Arquivo da categoria: Artigos

Dia dos Pais: o melhor presente é o que brota do coração!

“Dia dos Pais: o melhor presente é aquele que brota do coração”, afirma o Arcebispo de Brasília e Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Cardeal Sérgio da Rocha.

Neste segundo domingo do mês de agosto, Dia dos Pais, é uma ocasião especial para demonstrar a gratidão, o carinho e o apoio aos nossos pais, homens que deixam marcas de amor e de fé na história dos filhos.

Segundo o Cardeal, “os presentes mais importantes que se podem oferecer aos pais, neste dia, não são aqueles que se compram em lojas, mas os que brotam do coração: a gratidão, o carinho, o respeito e a convivência fraterna”.

“Os pais, certamente, querem ver suas famílias unidas em paz, com os filhos que convivem em fraternidade. Esse é o maior presente que nós podemos dar aos nossos pais nesse dia”, ressalta ainda o Cardeal Sérgio da Rocha.

A arte de ser pai é um ato de educação, é a arte da aprendizagem, e mais, um ato de amor.

Nesta ocasião, vale refletir sobre José, o pai adotivo de Jesus, o “Patrono Universal da Igreja Católica”. José assistiu Jesus, o acompanhou e testemunhou o seu crescimento.

Nesta data, abraçamos também todas as famílias, por ocasião da “Semana Nacional da Família”. Esta Semana é um momento especial para valorizar a missão de cada pai na família e, ao mesmo tempo, valorizar a própria família. É importante acompanhar nossos pais, conviver com eles como filhos que lhes demonstram gratidão sincera ”.

No Dia dos Pais, não podemos esquecer os pais espirituais, que são os sacerdotes: homens que tem a missão de gerar filhos para Deus. O Padre gera, todos os dias, o amor, a alegria e a paz nos corações dos fiéis.

No Brasil, o Dia dos Pais foi comemorado, pela primeira vez, em 1953, no dia 16 de agosto. Nasceu da ideia de um publicitário, Sylvio Bhering, na época diretor do jornal “O Globo” e da rádio homônima. O objetivo desta data era social e comercial. Mas, com o passar dos anos, a data tornou-se oficial, comemorada no segundo domingo de agosto.

Por Radio Vaticano

Portal Terra de Santa Cruz

Mês Vocacional destaca exemplo da Virgem Maria e necessidade de vocações

“A messe é grande mas os operários são poucos”, afirma Dom Jaime Spengler

Todos os anos, durante o mês de agosto, a Igreja no Brasil convida os fiéis a refletirem sobre as vocações, em diferentes aspectos. Em 2017, o chamado “mês vocacional” irá focar no exemplo de Nossa Senhora.

Com o tema “A exemplo de Maria, discípulos missionários” e o lema “Eis-me aqui, faça-se”, a CNBB busca motivar a oração pelas vocações nas comunidades, paróquias e dioceses, além de conscientizar adolescentes e jovens ao chamado de servir a Igreja.

De acordo com o presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados da CNBB e arcebispo de Porto Alegre, Dom Jaime Spengler, a escolha da temática se deu por ‘Nossa Senhora ser exemplo de mulher de oração’.

“A oração é também o pedido que Nosso Senhor faz aos discípulos quando vê o tamanho da messe sem o número suficiente de pastores, a messe é grande mas os operários são poucos”, explica.

Para ele, a intenção deste ano é justamente alertar para o número de vocações sacerdotais e religiosas no Brasil. “É pedir ao Senhor da messe que envie operários. A oração é o meio privilegiado para suplicar, pedir ao Senhor que envie esses operários que a Igreja tanto precisa. O nosso povo sedento de Deus, sedento de transcendência, sedento do Evangelho necessita de pastores, de pessoas capazes de anunciar essa palavra como fez Maria, isto seja no Ministério Ordenado, seja através da Vida Consagrada, seja através do anuncio catequético, nas diversas atividades do cotidiano e também no mundo leigo”, destacou.

O mês vocacional é também celebrado no contexto do Ano Nacional Mariano, proclamado pela CNBB, por ocasião dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, no Rio Paraíba do Sul. Por isso, a escolha da temática dedicada a Nossa Senhora também se fez presente.

“A Igreja no Brasil realmente deseja neste mês de agosto de 2017 promover um grande mutirão e dentro das comemorações dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida realmente suplicar ao céu que não falte operários para a vinha. Esperamos que muitos jovens do sexo feminino, do sexo masculino possam responder como fez Maria: Eis-me aqui, faça-se segundo a tua palavra”, finalizou.

cartaz_mes_vocacional_cnbb

Material de apoio

Para ajudar nas reflexões do mês vocacional, a Comissão para os Ministérios Ordenados e a presidência nacional da Pastoral Vocacional/SAV todo ano propõe subsídio, editado pela Edições CNBB. Dessa vez, o material oferece um tríduo de oração pelas vocações.

