Arquivo da categoria: Artigos do Gestor

Tradição, Fé e Devoção marcaram a semana santa 2017 em Campanha/MG

A Semana Santa começa com o Domingo de Ramos no qual comemoramos a entrada de Jesus em Jerusalém, evento este da vida de Jesus relatado nos quatro evangelhos canônicos (Marcos 11:1, Mateus 21:1-11, Lucas 19:28-44 e João 12:12-19) Esta solene celebração que ocorre no mundo todo pelos cristãos católicos, é um prelúdio das dores e humilhações nas quais Jesus Cristo passara, é partir dela que fomos levados pela liturgia da igreja a caminhar e contemplar os últimos passos de Jesus até sua morte e ressurreição.

Tradicionalmente em Campanha/MG, a abertura da Semana Santa é feita por Sua Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz, bispo da Diocese da Campanha, na Catedral de Santo Antônio.

A Missa Pontifical de abertura da Semana Santa ocorreu pela manhã, no domingo, 09 de abril. Os fiéis se reunirão na Igreja Nossa Senhora das Dores para a bênção de ramos, em seguida todos caminharam em procissão conduzida solenemente pela Banda Marcial Irmão Paulo que abrilhantou a caminhada onde atualizamos a entrada de Jesus em Jerusalém aclamado pelo povo com gritos de “Hosana ao filho de Davi, bendito quem vem em nome do Senhor, Hosana nas alturas”.

DSC04507

DSC04511Ao chegar à Catedral Diocesana de Santo Antônio, Dom Pedro se aproximou da porta principal e com a Cruz processional, a tocou por três vezes dizendo; “Levantai, ó portas, os vossos frontões; abram-se, ó antigos portais, para que entre o Rei da Glória!”. E a porta se abriu… já, no interior da Catedral deu-se continuidade a santa missa, conforme pede a liturgia do dia. Concelebrou com Dom Pedro, o Reverendíssimo Padre Edson Pereira Oliveira, Vigário Paroquial da Campanha e Reitor do Seminário Propedêutico São Pio X.

Pelo anoitecer deste dia, aconteceu à procissão do Triunfo como é chamada pelo povo de nossa cidade, presidida pelo Reverendíssimo Cônego Luzair  Coelho de Abreu, pároco e cura da Catedral da Campanha e chanceler do bispado.

DSC04595

DSC04690.JPG

No decorrer dos dias passamos pelas tradicionais procissões e sermões que enriqueceram nossa mente e coração, mas, acima de tudo a nossa vida de fé. São elas as procissões do Depósito, do Encontro, e da Soledade de Maria, ocorridas na segunda, terça e quarta-feira santa.  Na quarta-feira santa vivemos um dia mais que especial, pois este ano o feriado municipal por ocasião do Nascimento do Beato Francisco de Paula Victor coincidiu com a semana santa e os devotos do beato não deixou de celebra-lo e fazer suas orações ao nosso beato Campanhense, o Pe. Victor. Foi realizada a procissão da penitência para o morro do cruzeiro (Mirante) levando a imagem do beato, mostrando para nós a Cruz do Senhor sinal e símbolo maior da nossa fé. Após a caminhada até o cruzeiro foi realizada a Santa missa presidida pelo Vigário Paroquial Padre Edson Pereira Oliveira.

Este slideshow necessita de JavaScript.

2.JPG

8.JPG

9.JPG

A quinta-feira santa é sempre marcada por duas celebrações importantes.  São elas a Missa dos Santos Óleos (Missa da Unidade Diocesana) e a Missa da Ceia do Senhor popularmente chamada de Missa do Lava Pés (Instituição da Santa Eucaristia) ambas presididas por Sua Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz.

A Missa dos santos óleos também chamada de missa do crisma e da unidade diocesana, consiste em dois pontos fundamentais: a Bênção dos Santos Óleos, que são os óleos do Crisma, dos Enfermos e do Batismo e por fim a Renovação das Promessas Sacerdotais por parte dos sacerdotes diante do Bispo. Foram mais de 120 sacerdotes de várias paróquias, os regulares, os pertencentes a ordens ou congregações, e padres que auxiliam na Semana Santa nas diversas paróquias da diocese da Campanha.  Além do clero, participaram desta celebração, muitos religiosos, seminaristas e agentes de pastorais e movimentos que vieram em caravanas. Como todo ano o bom povo campanhense doaram bolos, roscas, pães e outras quitandas para bem receber os visitantes que vieram para a missa da unidade diocesana.

