Arquivo da categoria: Renovação Carismática Católica (RCC)

Carismas que brotaram com a renovação trazida pelo Concílio Vaticano II

Com o Concílio Vaticano II um novo sopro do Espírito Santo entrou na Igreja, o que também suscitou o surgimento de novos carismas. O Papa Paulo VI escrevia ao Congresso de Teologia pós-Conciliar (21/09/1966), logo após a conclusão do Concílio:

“A tarefa do Concílio Ecumênico não está completamente terminada com a promulgação de seus documentos. Esses, como o ensina a história dos Concílios, representam antes um ponto de partida que um alvo atingido. É preciso ainda que toda a vida da Igreja seja impregnada e renovada pelo vigor e pelo espírito do Concílio, é preciso, que as sementes de vida lançadas pelo Concílio no campo que é a Igreja cheguem à plena maturidade”.

Uma das importantes imagens, comparações utilizadas pela Lumen Gentium a respeito da Igreja é a Igreja entendida como Povo de Deus. Este entendimento por parte dos Padres Conciliares abriu caminho para um maior protagonismo dos leigos na Igreja, e aliado a isto, o surgimento de novos carismas.

E justamente “Os carismas que brotaram com a renovação trazida pelo Concílio Vaticano II”, é o tema da reflexão do Padre Gerson Schimdt para esta quarta-feira:

“O pregador da Casa Pontifícia, Raniero Cantalamessa falou exaustivamente dos diversos dons carismáticos na Igreja, que brotaram após o Concílio Vaticano II. Falou nas pregações do Advento do Jubileu de Ouro que a RCC celebrou nesse ano de 2017. Nesse embalo de recordar os frutos do Concílio, quero lembrar aqui um outro carisma importante fruto da Renovação Conciliar, que brotou também junto como Concilio Vaticano II: o caminho Neocatecumenal. O Cardeal Gerhard Müller, no Teatro Olímpico de Roma, em 25 de novembro do ano passado, fez uma lição Magistral sobre o carisma do Caminho Neocatecumenal.

Nessa declaração, Cardeal Müller lembrou que o primeiro capítulo da Lumen Gentium, que fala dos dons hierárquicos e carismáticos, está centrado sobre o mistério da Igreja como tal. Lembrou São Cipriano de Cartago que define a Igreja como “um povo reunido pela unidade do Pai, do Filho e do Espírito Santo” (De orat. Dom., 23).Lembro de suas palavras textuais:

“A iniciativa salvífica de reunir o povo da Aliança, parte do Pai e torna realidade histórica na encarnação da Palavra em Jesus Cristo, Filho do Pai. E é por isso que a Igreja de Cristo é sinal e instrumento da íntima união dos homens com Deus e da unidade de todo o gênero humano no amor divino (LG 1). Completada a obra salvífica de Deus na história, Ele enviou o Paráclito, o Espírito do Pai e do Filho, a fim de que pudesse continuamente santificar a Igreja e fazer que nós, por intermédio do Filho, tivéssemos acesso ao Pai.

A obra inteira santificante da Igreja, que se realiza no anúncio da Palavra, na celebração dos sacramentos e na guia dos fiéis por obra dos pastores instituídos por Deus, não só na sua missão dirigida ao exterior, toma força divina do Espírito Santo.

A tríplice ação da Igreja, isto é, martyria, leiturgia e diakonia, não é, portanto, mera atividade humana, em grau somente de indicar um Deus distante, mas antes expressão da cooperação entre Deus os homens, a fim de que Deus possa agir por nosso intermédio, e também nós, nas nossas atividades humanas –, isto é, na oração, no pensamento e na ação – possamos agir pelo Reino de Deus, assumindo a plena responsabilidade na nossa qualidade de colaboradores da Sua graça e verdade.

Por isso, a Igreja não é somente – para dizer com termos protestantes – criatura da Palavra de Deus, objetivo passivo do Seu agir na justificação dos pecadores ou no declará-los justos, porque isso permitiria que a distância infinita entre o Deus santo e o pecador exista para sempre.

A Igreja é antes – para dizer com termos católicos – purificada e santificada em Cristo. Sendo o Seu Corpo, a Igreja vive em eterna união com Cristo, sua Cabeça. Não obstante Cabeça e Corpo sejam duas coisas diversas, esses formam uma unidade orgânica de vida. “Ao contrário – afirma São Paulo –, vivendo segundo a verdade na caridade, buscamos crescer em cada coisa em direção a Ele, que é a Cabeça, Cristo do qual todo o Corpo, bem ajustado e unido, mediante a colaboração de toda junta e ligadura, segundo a energia própria de cada membro, recebe força para crescer de modo a edificar a si mesmo na caridade” (Ef 4, 15s).