Segundo o coordenador nacional da Pastoral Vocacional, padre Elias Silva, a proposta é oferecer celebrações vocacionais em torno da Palavra, momentos onde a comunidade possa se alimentar da Palavra rezando pelas vocações. “É uma forma de rezar pelas vocações e com todos os vocacionais seja pela vida religiosa, consagrada e todas as outras formas”.

Dom Jaime explica que com o subsídio, a Pastoral Vocacional do Brasil deseja promover a partir da Sagrada Escritura uma abordagem particular em torno da temática das vocações.

“Nós acreditamos que a Leitura Orante da Palavra é capaz de iluminar as buscas de todo ser humano e é a partir da Sagrada Escritura que nós podemos melhor compreender o que significa fazer a vontade de Deus, então foi preparado um pequeno subsídio para favorecer essa reflexão e essa oração também nas nossas comunidades, tendo sempre como pano de fundo a Sagrada Escritura, porque é a partir da Palavra que nós encontramos orientações seguras para as iniciativas da comunidade de fé”, destacou.

O material já está à venda no site da ‘Edições CNBB’.

Ao todo, o subsídio contém três sugestões de encontros com os temas:

1º) “A Vocação Nasce na Igreja”
2º) “A Vocação Cresce na Igreja”
3º) “A Vocação é Cultivada na Igreja”.

O material traz, ainda, roteiro oracional, cantos e reflexões do papa Francisco sobre as vocações e indica, também, três roteiros para auxiliar nas missas dominicais do Mês Vocacional:

7 de agosto – vocação ministério ordenado: diáconos, padres e bispos;
14 de agosto – vocação matrimonial;
21 de agosto – vocação à vida consagrada;
28 de agosto – vocação dos leigos.

O presidente nacional da Pastoral Vocacional, padre Elias Aparecido da Silva, ressalta que a data é um importante momento para a promoção vocacional nas comunidades.

“Precisamos aproveitar nossas assembleias reunidas, grupos já formados, momentos de oração comunitária e até mesmo os atos devocionais para insistentemente propor que todos rezem pelas vocações, para que o Senhor da messe envie santas e numerosas vocações, e ainda provocar nossos adolescentes e jovens para que respondam com generosidade ao chamamento de Deus”, sugere o sacerdote.

Portal Terra de Santa Cruz

 

Papa solidário com sofrimento de Charlie e seus pais

 “O Papa Francisco está rezando por Charlie e por seus pais e se sente particularmente próximo a eles neste momento de grande sofrimento. O Santo Padre pede para nos unirmos em oração para que possam encontrar a consolação e o amor de Deus”.

No final da tarde de segunda-feira a Sala de Imprensa da Santa Sé divulgou uma nota assinada pelo seu Diretor, Greg Burk, a respeito da decisão dos pais de Charlie Gard, de retirar do Tribunal o pedido de levar o bebê aos Estados Unidos, dando assim por encerrado o processo.

“Havia uma possibilidade de dois meses. Infelizmente para Charlie agora é muito tarde. O tratamento não oferece mais chance de sucesso”, disseram os pais na segunda-feira (24/07).

Episcopado da Inglaterra

Também a Conferência Episcopal da Inglaterra e do País de Gales expressou “sua mais profunda simpatia e compaixão” pelos pais de Charlie e por seu filho.

“De fato, é por Charlie, seus pais e família que todos oramos, esperando que eles possam, como família, receber o apoio e o espaço para encontrar a paz nos próximos dias. A despedida de seu filho, pequeno e precioso, toca os corações de todos os que, como o Papa Francisco, seguiram essa história triste e complexa. A vida de Charlie será apreciada com amor até seu fim natural”

No comunicado, os bispos destacam a importância de recordar “que todos os envolvidos nessas decisões agonizantes têm procurado agir com integridade e para o bem de Charlie como eles o veem. O profissionalismo, o amor e o cuidado por muitas crianças gravemente enfermas no Hospital Great Ormond Street também devem ser reconhecidos e aplaudidos”.

A história

Charlie Gard nasceu saudável em 4 de agosto de 2016. Cerca de dois meses mais tarde, os pais – Chris Gard e Connie Yates – perceberam que o bebê tinha dificuldades em se movimentar.

Os médicos descobriram então que Charlie era portador de uma doença genética rara, que provocava um progressivo enfraquecimento dos músculos e danos cerebrais. No momento, não existe nenhum tratamento.

Em outubro de 2016, começaram a se manifestar claras dificuldades respiratórias: Charlie foi então internado no Great Ormond Street Hospital, onde foi mantido vivo graças a aparelhos que o ajudavam a respirar e a absorver substâncias nutritivas.

Em janeiro de 2017 os pais de Charlie lançaram uma campanha de coleta de fundos para levá-lo aos Estados Unidos e submetê-lo a uma terapia experimental.