DSC05347

DSC05349

A missa da Ceia do Senhor (Lava Pés): o termo lava-pés designa o gesto praticado por Jesus Cristo na última Ceia. Momento este em que o sacerdote, assistido por dois ministros, lava o pé direito de 12 homens, clérigos ou seculares. Este ano alguns membros do terço dos Homens foram escolhidos para a representarem os 12 apóstolos por ocasião do ano Mariano que nossa igreja no Brasil está vivendo!

Muito além da liturgia católica, o lava pés foi o evento que marcou a insistência do Senhor Jesus em um dos assuntos mais importantes do seu ministério: O papel dos cristãos e da igreja. O serviço. A humildade. O colocar-se abaixo, considerar uns aos outros superiores a si mesmo.

DSC05483.JPG DSC05432.JPG

DSC05419DSC05426

DSC05502.JPG

Sexta-feira Santa da Paixão do Senhor, o dia começou com a Via-sacra encenada pelos Jovens da Paróquia Santo Antônio. Ao cair da tarde, ás 15h, aconteceu a tradicional Ação Litúrgica onde recordamos o drama imenso da morte de Cristo no Calvário. A cruz erguida sobre o mundo segue de pé como sinal de salvação e de esperança. Neste dia não se celebra a missa em todo o mundo.

P1050369.JPG

O altar é iluminado sem mantel, sem cruz, sem velas nem adornos ficando completamente na penumbra. Esta celebração foi presidida por Sua Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz no qual se prostrou no chão frente ao altar no começo da cerimônia sem calçado como pede o rito litúrgico em sinal de humildade e ao mesmo tempo penitente que implora perdão por seus pecados.  Para esta celebração as cores dos paramentos do bispo como dos padres e ministros da palavra são vermelhas, a cor dos mártires: de Jesus, o primeiro testemunho do amor do Pai e de todos aqueles que, como ele, deu e continua dando sua vida para proclamar a libertação que Deus nos oferece.

P1050390.JPG

P1050393.JPG

Um ato simbólico, mas, muito expressivo e próprio deste dia: a veneração da Santa Cruz apresentada solenemente para os fiéis e é cantando três vezes a aclamação: “Eis o lenho da Cruz, onde esteve pregada a salvação do mundo. Ó VINDE ADOREMOS”, e todos ajoelham uns instantes de cada vez, e então vamos, em procissão, venerar a Cruz pessoalmente, com uma genuflexão (ou inclinação profunda) e um beijo (ou tocando-a com a mão e fazendo o sinal da cruz); enquanto cantamos os louvores ao Cristo na Cruz. Pela noite, um imenso número de pessoas participou da procissão do enterro (Senhor morto) pelas ruas de nossa cidade.

P1050401.JPG

P1050415.JPG

DSC00073

DSC00090

DSC00065

DSC00252.JPG

Por fim, a Vigília Pascal, a mais importante celebração de nossa semana santa (Sábado Santo) que foi presidia pelo nosso Bispo diocesano Dom Pedro Cunha Cruz. A vigília começa após o pôr-do-sol no Sábado Santo fora da igreja, onde o fogo ou fogueira é abençoado pelo celebrante. Este novo fogo simboliza o esplendor do Cristo ressuscitado dissipando as trevas do pecado e da morte. O Círio pascal ou (vela pascal) é abençoado com um rito muito antigo.

A celebração da Vigília pascal articula-se em quatro partes: (ritos) 1) a liturgia da luz; 2) a liturgia da Palavra; 3) a liturgia batismal; 4) a liturgia eucarística.

A liturgia da luz consiste na bênção do fogo, na preparação do círio e na proclamação do louvor pascal. O lume novo e o círio pascal simbolizam a luz da Páscoa, que é Cristo, luz do mundo.

