Arquivo da categoria: Ordenação Presbiteral

Ordenação Sacerdotal do Diácono Clayton Gregório Evaristo – Diocese da Campanha/MG – “Farei de ti pescador de homens”

“Ser padre é uma entrega total a vivencia do evangelho”. (Dom Pedro Cunha Cruz)

Cerca de 450 pessoas estiveram presentes na Ordenação Sacerdotal do Diácono Clayton Gregório Evaristo

A celebração aconteceu neste dia 11 de fevereiro, na Catedral Diocesana de Santo Antônio em Campanha/MG.  Leigos e padres de diversas paróquias, comunidades e de outras dioceses foram recepcionadas com orientação para estacionamento de ônibus entre outros veículos, acolhida e um café preparado pelas lideranças da paróquia Santo Antônio da Campanha.

P1040716.JPGPresidiu a Santa Eucaristia a sua Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz, bispo diocesano da Campanha, concelebrou a santa missa o Vigário Geral Diocesano Reverendíssimo Monsenhor Cônego José Douglas Baroni, o Chanceler do Bispado, pároco e Cura da Catedral Cônego Luzair Coelho de Abreu, os Reverendíssimos Padres Sérgio Monteiro, Edvar Rodrigues Rangel e demais presbíteros da diocese da campanha, Itapecerica da Serra – SP e Campinas-SP.

Entre seminaristas, religiosos e diáconos, se fez presente, membros da Comunidade Canção Nova de Cachoeira Paulista – SP. A família do neo sacerdote, participou da celebração juntamente com os padrinhos e madrinhas do eleito.

A celebração

O rito da missa seguiu-se normalmente, após a homilia foi realizado o rito da ordenação sacerdotal. Em um gesto de humildade, o eleito se deitou no chão, demonstrando-se, dispostos ao despojamento e à humildade. (Neste momento entoa-se a ladainha de todos os santos com todos de joelhos) Em seguida foi o momento de ungir as mãos do novo padre. O óleo do crisma simbolizou a unção do Espírito Santo, permitindo-lhes, a partir daquele momento, exercer as funções exclusivas a um sacerdote.

Após o rito da unção das mãos, ele recebeu a bênção e os cumprimentos de todos os padres presentes. Conheça e saiba mais sobre o RITO DE ORDENAÇÃO SACERDOTAL AQUI

Primeiros passos

O neo-sacerdote Pe.Clayton Gregório Evaristo exercerá os primeiros momentos do sacerdócio na paróquia de São Gonçalo do Amarante em São Gonçalo do Sapucaí/MG como vigário paroquial.

Mensagem Final Portal Terra de Santa Cruz

Ao querido amigo ordenado sacerdote neste dia que fazemos memória de Nossa Senhora de Lourdes, deixamos nosso abraço e felicitações de um ministério sacerdotal santo, eficaz  e de grandes realizações, que seja um verdadeiro pastor, zeloso, humilde e que cuide bem de suas ovelhas. Que seja sinal de Cristo por onde passar. Que Deus abençoe o novo Padre da Diocese da Campanha.

Texto: Por Bruno Henrique Santos/ Gestor do Portal Terra de Santa Cruz

PORTAL TERRA DE SANTA CRUZ – A SERVIÇO DA EVANGELIZAÇÃO 

Anúncios

Diocese da Campanha ganha três novos Padres – Ordenação Presbiteral de Jean, Saymont e José Rodrigo

Cerca de 800 pessoas estiveram presentes na Ordenação Presbiteral dos Diáconos Jean Sterferson, Saymont Aloísio e José Rodrigo.

A celebração aconteceu neste dia 19 de novembro, na Catedral Diocesana de Santo Antônio em Campanha/MG. Caravanas de diversas paróquias foram recepcionadas com orientação para estacionamento de ônibus entre outros veículos, acolhida e um café preparado pelas lideranças da paróquia Santo Antônio da Campanha.

