quando, na sequência, dom Orlando também passou por todas as Naves do Santuário aspergindo a Assembleia.

Durante a homilia fez saudação aos presentes, as irmãs Mensageiras do Amor Divino, as religiosas missionárias Claretianas, todo o povo da arquidiocese e o clero diocesano, os missionários redentoristas, peregrinos e romeiros e autoridades políticas e públicas.

Dom Orlando pediu orações e de maneira forte disse: “São vocês que tomam posse da minha vida e do meu ministério em Aparecida”.

Lembrou a consagração do padre Vitor Coelho: “Embora indigno de pertencer ao número de vossos filhos e filhas, mas cheio do desejo de participar dos benefícios de vossa misericórdia, prostrado a vossos pés, consagro-vos o meu entendimento, para que sempre pense no amor que mereceis; consagro-vos a minha língua para que sempre vos louve e propague a vossa devoção; consagro-vos o meu coração, para que, depois de Deus, vos ame sobre todas as coisas…”

Mencionou que Deus conhece todas as coisas antes de acontecerem e que não está em Aparecida por acaso, nem por interesse, nem por conveniência e que substituir dom Damasceno é um privilégio imerecido.

A equipe de reportagem do Portal A12, ele disse, antes da celebração, que gosta muito da bíblia, da Igreja que é missionária e que nunca esquece os mais pobres e que o Povo da arquidiocese pode esperar um bispo em busca de um espírito de comunhão, espírito de família. “Podem me procurar para o diálogo, para o entendimento, quero logo, imediatamente conhecer as paróquias, as lideranças. Quero dar um apoio muito grande aos padres, aos fiéis e também ao Santuário, com bastante unidade com os missionários redentoristas. Tenham toda a liberdade de colocar os seus pensamentos, suas sugestões, pois eu quero aprender”.

Fez uma alusão desse novo momento com o encontro da Imagem, dizendo que os pescadores eram três e que tudo começou com um pequeno grupo e depois a Imagem foi para as casas. “Eu acredito muito nesse pequeno grupo que depois virou multidão. Hoje somos 12 milhões de peregrinos que anualmente passam por aqui, vamos acreditar na ‘Igreja família’, na Igreja em casa, vamos lançar as redes nas aguas mais profundas”.

Dom Orlando também falou que da mesma maneira como a Imagem é de barro, nós também somos, e por isso somos frágeis. “Assim como a Imagem quando foi quebrada, foi o pecado que quebrou o nosso relacionamento com Deus, entre nós, conosco mesmos e com a natureza. Pelo o fato de ter sido encontrada no Rio Paraíba do Sul, temos a obrigação e a responsabilidade com a natureza, com àgua, com a ecologia, com todo esse projeto de salvar a nossa casa comum. Santuário rima com santidade, me ajudem a ser mais santo, vamos todos sermos mais santos e o Brasil será bem melhor”, finaliza.

Ao final da celebração representantes do clero, do município, dos leigos e dos religiosos falaram palavras de apreço e acolhimento ao novo pastor de Aparecida.

Antes da leitura da Ata de posse, o reitor do Santuário, Padre João Batista entregou de maneira simbólica a chave da casa dos Redentoristas, também a Imagem Fac-Símile de Aparecida e o Manto produzido pelas Irmãs Carmelitas e falou em nome de toda a família da Campanha dos Devotos

 

Fotos: Denílson Luís – Santuário Nacional de Aparecida 

Fonte: A12.com

Adaptação: Portal Terra de Santa Cruz – A serviço da Evangelização 

 

Brasil terá Ano Jubilar mariano a partir de outubro

Aumenta a expectativa pela possibilidade de o Papa Francisco retornar ao Brasil para participar das celebrações dos 300 anos do achado da imagem de Nossa Senhora Aparecida, no Santuário Nacional, em 2017.

rv18788_articolo

Jardins do Vaticano terão imagem de Nossa Senhora

Enquanto isso, sábado, 3 de setembro, será inaugurada nos Jardins do Vaticano uma imagem da santa padroeira do Brasil. Uma grande delegação virá a Roma da Arquidiocese de Aparecida, liderada pelo Cardeal-arcebispo, Dom Raymundo Damasceno Assis.

Em exclusiva à RV, Dom Raymundo reafirma que a devoção a Nossa Senhora faz parte da história do Brasil. “Maria sempre foi uma porta aberta ao conhecimento de Jesus; é o modelo de seguimento de Cristo, dos valores humanos que marcam a identidade religiosa do povo”:

Em Aparecida, o novo Campanário do Santuário Nacional, obra que foi projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, será inaugurado no próximo dia 12 de outubro, abrindo o Ano Jubilar mariano em comemoração aos 300 anos da aparição.

Ano Jubilar mariano no Brasil

“A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – revela o cardeal – vai decretar um ano Jubilar mariano a partir de outubro. Será um ano de graça, de modo especial para o Brasil: um momento de louvor e agradecimento especial a Deus por tudo aquilo que Ele tem feito por nós, por intercessão de Nossa Senhora Aparecida, nossa padroeira e nossa Rainha”.

Ouça a entrevista, clicando aqui:

Por Rádio Vaticano 

Adaptação: Portal Terra de Santa Cruz