Batalha legal

Os médicos do Grand Ormond Street Hospital se opuseram, defendendo que a terapia não melhoraria a qualidade de vida de Charlie.

O caso foi parar nos tribunais britânicos – que sempre se pronunciaram favoráveis aos médicos: em 11 de abril em primeira instância, em 25 de maio no apelo, em 8 de junho na Corte Suprema – e na Corte Europeia dos Direitos do Homem, que em 27 de junho indeferiu definitivamente o apelo dos pais.

Chris Gard e Connie Yates haviam pedido para levar Charlie para casa e ali desligar os aparelhos que o mantém vivo. Médicos e juristas explicaram a eles que no hospital existem instrumentos necessários para reduzir ao mínimo o sofrimento das crianças.

Uma última esperança foi oferecida por instituições italianas e estadunidenses, que se ofereceram em acolher Charlie e submetê-los a tratamentos experimentais.

Os pais do pequeno haviam sustentado esta batalha nos tribunais até a decisão de ontem, segunda-feira. (JE)

(from Vatican Radio)

Portal Terra de Santa Cruz

Novo estudo revela que o Santo Sudário tem o sangue de uma vítima de tortura

Segundo ACI (17/07/17), um grupo de cientistas comprovaram que o Santo Sudário de Turim (Itália) mostra sinais de segunda de uma vítima de tortura e desmente os argumentos de que o manto que envolveu o corpo de Jesus Cristo foi pintado.

A pesquisa, que confirma as hipóteses de investigações anteriores, como a do bioquímico Alan Adler nos anos 1990, foi feita pelo Istituto Officina dei Materiali em Triesti e pelo Instituto de Cristalografia de Bari, ambos sob o Conselho Nacional de Pesquisa da Itália, assim como o Departamento de Engenharia Industrial da Universidade de Pádua.

O estudo foi publicado no dia 30 de junho pela revista científica PlosOne, com o nome “New Biological Evidence from Atomic Resolution Studies on the Turin Shroud” (Nova evidência biológica dos estudos de resolução no Santo Sudário de Turim) e foi baseado em provas experimentais de estudos de resolução atômica e estudos médicos recentes sobre pacientes que sofrera vários atos de trauma e tortura.

“As partículas muito pequenas aderidas às fibras do linho do sudário registraram um cenário de grande sofrimento, cuja vítima estava envolvida no pano funerário”, disse Elvio Carlino, chefe da pesquisa e especialista do Instituto de Cristalografia.

Estas partículas, chamadas “nanopartículas”, tinham uma “estrutura, tamanho e distribuição peculiares”, precisou e seguida Giuliu Fanti, professor da Universidade de Pádua.

AS nanopartículas não são típicas do sangue de uma pessoa saudável. Pelo contrário, mostram altos níveis de substâncias chamadas creatina e ferritina, que se encontram em pacientes que sofrem múltiplos traumas fortes, como a tortura.

“Portanto, a presença dessas nanopartículas biológicas encontradas durante nossos experimentos apontam a uma morte violenta para o homem envolvido no Santo Sudário”, acrescentou Fanti. As descobertas contradizem as afirmações de que o manto é um objeto pintado; declarações que são comuns entre os que sugerem que é uma falsificação medieval. As características dessas partículas “não podem ser artefatos feitos ao longo dos séculos no tecido do Santo Sudário”, disse Fanti.

Entre as relíquias mais conhecidas que se acredita que estejam ligadas à Paixão de Jesus Cristo, o Santo Sudário de Turim foi venerado durante séculos pelos cristãos como o pano funerário de Jesus. Também foi objeto de intensos estudos científicos para comprovar sua autenticidade e suas origens.

O Santo Sudário é um fino tecido de 463 centímetros de comprimento por 113 de largura, que tem uma imagem fraca manchada de um homem brutalmente torturado e crucificado. A imagem se torna clara em uma foto negativa. O estudo das partículas foi feito na nanoescala, que vai de 1 a 100 nanômetros. Um nanômetro é a bilionésima parte de um metro.

“Essas descobertas só poderiam ser reveladas pelos métodos recentemente desenvolvidos no campo da microscopia eletrônica”, disse Carlino e acrescentou que a pesquisa marcou o primeiro estudo das “propriedades a nanoescala de uma fibra não poluída extraída do Santo Sudário de Turim”.

Embora a Igreja não tenha uma postura oficial sobre sua autenticidade, o Santo Sudário se encontra atualmente na Catedral de São João Batista de Turim. Em sua visita em 21 de junho de 2015 ao templo, o Papa Francisco rezou diante dele.

 

Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/novo-estudo-revela-que-o-santo-sudario-tem-o-sangue-de-uma-vitima-de-tortura-24549/  

Portal Terra de Santa Cruz