Presidiu a Santa Eucaristia a sua Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz, bispo diocesano da Campanha, concelebrou a santa missa, sua Excelência Reverendíssima Dom Diamantino Prata de Carvalho, bispo emérito da diocese da Campanha, o Vigário Geral Diocesano Reverendíssimo Monsenhor Cônego José Douglas Baroni, o Pároco e Cura da Catedral Diocesana Cônego Luzair Coelho de Abreu, os Reverendíssimos Padres Lucas Reis Pereira, Alex José Adão, Silvane Vitor Elias, os Excelentíssimos Senhores Padres Reitores das três casas de formação propedêutica, filosófica e teológica Edson Pereira Oliveira, Carlos Henrique Machado Paiva, Sérgio Monteiro e demais presbíteros da diocese da campanha.

Entre seminaristas, religiosos e diáconos, se fez presente as paróquias mães de cada um dos sacerdotes ordenados assim como as paróquias nas quais eles estão e continuaram a trabalhar exercendo seus ministério, agora Sacerdotal.

As famílias dos neo sacerdotes, participaram da celebração juntamente com os padrinhos e madrinhas de cada eleito.

O canto litúrgico ficou a cargo do Coral da Paróquia Nossa Senhora das Dores de Boa Esperança/MG que abrilhantou toda celebração com lindas e belas canções.

Durante a homilia, Dom Pedro reforçou a alegria da diocese em receber novos sacerdotes e pediu que a humildade prevaleça nos trabalhos que cada um dos três vão exercer em suas respectivas paróquias, ainda colocou a importância de ser sacerdote de exercer esse ministério com seriedade e piedade cuidando de suas ovelhas, acolhendo a todos sendo o Cristo na vida das pessoas. “Ser padre é uma entrega total a vivencia do evangelho”.

A celebração

O rito da missa seguiu-se normalmente, após a homilia, foi realizado o rito da ordenação sacerdotal. Em um gesto de humildade, os três se deitaram no chão, demonstrando que estão dispostos ao despojamento e à humildade. Em seguida foi o momento de ungir as mãos dos novos padres. O óleo da crisma simbolizou a unção do Espírito Santo, permitindo-lhes, a partir daquele momento, exercer as funções exclusivas dos sacerdotes.

Após o rito, os novos sacerdotes receberam a bênção e os cumprimentos de todos os padres presentes. Conheça e saiba mais sobre o RITO DE ORDENAÇÃO SACERDOTAL AQUI

Primeiros passos

Os primeiros passos dados pelos padres recém ordenados serão dados em caminhos já conhecidos. Eles exercerão os primeiros momentos do sacerdócio nas paróquias em que já trabalhavam na função de diáconos.

Padre Jean permanecerá na Paróquia Nossa Senhora das Dores, em Boa Esperança/MG. O sacerdote Saymont Aloísio, será vigário paroquial na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Itanhandu/MG. Já o padre José Rodrigo segue na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Ilocínea/MG.

Mensagem Final Portal Terra de Santa Cruz

Aos queridos amigos ordenados sacerdotes neste dia, deixamos nosso abraço e felicitações de um ministério sacerdotal feliz e de grandes realizações, que sejam verdadeiros pastores, zelosos, humildes e que cuidem bem de suas ovelhas. Que sejam sinal de Cristo por onde passar.

Deus abençoe os três novos Padres da Diocese da Campanha.

Texto: Por Bruno Henrique Santos/ Gestor do Portal Terra de Santa Cruz 

VEJAM ALGUMAS FOTOS ABAIXO – VEJAM OS TODAS AS FOTOS EM NOSSO ÁLBUNS NO FACEBOOK – Álbum 1Álbum 2 .

PORTAL TERRA DE SANTA CRUZ – A SERVIÇO DA EVANGELIZAÇÃO

O Rito de Ordenação Presbiteral

O sacramento da Ordem é constituído por três graus: episcopal, presbiteral e diaconal. Cada qual possui um rito de ordenação próprio, porém o comum entre eles é a imposição das mãos e a prece de ordenação.

O segundo grau do ministério da Ordem é o presbiteral, denominado também por sacerdotal. Segundo o Pontifical Romano, a ordenação presbiteral é constituída por seis partes: eleição do candidato; homilia; propósito do eleito; ladainha; imposição das mãos e prece de ordenação; unção das mãos e entrega da patena e do cálice.