DSC00281  DSC00273

DSC00268

A liturgia da Palavra propõe sete leituras do Antigo Testamento, que recordam as maravilhas de Deus na história da salvação e duas do Novo Testamento, ou seja, o anúncio da Ressurreição segundo os três Evangelhos sinópticos, e a leitura apostólica sobre o Batismo cristão como sacramento da Páscoa de Cristo.

DSC00309.JPG

A liturgia batismal é parte integrante da celebração. Quando não há Batismo, faz-se a bênção da fonte batismal e a renovação das promessas do Batismo. O rito consta, ainda, o canto da ladainha dos santos, a bênção da água, a aspersão de toda a assembleia com a água benta e a oração universal.

DSC00345

DSC00336

A liturgia eucarística é o momento culminante da Vigília, qual sacramento pleno da Páscoa, isto é, a memória do sacrifício da Cruz, a presença de Cristo Ressuscitado, o ápice da Iniciação cristã e o antegozo da Páscoa eterna.

DSC00392

Já no domingo de páscoa como em todos os anos, a procissão da ressurreição acorreu pelas 5h da manhã com grande participação dos fiéis campanhense proclamando o Aleluia, Cristo Ressuscitou e em seguida a Santa Missa na Catedral com a presença do Coral Campanhense.

O Coral Campanhense, mais um ano se fez presente em nossa semana santa, entoando os famosos moteto para cada dia e abrilhantando nossas celebrações litúrgicas nas quais o coral participa solenemente. São 60 anos de história, sempre presente em nossa comunidade paroquial. O coral Catedral também animou nossas celebrações com lindos cantos litúrgicos.

DSC04887.JPG

Por fim agradecemos a todos que de forma direta ou indireta contribuíram para a realização de nossa semana santa 2017 – Deus abençoe a todos!

Fotos e Texto; Por Bruno Henrique Santos 

VEJAM MAIS IMAGENS NOS ÁLBUNS DE FOTOS DA SEMANA SANTA EM NOSSO PERFIL NO FACEBOOK

CONFIRA EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE – HOMILIAS DE DOM PEDRO

Portal Terra de Santa Cruz – A serviço da evangelização 

Missa da Unidade Diocesana: Fiéis lotam a Catedral da Campanha/MG em Celebração do Santo Crisma

Nesta última quinta-feira santa, dia 13 de abril, aconteceu na Catedral Diocesana de Santo Antônio, em Campanha/MG a solene missa do Santo Crisma, presidida por Sua Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz. Concelebrou a mesma, o bispo Emérito Dom Diamantino Prata de Carvalho assim como todo clero diocesano. Nesta celebração o clero renova suas as promessas nas quais fizeram no dia de sua ordenação. Acontece no decorrer da celebração a bênção dos óleos dos enfermos, dos catecúmenos e do Santo Crisma.

Participaram desta solene celebração da unidade diocesana os padres regulares, pertencentes a ordens ou congregações, que auxiliam na Semana Santa nas diversas paróquias da diocese. Além do clero, seminaristas e religiosos também estiveram presentes.

Na missa do crisma, celebramos o nascimento do sacerdócio que é a participação na consagração de Jesus Cristo, o Messias, nosso Senhor e Deus.

DSC05297

Em sua homilia nosso bispo fala diretamente ao clero: Nós presbíteros fomos chamados na Igreja com uma vocação e missão especial, ou seja, amar a Jesus incondicionalmente; ser pastores com Ele, como Ele e por Ele. “Recebemos uma graça especial para sermos pastores santos” (PO 12). Paulo VI já nos levava a questionar ao dizer: “Se és sacerdote, por que não és santo? E, se não és santo, para que és sacerdote?”. Deus dá aos pastores um caminho para santificar-se. Exercendo autêntica e incansavelmente seu ministério no Espírito de Cristo, cada atividade ministerial produz santidade (PO 13). Desta forma, contemplando O Bom Pastor, os ministros ordenados alcançarão o vínculo o vínculo da perfeição sacerdotal que leva à unidade suas vidas e atividades. Imitamos a Cristo em sua entrega e em seu serviço. “É a doação de nós mesmos que mostra o amor de Cristo por seu rebanho, através de nosso modo de pensar e agir, nosso modo de comportar-nos com o povo” (CF PDV 23). A caridade específica de ministros de Deus, não permite tratar mal o rebanho a nós confiado, mas a leva-lo cada vez mais a Deus, como pontes que devemos ser e não muros da discórdia, da divisão, da insensibilidade e até da infâmia. Somos ministros da misericórdia, para além de um ano só que já vivemos dedicados a ela.   