O Cardeal Müller disse ainda que a “ Igreja não é somente objeto, mas também instrumento da obra salvífica de Deus”, “sacramento de salvação do mundo em Cristo, é verdadeira mediadora da salvação dos homens”.

E, falou do Espírito Santo na Igreja, como também foi o tema de Cantamessa no Advento, como já recordamos.  Apontou o Cardeal Lumen Gentium, número 4: “O Espírito habita na Igreja e nos corações dos fiéis como em um templo (cfr. 1 Cor 3, 16; 6,19) e nela reza e dá testemunho da sua condição de filhos de Deus por adoção (cfr. Gl 4,6; Rm 8, 15-16.26). Ele – o Espírito Santo – introduz a Igreja na plenitude da verdade (cfr. Jo 16,13), a unifica na comunhão e no ministério, a provê e dirige com diversos dons hierárquicos e carismáticos, a embeleza com seus frutos (cfr. Ef 4, 11- 12; 1 Cor 12, 4; Gl 5, 22). Com a força do Evangelho a faz rejuvenescer, continuamente a renova e a conduz à perfeita união com seu Esposo. Porque o Espírito Santo e a esposa dizem ao Senhor Jesus: Vem (cfr. Ap 22, 17)” (LG 4).

São palavras literais do Cardeal Gerhard Müller, em 25 de novembro do ano passado, quando fez uma declaração a favor dos carismas na Igreja, particularmente aqui do Caminho Neocatecumenal, cujo cinquentenário também está sendo celebrado, fruto do Concílio Vaticano II. Na próxima oportunidade, continuaremos essa abordagem dos novos carismas e dessa declaração do Cardeal Müller”.

Por Rádio Vaticano 

Portal Terra de Santa Cruz 

9ª EDIÇÃO DO TROFÉU LOUVEMOS O SENHOR!