Como as demais ordenações, a sacerdotal é realizada dentro da Eucaristia. Logo após a Liturgia da Palavra, dá-se início ao Rito de Ordenação Presbiteral.

Eleição do Candidato

O diácono chama o ordenando, com as seguintes palavras: “Queira aproximar-se o que vai ser ordenado presbítero”. E, em pé, o candidato coloca-se diante do bispo, como sinal de prontidão, dizendo: “Presente”. Em seguida, um presbítero, designado para tal, pede ao bispo para que ordene este irmão para a função de presbítero. O bispo, então, interroga se o candidato é digno deste ministério. O presbítero responde, que após ter averiguado junto ao povo de Deus e ouvido os responsáveis, com convicção declara ser testemunha de que este candidato foi considerado digno. Tendo esta resposta, o ordenante diz: “Com o auxílio de Deus e de Jesus Cristo, nosso Salvador, escolhemos este nosso irmão para a Ordem do Presbiterado”. E todos dizem: “Graças a Deus”.

Homilia

Dando sequência, o bispo, brevemente, fala ao povo de Deus sobre este momento forte na vida da comunidade; bem como sobre o sacramento da Ordem Sacerdotal. E, dirige-se ao ordenando, admoestando e animando-o acerca deste ministério para o qual será ordenado.

Propósito do Eleito

Após a homilia, o eleito, em pé, responde às seguintes interrogações feitas pelo bispo:

– Queres, pois, desempenhar sempre a missão de sacerdote no grau de presbítero, como fiel colaborador da Ordem episcopal, apascentando o rebanho do Senhor, sob a direção do Espírito Santo?

– Queres, com dignidade e sabedoria, desempenhar o ministério da palavra, proclamando o Evangelho e ensinando a fé católica?

– Queres celebrar com devoção e fidelidade os ministérios de Cristo, sobretudo pelo sacrifício eucarístico e o sacramento da reconciliação, para o louvor de Deus e santificação do povo cristão, segundo a tradição da Igreja?

– Queres implorar conosco a misericórdia de Deus em favor do povo a ti confiado, sendo fielmente assíduo ao dever da oração?

– Queres unir-te cada vez mais ao Cristo, sumo Sacerdote, que se entregou ao Pai por nós, e ser com ele consagrado a Deus para salvação da humanidade?

O ordenando, ao responder “Quero”, afirma publicamente o propósito de aceitar esses encargos. Em seguida, o eleito ajoelhado põe suas mãos postas entre as do Bispo, e, esse interroga: “Prometes respeito e obediência ao Bispo diocesano e ao teu legítimo superior?”; Eleito: “Prometo”; Sendo assim, o bispo conclui dizendo: “Deus, que te inspirou este bom propósito, te conduza sempre mais à perfeição”.

Ladainha

O Bispo convida o povo a rogar a Deus Pai que derrame com largueza a sua graça sobre este seu servo, que ele escolheu para o cargo de presbítero. O eleito prosta-se, como sinal de sua total entrega a Deus. E, durante a ladainha, segundo o n.155 do Pontifical Romano, se for domingo e no tempo pascal, os demais permanecem de pé; no entanto, nos outros dias, de joelhos.

Terminada a ladainha, o bispo, de mãos estendidas reza:

“Ouvi-nos, Senhor, nosso Deus, e derramai sobre este vosso servo a bênção do Espírito Santo e a força da graça sacerdotal, a fim de que acompanheis com a riqueza de vossos dons o que apresentamos à vossa solicitude para ser consagrado. Por Cristo, nosso Senhor”.

Imposição das mãos e Prece de Ordenação

Esta parte decorrente é tida como aquela que, no silêncio do coração, o bispo e todos os presbíteros presentes pedem a Deus pelo ordenando. Esse, estando de joelhos, em silêncio, o bispo impõe as mãos sobre sua cabeça, seguido pelos presbíteros.