VEJA NO VÍDEO ABAIXO A HOMILIA COMPLETA OU LEIA AQUI

A animação litúrgica (canto) ficou a cargo do coral da Paróquia Sagrado Coração de Jesus de Três Corações/MG – Cotia, contamos a ilustre presença e participação do Coral Campanhense, entoando o Ecce Sacerdos, tradicional canto sacro, composto para a ocasião; e Ó Redemptor, (versão latina) Acolhei, ó Redentor, pelo Missal Romano, durante a procissão dos Santos Óleos.

Dom Pedro Cunha Cruz encerrou a celebração com Bênção Papal, concedida pelo Santo Padre o Papa Francisco. Ao final da celebração, a paróquia Santo Antônio ofereceu aos visitantes um lanche, doado pelos agentes de pastorais e pela população campanhense.

DSC05316

Este slideshow necessita de JavaScript.

Por Bruno Henrique Santos – Gestor do Portal Terra de Santa Cruz

Semana santa 2017

Portal Terra de Santa Cruz – a Serviço da Evangelização

Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor em Campanha/MG

A Semana Santa começa com o Domingo de Ramos no qual comemoramos a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, evento este da vida de Jesus relatado nos quatro evangelhos canônicos (Marcos 11:1, Mateus 21:1-11, Lucas 19:28-44 e João 12:12-19) Esta solene celebração que ocorre no mundo toda pelos cristãos católicos, é um prelúdio das dores e humilhações nas qual Jesus Cristo passou.

Em Campanha/MG, como é de tradição, a abertura da Semana Santa é feita por Sua Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz, bispo diocesano da Diocese da Campanha, na Catedral de Santo Antônio.

O bispo da Santa Sé Episcopal da Campanha-MG celebrou a Missa Pontifical de abertura da Semana Santa 2017 pela manhã deste domingo 09 de abril. Os fiéis se reunirão na Igreja Nossa Senhora das Dores para a bênção de ramos, em seguida todos seguiram em procissão conduzida solenemente pela Banda Marcial Irmão Paulo que abrilhantou a caminhada onde atualizamos a entrada de Jesus em Jerusalém aclamado pelo povo com gritos de “Hosana ao filho de Davi, bendito quem vem em nome Senhor, Hosana nas alturas”.

DSC04507
Ao chegar à Catedral Diocesana de Santo Antônio, Dom Pedro se aproximou da porta principal e com a Cruz processional, a tocou por três vezes “Levantai, ó portas, os vossos frontões; abram-se, ó antigos portais, para que entre o Rei da Glória!”. E a porta se abriu… já, no interior da Catedral deu-se continuidade a santa missa, conforme pede a liturgia do dia. Concelebrou com Dom Pedro, o Reverendíssimo Padre Edson Pereira Oliveira, Vigário Paroquial da Campanha e Reitor do Seminário Propedêutico São Pio X.

DSC04572.JPG

O canto litúrgico ficou a cargo do belíssimo Coral Catedral.

DSC04594.JPGAs celebrações do Domingo de Ramos encerraram-se com a procissão do Nosso Senhor do Triunfo e santa missa na Catedral. Os fiéis da Campanha/MG se reuniram na Igreja do Mártir São Sebastião para bênção de Ramos e procissão com a imagem do Nosso Senhor do Triunfo. Presidiu a solene missa o Reverendíssimo Cônego Luzair Coelho de Abreu, pároco e cura da Catedral. Esta foi à última celebração do dia neste Domingo de Ramos deixando aberta a piedosa e tradicional Semana Santa da Campanha/MG.