“Quero cantar ao Senhor, sempre, enquanto eu viver
Hei de provar seu amor, seu valor e seu poder.” (Sl 145)
A 9ª edição do Troféu Louvemos o Senhor, no dia 22/06/2017, foi repleta de surpresas e emoções, lugar de celebração e de fazer memória, de encontro entre gerações de cantores católicos. Foi uma alegria imensa perceber a vitalidade da música católica, ver como são discípulos-missionários percorrendo esse Brasil, e outros países, para anunciar a Boa Nova, Cristo Jesus, por meio de suas músicas, seu testemunho.
Neste ano de 2017 celebramos um marco na história da Igreja, há 50 anos surgia o Movimento da Renovação Carismática Católica. Movimento que possui como uma das características principais, sua maneira de cantar  e louvar o Senhor. E ao longo desses cinquenta anos, essa música levou muitas pessoas a uma experiência pessoal com Jesus, Nosso Senhor e Deus.  Músicas que alegraram encontros de jovens, ajudaram a orar no Espírito, propiciaram momentos de cura interior.
Foi celebrado também, o Ano Mariano, festejando os 100 anos da aparição de Nossa Senhora de Fátima aos três pastorinhos, e os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida aos três pescadores. Maria, Mãe da Igreja, aquela que soube cantar as maravilhas que o Senhor realizou em sua vida.
Nomes consagrados, como Padre Cleidimar Moreira, Diácono Nelsinho Correa, Flavinho, Celina Borges, Dunga, Eliana Ribeiro, Suely Façanha, Ministério Adoração e Vida dividiram o palco com jovens cantores como Tony Allysson, Thiago Brado, Raquel Carpejane, Davidson Silva, Ceremonya, Missionários Shalom e muitos outros novos talentos da música católica.
A música católica é renovada a cada dia pelo Divino Espírito Santo, novos nomes vão surgindo para cantar louvores a Deus, como nos recorda o salmista. Por tudo isso a importância de uma festa como essa, que foi a 9ª Edição do Troféu Louvemos o Senhor. Louvemos o Senhor, com as nossas vozes, louvemos o Senhor com o nosso coração, louvemos o Senhor com os nossos instrumentos, louvemos com as nossas vidas! Louvemos o Senhor!
Confira os premiados das 28 categorias da 9ª Edição do Troféu Louvemos o Senhor:
 Categorias Artísticas:
INTÉRPRETE MASCULINO DO ANO: TONY ALLYSSON – ÁLBUM: SUSTENTA O FOGO.
INTÉRPRETE FEMININO DO ANO: SUELY FAÇANHA – ÁLBUM: JESUS.
BANDA DO ANO: MINISTÉRIO ADORAÇÃO E VIDA – ÁLBUM: SHEKINAH.
ÁLBUM ROCK DO ANO: ÁLBUM: A VIDA NUM SEGUNDO – ARTISTA: CEREMONYA.
ÁLBUM POP DO ANO: ÁLBUM: JESUS – ARTISTA: SUELY FAÇANHA.
ÁLBUM ALTERNATIVO DO ANO: O PREGADOR E O SANFONEIRO – FÁBIO CARNEIRINHO INTERPRETA PE. ZÉZINHO, SCJ.
ARTISTA REVELAÇÃO DO ANO: MAIKEL MARQUES – ÁLBUM: ALÉM DOS SENTIDOS.
ÁLBUM INDEPENDENTE DO ANO: RETRATOS EM CANTO – ARTISTA: RAQUEL CARPEJANI.
ÁLBUM LITÚRGICO DO ANO: LITÚRGICOS – PRIMEIROS FRUTOS – ARTISTA: IVAN DOMINGOS.
CANÇÃO LITÚRGICA DO ANO: MÚSICA: BÍBLIA SAGRADA – COMPOSITOR: FRANCISCO ADOALDO DE SOUZA E SÁ – MINISTÉRIO MISSÃO E CANÇÃO.
DVD DO ANO: GRP – ANJOS DE RESGATE – DIRETORES: ERALDO MATOS E NETINHO CRUZ.
MÚSICA DO ANO: RECEBE NOSSA ADORAÇÃO – COMPOSITORES: AMADEU BRANDÃO E RAQUEL CARPEJANI.
CANTOR SOLO DO ANO: DAVIDSON SILVA – DVD: DAVIDSON SILVA.
CANTORA SOLO DO ANO: RAQUEL CARPEJANI – ÁLBUM: RETRATOS EM CANTO.
ARTISTA DO ANO: DAVIDSON SILVA.
MÉRITO ESPECIAL – PRÊMIO POR UMA VIDA INTEIRA DE REALIZAÇÕES: RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA.
Categorias Técnica e Instrumental 
PRODUTOR DO ANO: FÁBIO CARNEIRINHO – ÁLBUM: O PREGADOR E O SANFONEIRO – FÁBIO CARNEIRINHO INTERPRETA PE. ZEZINHO, SCJ.
ARRANJADOR DO ANO: ALEXANDRE PIVATO – BOYNA – ÁLBUM: O AMOR VENCEU – FÁBIO CARNEIRINHO – ÁLBUM: O PREGADOR E O SANFONEIRO – FÁBIO CARNEIRINHO INTERPRETA PE. ZEZINHO, SCJ.
PROJETO GRÁFICO DO ANO: DESIGNERS: DUH MENDES E MAURO JOSÉ SOARES – ÁLBUM: ACHADOS E PERDIDOS.
BAIXISTA DO ANO :JORGE BONINI – MISSIONÁRIO SHALOM.
GUITARRISTA DO ANO: EDUARDO CARDOSO – MISSIONÁRIO SHALOM.
BATERISTA DO ANO: ALLISSON – MISSIONÁRIO SHALOM.
TECLADISTA DO ANO:ALYSSON SILVA – MISSIONÁRIO SHALOM.
CANTORA DE BANDA DO ANO: DEBORA PIRES – MISSIONÁRIO SHALOM.
CANTOR DE BANDA DO ANO: WALMIR ALENCAR – MINISTÉRIO ADORAÇÃO E VIDA.
CLIPE DO ANO: BRADO DE VITÓRIA – ARTISTA: JAKE TREVISAN – DIRETOR: PLÍNIO SCANBORA.
EP DO ANO: SACRO STIGMA – ARTISTA: SACRO STIGMA.
GRAVAÇÃO DO ANO: ÁLBUM: RETRATOS EM CANTO – ARTISTA: RAQUEL CARPEJANI.
Texto: Thiago Augusto da Silva – Campinas, SP. (Colaborador do Portal Terra de Santa Cruz)

Renovação Carismática Católica celebra Jubileu de Ouro em Roma

O ápice das celebrações será a Vigília de Pentecostes e a oração ecumênica com o papa.

A Renovação Carismática Católica celebra o Jubileu de Ouro em Roma, de 31 de maio a 4 de junho, com um programa rico de encontros, simpósios, celebrações e adoração nas principais basílicas romanas. O ápice das celebrações será a Vigília de Pentecostes e a oração ecumênica com o papa Francisco no ‘Circo Massimo’, no sábado, dia 03. Para a ocasião, são esperadas 30 mil pessoas provenientes de 130 países, 600 sacerdotes, 50 bispos e cardeais.