Depois do longo silêncio, o bispo reza ou canta a oração da ordenação, na qual são citadas as principais tarefas do sacerdote. Nessa oração é lembrada a relação dos setenta mais velhos com Moisés. O sacerdote é descrito principalmente como colaborador do bispo, instrutor da fé e divulgador da palavra de Deus. O pedido mais importante é colocado pelo bispo nas palavras: “Dê a seus servidores a virtude sacerdotal. Renove neles o espírito de santidade. Faça, ó Deus, com que eles se atenham ao ofício que receberam da sua mão; que a vida deles seja para todos estímulo e fio condutor. Abençoe, santifique e ordene os servidores pelo Senhor”. A oração transpira o espírito da Primeira Carta de Timóteo. Nela é dito que o encarregado do ministério deve manter o bem que lhe foi confiado, deve passar adiante fielmente o tesouro que recebeu na mensagem de Jesus, nosso Salvador. Já naquela época, o autor da Carta de Timóteo precisava exortar os encarregados pelos ministérios a viver de acordo com seu serviço. Aquele que é ordenado sacerdote reflete algo sagrado que oferece aos outros. (GRÜN, A. 2007, p. 33-34).

Unção das mãos e entrega do pão e do vinho

A última parte do Rito de Ordenação apresenta alguns símbolos, ricos em significado e que indicam o ministério sacerdotal da Ordem.

Terminada a Prece de Ordenação, o eleito, com o auxílio de um ou dois presbíteros, é revestido com a estola sacerdotal e a casula. Em seguida, de joelhos, a palma das mãos do ordenado é ungida pelo bispo com o óleo do santo Crisma. Segue-se a seguinte oração: “Nosso Senhor Jesus Cristo, a quem o Pai ungiu com o Espírito Santo, e revestiu de poder, te guarde para a santificação do povo fiel e para oferecer a Deus o santo Sacrifício”.

Logo após, o bispo amarra as mãos do ordenado, e, onde for costume, é desamarrada por quem receberá a primeira bênção sacerdotal.

Em seguida, os fiéis trazem o pão na patena, e o vinho e a água no cálice, para a celebração da Missa. O diácono os recebe e entrega ao bispo, que os entrega ao Ordenado, ajoelhado diante de si, dizendo: “Recebe a oferenda do povo para apresentá-la a Deus. Toma consciência do que vais fazer e põe em prática o que vais celebrar, conformando tua vida ao mistério da cruz do Senhor”.

Por fim, como sinal alegre de acolhimento ao neo-sacerdote, o bispo e o colégio dos presbíteros presentes o abraçam. Segue, então, a liturgia eucarística, onde o ordenado exerce, pela primeira vez, o seu ministério, concelebrando-a com o bispo e os outros membros do presbitério.

Ao término da celebração, o bispo estende suas mãos sobre o ordenado e sobre o povo dizendo:

“Deus, pastor e guia da Igreja, te guarde constantemente com sua graça para cumprirdes com fidelidade os deveres de presbítero. Amém.

Ele te faça no mundo servo e testemunha da verdade e do amor de Deus e ministro fiel da reconciliação. Amém.

Ele te faça verdadeiro pastor que leve ao seu povo o Pão vivo e a Palavra de vida, para que cresça na unidade do Corpo de Cristo. Amém.

E a todos vós aqui reunidos, abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém”.

Referências:

CATTANEO, E. O sacramento da Ordem. Tradução de Silva Debetto C. Reis. São Paulo: Edições Loyola, 2008. GRÜN, A. Ordem: vida sacerdotal. Tradução de Inês Antônia Lohbauer. São Paulo: Edições Loyola, 2006. HOUSSIAU, A. O sentido teológico do novo ritual das Ordenações. In: O sacerdote: fé e constatação. A. Deschamps (org.). Tradução de J. J. Queiroz. São Paulo: Edições Paulinas, 1976. [p. 109-124]  Pontifical Romano. 2ª reimp. São Paulo: Paulus, 2004.

Fonte: http://www.franciscanos.org.br

Adaptação: Portal Terra de Santa Cruz – A serviço da Evangelização 

Fotos: Reprodução Google e Radio Vaticano