Por Bruno Henrique Santos/Gestor do Portal Terra de Santa Cruz

PARA SABER: O SIGNIFICADO DOS RAMOS

Os ramos lembram nosso batismo. Esses ramos significam a vitória: “Hosana ao Filho de Davi: bendito seja o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel; hosana nas alturas”. Os ramos santos nos fazem lembrar que somos batizados, filhos de Deus, membros de Cristo, participantes da Igreja, defensores da fé católica, especialmente nestes tempos difíceis em que esta é desvalorizada e espezinhada. Os ramos sagrados que levamos para nossas casas, após a Missa, lembram-nos de que estamos unidos a Cristo na mesma luta pela salvação do mundo, a luta árdua contra o pecado, um caminho em direção ao Calvário, mas que chegará à Ressurreição.

DSC04600

DSC04595

DSC04659

Portal Terra de Santa Cruz – A serviço da Evagelização

A Cultura abraça a fé: Unidos de Vila Maria brilha no Anhembi com enredo sobre os 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida – Emoção e Fé!

Escola Samba Unidos de Vila Maria de SP lembrou 300 anos da aparição da imagem da padroeira do Brasil e misturou samba com canto religioso em desfile grandioso, solene e emocionante.   A Vila Maria chamou representantes da Igreja Católica para ajudar a desenvolver o enredo. A Igreja ajudou com a pesquisa histórica e pediu que se evitasse a nudez e que o respeito e bom comportamento fossem mantidos, assim a escola de samba fez na avenida, acolheu as orientações da igreja e deu um show a parte uma linda e emocionante homenagem a Nossa Senhora Aparecida.

A rainha de bateria Dani Bolina, por exemplo, usou figurino “comportado”. Foram 3500 componentes e cinco carros na avenida, em uma hora de desfile.

No enredo chamado “Aparecida – a rainha do Brasil: 300 anos de amor e fé no coração do povo brasileiro”, a Vila Maria mostrou os vários milagres atribuídos a ela e a devoção dos seguidores.

A comissão de frente encenou a história da aparição da imagem em 1717, diante de três pescadores. Após acharem a imagem de barro, eles voltaram a jogar a rede no rio. A rede voltou repleta de peixes, diz a história – o primeiro milagre atribuído a ela.

Até a representação de Nossa Senhora na música popular brasileira foi mostrada no enredo “Romaria”, de Renato Teixeira, “Nossa senhora, cuida do meu coração”, de Roberto e Erasmo Carlos e “Negra Mariama”, de Milton Nascimento.

maria 01.jpg

maria-7

vila-maria-alm4768-alan-morici-g1

Confira o enredo e todo seu significado

Ficha Técnica – Enredo 2017

Presidente
Adilson José
Supervisão Geral
Direção de Carnaval
(Demis Roberto e Marcelo Muller)
 
Pesquisa Histórica
Marcelo Muller
 
Argumentação e Desenvolvimento de Enredo
Sidnei França

Desenvolvimento do Enredo

Prece de Abertura – Cântico da Aparição
Aparecida das Águas… Do Caminho de Vila Rica ao Milagre da Fartura… Óh, Virgem Santa!
 
Prece nº 1 – Cântico de Devoção
Nossa Senhora da Conceição Aparecida… No Cortejo da Fé Ardente, Um “Caso de Amor e Devoção”
 
Prece nº 2 – Cântico de Luz
No Percurso da História o Teu Brilho Reluz… A Coroa é de Ouro, o Manto é Azul!
 
Prece nº 3 – Cântico dos Milagres
Nas Súplicas do Povo, o Clamor de Salvação e Liberdade… Milagres da “Mãe Negra”
 
Prece nº 4 – Cântico de Proteção
Embala Nossa Pátria Mãe Gentil… És Consagrada Padroeira… A Rainha do Brasil!
 
Prece nº 5 – Cântico de Paz
No Coração dos Fieis, o Relicário da Paz… 300 Anos de Amor!