A Renovação Carismática, nasceu em Pittsburgh, nos Estados Unidos, graças a um grupo de estudantes que sentiu a necessidade de reunir-se e rezar, invocando o Espírito Santo sobre a Igreja e sobre o mundo. Desde então o movimento não parou de crescer, ganhando novos adeptos em todas as partes do mundo.

A presidente do Serviço Internacional da Renovação Carismática, Michelle Morgan, conversou com a Rádio Vaticano sobre a expectativa para este Jubileu: “Para este encontro esperamos uma nova efusão do Espírito Santo sobre a Igreja e sobre o mundo, e esperamos também por alguma surpresa. Nós estamos prontos e a serviço da Igreja para ajudar também a obra de reforma e renovação iniciada pelo Papa e para difundir a cultura da Pentecostes, porque é o Espírito que faz grande todas as coisas”.

O Jubileu será concluído no domingo com a Missa de Pentecostes e o Regina Coeli no Vaticano. O encontro no ‘Circo Massimo’, no sábado, é um dos momentos mais aguardados pela sua dimensão e valor ecumênico. Entre os convidados, estarão o pastor Giovanni Traettino, amigo de Bergoglio, líderes protestantes e alguns ortodoxos.

“De qualquer maneira será a grande ocasião para mostrar como o ecumenismo espiritual é o maior e atual motivo de reconciliação entre as diversas tradições cristãs. O Papa Francisco quis organizar uma Vigília ecumênica. Portanto, não um modo para celebrar a Renovação nos seus 50 anos, mas para celebrar o Espírito Santo que é causa de unidade, de alegria, de reconciliação”, afirmou o presidente da Renovação Carismática na Itália, Salvatore Martinez.

Com informações da Rádio Vaticano

Papa Francisco com a RCC em seu Jubileu de Ouro – 50 anos de Evangelização

Carismáticos de todo o mundo celebrarão seu Jubileu de Ouro em Roma, de 31 de maio a 4 de junho .

A Renovação Carismática Católica (RCC) estará celebrando seu Jubileu de Ouro em Roma, dentro de um mês. O movimento nasceu em fevereiro de 1967, durante um retiro de estudantes na Universidade Duquesne, em Pittsburgh, Pensilvânia, e difundiu-se pelos cinco continentes.

As comemorações terão início na manhã da quarta-feira, 31 de maio, na Audiência Geral com o Papa Francisco e se concluirão no Domingo de Pentecostes, dia 4 de junho, com a celebração na Praça São Pedro, presidida pelo Pontífice, que também estará presente na grande Vigília programada para o ‘Circo Massimo’ (próximo ao Coliseu), na noite de sábado.

a jubileu_rcc_04.jpg

O programa destes dias será intenso, com encontros, simpósios, laboratórios e celebrações em várias basílicas e igrejas romanas. Testemunhas dos primeiros anos da Renovação estarão presentes, assim como expoentes mundiais da RCC e da Fraternidade Católica. Por desejo do próprio Pontífice, o encontro que reunirá carismáticos provenientes de todo o mundo, terá a presença também de expoentes do mundo evangélico e pentecostal.

“O Papa Francisco nos pediu para pensar em um Jubileu que fosse o mais inclusivo possível”, enfatizou a Presidente da RCC internacional, Michelle Moran. “Além dos encontros com o Pontífice, a programação prevê alguns momentos específicos que irão refletir as peculiaridades da Renovação Carismática. Cada evento será fruto da colaboração entre as diversas realidades, porque o Papa dá uma grande importância ao tema da unidade e membros de outras Igrejas estarão conosco”, explicou Moran.

“Precisamente do Papa Francisco partiu em 2014 o convite para esta grande festa e estamos ansiosos em celebrar este nosso Jubileu”, declarou à Agência Ansa o brasileiro Gilberto Barbosa, Presidente da Catholic Fraternity. “Somos um dom para a Igreja, mas também enfrentamos muitas dificuldades (…). O Papa disse que nestes cinquenta anos muitas coisas mudaram na Igreja. E isto graças também à contribuição da Renovação Carismática”.

Segundo algumas estimativas, existem hoje no mundo mais de 120 milhões de carismáticos católicos. De fato, aquele histórico retiro em 1967 não ficou restrito à Universidade de Duquesne. A experiência daquela “nova efusão do Espírito” vivida por aqueles estudantes, difundiu-se nas paróquias e outras realidades pelo mundo afora.

Por Radio Vaticano 

Portal Terra de Santa Cruz – A serviço da Evangelização