Apresentação do Enredo

Todas as vezes que venho ver Aparecida
Venho pensando e tentando entender a imagem pequena,
Maria morena, ferida e alquebrada, no rio jogada, depois encontrada
Escola de fé!
A rede pescou, o povo juntou, de manto a cobriu, da cor do Brasil
E então coroou…
E o pobre e o rico, o branco e o negro, caboclos e índios se deram as mãos
Mil vezes Aparecida!
(Padre Zezinho)

 

Sob a luz do carnaval, o Grêmio Recreativo Cultural Social Escola de Samba Unidos de Vila Maria faz de seu desfile um momento de profunda celebração da fé. Emoção infinita e inesgotável, que embala na procissão do carnaval os divinos mistérios que envolvem um dos maiores símbolos de fé do povo brasileiro.
Um inexplicável sentimento toma conta de toda uma comunidade. Sentimento que floresce, cresce, comove, arrebata e propaga dentre todos os sambistas. Corações se inundam de amor. Almas reluzem na fé. Formada por um povo fiel, devoto e apaixonado, a nossa Escola de Samba faz do samba oração em louvor a ela… A Rainha dos Céus, Mãe dos Homens: Nossa Senhora da Imaculada Conceição Aparecida!
Deixamos a ti – Virgem Santa – a nossa felicidade plena em forma de preces. Preces entoadas por milhares de corações “unidos”, reunidos e guardados por teu manto de amor. Desfilando com o brilho da tua luz, dedicamos a ti o nosso canto mais puro de “amor e devoção”, pois a fé em ti é sublime e inabalável.
Rogai por nós, iluminai teus filhos… Óh, Mãe de Deus!

Avante, com fé… Unidos de Vila Maria


Sinopse do Enredo

“Sempre que o meu pranto rolar
Ponha sobre mim suas mãos
Aumenta minha fé e acalma o meu coração”
(Trecho de “Nossa Senhora”, de Erasmo Carlos e Roberto Carlos)


Prece de Abertura – Cântico da Aparição
Aparecida das Águas… Do Caminho de Vila Rica ao Milagre da Fartura… Óh, Virgem Santa!
Óh! Mãe Aparecida… Vieste a nós!
Pelos Caminhos do Ouro, no Vale do Paraíba, naquele quinhão de terra, rincão do Brasil, tem início uma linda história de fé… A tua história!
Chega ao pequeno vilarejo a notícia de que o Conde de Assumar, Governador da Província de São Paulo e das Minas Geraes, estaria de passagem por ali a caminho de Vila Rica – terra de muito ouro e reluzentes diamantes.
Convocados pelo poder local e iluminados pelos céus, três pescadores seguem a procura de peixes no Rio Paraíba. Desceram o rio e nada conseguiram… Depois de muitas tentativas, eis que um deles lançou a rede nas águas e apanhou o corpo de uma imagem de barro… Era Nossa Senhora da Conceição, sem a cabeça. Lançou novamente a rede e apanhou a cabeça da mesma imagem.
Bendita rede, iluminada trama de humilde ofício!… Dali em diante, peixes chegaram em abundância para aqueles três humildes pescadores… Eis o primeiro milagre… O milagre da fartura!
 
“Aparecida” das Águas… Do Caminho de Vila Rica ao Milagre da Fartura… Óh, Virgem Santa!
 
Prece nº 1 – Cântico da Devoção
Nossa Senhora da Conceição Aparecida… No Cortejo da Fé Ardente, Um “Caso de Amor e Devoção”
Óh! Mãe Aparecida… Espalhaste em nossos corações o teu louvor!
No auge do esplendor barroco do Vale do Paraíba a devoção foi crescendo no meio do povo sofrido e muitas graças foram alcançadas por aqueles que rezavam diante de ti, a santa que “apareceu”… Desde então és tu… “Aparecida”!
De um oratório de família, viraste posse do vigário, foste aberta à visitação pública… Mas foi graças aos bandeirantes e aos tropeiros – que ali faziam suas paragens rumo às riquezas das Geraes – que a fama dos teus poderes extraordinários, Nossa Senhora da Imaculada Conceição “Aparecida”, foi se espalhando pela vastidão desse país menino.
O número de fiéis aumentava a cada dia… A louvação à ti, Mãe Santa, crescia, multiplicava, e número de romeiros só fazia aumentar… Eis no coração do povo a louvação à Rainha dos Céus!
Na peregrinação do povo à Mãe Virgem, os caminhos da fé ardente… Para aquela gente simples e sofrida daquele projeto de nação, foi o alento…
No cortejo da fé ardente, és um “caso de amor e devoção”!
Prece nº 2 – Cântico de Luz
Óh! Virgem… No Percurso da História o Teu Brilho Reluz… A Coroa é de Ouro, o Manto é Azul!
Óh! Mãe Aparecida… Iluminaste este povo com o brilho da fé!
A tua luz foi vista por famosos estrangeiros… A fé misericordiosa em ti ganhou retrato na pintura de Debret… Naturalistas registraram costumes em teu louvor… Saint-Hilaire se encanta ao observar sinais de profunda comoção à tua imagem,
Em tua capela teria rezado Dom Pedro I, pedindo luz e proteção para a mais nobre missão de sua existência: A Independência do Brasil!
Também da nobreza vieram presentes a ti em sinal de agradecimento… Presentes da Princesa Isabel, que dariam a forma definitiva pela qual te tornaria popularmente conhecida: O manto e a coroa!
Surge a Basílica Velha… Através da Estrada de Ferro do Norte, a fé em ti – Nossa Senhora Aparecida – percorre distâncias e arrebata rincões inimagináveis… De fenômeno da fé local, torna-te estandarte da crença do povo brasileiro… És a santa nos trilhos da fé!
Óh! Mãe Amantíssima, no percurso da história o teu brilho reluz… A coroa é de ouro, o teu manto é azul!
Prece nº 3 – Cântico dos Milagres
Nas Súplicas do Povo, o Clamor de Salvação e Liberdade… Milagres da “Mãe Negra”
Óh! Mãe Aparecida… Tem de piedade de nós!
Dia-a-dia, sol a sol… Súplica, gratidão, clamor e fé!
Milhares de fieis percorrem distâncias muito além do que se possa sequer imaginar para a ti pedir, mas também para agradecer… Vem dos quatro cantos do Brasil devotos testemunhando milagres atribuídos à vossa misericórdia… Romeiros em preces clamam: Rogai por nós… Óh! Mãe Santa!
Muitos são teus milagres popularmente reconhecidos… Milagre da onça, testemunho da fé na salvação… Milagre do cavalo preso, exemplo da fé que comove e impulsiona… Milagre das velas, demonstrando a fé persistente que acende a alma… Porém, milagre maior foi o do Negro Zacarias, pois igual a este jamais se viu. Verdadeiro louvor da fé na liberdade. Dádiva divina que serviu de alento e esperança no raiar de um novo tempo… A fé rompeu grilhões!
Para quem clama por ti, Virgem Aparecida, é certa a graça a alcançar, pois a verdadeira fé – absoluta e altaneira – faz sonhar com o fim dos percalços do caminho e acreditar no impossível.
Afinal, nas súplicas do povo o clamor de salvação e liberdade… Os teus milagres são nosso amparo… Milagres da Mãe Negra!
Prece nº 4 – Cântico de Proteção
Embala Nossa Pátria Mãe Gentil… És Consagrada Padroeira… A Rainha do Brasil!
Óh! Mãe Aparecida… Cobriste este país com teu sagrado manto… Olhai por nós!
Desde muito tempo, quando o Brasil sequer sabia o tamanho do Brasil, tua pequena imagem se tornara símbolo da identidade de um povo moreno na pele e rico na fé.
E fora tua divina proteção – materialização de súplicas atendidas – que fizeram com que singela e amorosa figura se perpetuasse na memória e no sentimento da nação, entrando em todos os lares.
Conhecendo intimamente todos os corações brasileiros.
Inestimável a identificação e imensa a confiança do povo em sua santa de devoção, escolhida por corações radiantes de fé, sendo proclamada honrosamente a “Rainha do Brasil”… Porém, clamor maior não poderia haver senão a consagração definitiva: Padroeira!
De lá para cá, batizaste Marias, Aparecidas, Cidos, Cidas e Cidinhas… Culturalmente se faz presente nas telonas dos cinemas, nas telinhas da TV… Abençoaste uma legião de caminhoneiros que percorre as artérias desse país… Nos rodeios, a fé sertaneja exalta a ti, Santa Protetora!
E as canções… Ah! São tantas as canções de fé… Da “romaria de caipira, Pirapora, Nossa Senhora de Aparecida”, dos fieis peregrinos que pedem para cuidar da “sua vida, do seu destino, do seu caminho”… Cuida dos filhos teus!
Orgulhosamente, és tu o símbolo maior dessa pátria mãe gentil… És a nossa Padroeira… A Rainha do Brasil!
Prece nº 5 – Cântico de Paz
No Coração dos Fieis, o Relicário da Paz… 300 Anos de Amor!
Óh! Mãe Aparecida… Zelai por nós e cubra-nos de amor!
Em teu louvor foi consagrada a cidade onde escolheste se tornar “Aparecida”… Um Santuário foi erguido em tua fé… Abrigo do povo, casa de Deus… Cenário da infinita beleza da fé popular.
Virgem Mãe… Cubra de paz esse povo sofrido, sedento de amor, de compaixão e de esperança… Proteja a todos sob teu manto… Cuida daqueles que se curvam diante de sua misericórdia… Relicário da paz!
Hoje, a Unidos de Vila Maria clama pelo futuro desse país menino que ainda aprende a cuidar dos filhos teus… Filhos que esperam por ti… Óh! Mãe de Deus!
Nossa Senhora Aparecida… Tua luz nos guia e aponta o caminho. A ti cantamos em louvor…
São sessenta e cinco minutos em romaria, por 300 anos de amor!
Rogai por nós, óh! Mãe… Amém!
 

Sidnei França: Carnavalesco Unidos de Vila Maria


AGORA CANTE E ESCUTE O ENREDO – UMA VERDADEIRA ORAÇÃO 
Aos teus pés vou me curvar
Senhora de aparecida
A prece de amor que nos uniu
Salve a rainha do BrasilPedi aos céus
Para iluminar essa jornada
Seguir com fé na caminhada
Santa aparecida dessas águas
Fez a nossa rede prosperar
Virgem Conceição Imaculada
Os teus feitos vão se revelar
Num choro incontido
O nó na garganta
A história marcada em devoção
Jóia da princesa pra te coroar
Presente que acalanta o coração

Oh senhora, oh senhora
Reluz teu manto azul bordado em ouro
A benção de viver a tua glória

Milagre
É lindo ver o povo venerando
Pagando promessas em oração
Negra mãe, divina liberdade
Do impossível és a salvação
O cortejo vem te receber
E eu já posso ouvir a cantoria
É gente abraçada a chorar
Vila Maria abraçada vem pedir
Pátria mãe gentil
Não deixa de exaltar a padroeira
Pro bem do meu país
Nos dê a paz bendita e verdadeira

A escola Unidos de Vila Maria é uma das mais tradicionais de São Paulo, criada em 1954. Desde 2002 participou todos os anos do grupo Especial, exceto em 2014, quando foi campeã do Acesso. Sua melhor colocação recente foi o vice-campeonato em 2007 e o 5º lugar no grupo das campeãs de 2016.

Foi um feito histórico que ficará marcado na mente de todo o povo Brasileiro, no ano nacional Mariano a famosa frase que viralizou  nas redes sociais nos últimos meses e é tema de uma canção do Ministério de Música Colo de Deus “acaso não sabeis que sou da Imaculada” – “acaso não sabeis que 2017 é da imaculada”, vem confirmado que Maria está olhando por todos nós Brasileiros, que Ela intercede sempre pelas nossas necessidades. Podemos dizer com base na frase que 2017 é todo da Imaculada sem sombra de dúvida pois, até no carnaval Ela imperou como Rainha da nossa Nação.

Nota 10 para a cúpula da Igreja que autorizou essa manifestação de fé, cultura e devoção a Virgem Maria Mãe Aparecida – Parabéns a Escola Unidos de Vila Maria, foi um belo e respeitoso desfile. Que pelas mãos de Maria venha o título de Campeã do Carnaval Paulistano 2017.

Aos teus pés vou me curvar, Senhora de aparecida, A prece de amor que nos uniu, Salve a rainha do Brasil – SALVE MARIA !!

Por Bruno Henrique / Gestor do Portal Terra de Santa Cruz

Referências/fontes: http://www.unidosdevilamaria.com.br – Fotos: g1.com