Arquivo da categoria: Artigos do Gestor

Tradição, Fé e Devoção marcaram a semana santa 2017 em Campanha/MG

A Semana Santa começa com o Domingo de Ramos no qual comemoramos a entrada de Jesus em Jerusalém, evento este da vida de Jesus relatado nos quatro evangelhos canônicos (Marcos 11:1, Mateus 21:1-11, Lucas 19:28-44 e João 12:12-19) Esta solene celebração que ocorre no mundo todo pelos cristãos católicos, é um prelúdio das dores e humilhações nas quais Jesus Cristo passara, é partir dela que fomos levados pela liturgia da igreja a caminhar e contemplar os últimos passos de Jesus até sua morte e ressurreição.

Tradicionalmente em Campanha/MG, a abertura da Semana Santa é feita por Sua Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz, bispo da Diocese da Campanha, na Catedral de Santo Antônio.

A Missa Pontifical de abertura da Semana Santa ocorreu pela manhã, no domingo, 09 de abril. Os fiéis se reunirão na Igreja Nossa Senhora das Dores para a bênção de ramos, em seguida todos caminharam em procissão conduzida solenemente pela Banda Marcial Irmão Paulo que abrilhantou a caminhada onde atualizamos a entrada de Jesus em Jerusalém aclamado pelo povo com gritos de “Hosana ao filho de Davi, bendito quem vem em nome do Senhor, Hosana nas alturas”.

DSC04507

DSC04511Ao chegar à Catedral Diocesana de Santo Antônio, Dom Pedro se aproximou da porta principal e com a Cruz processional, a tocou por três vezes dizendo; “Levantai, ó portas, os vossos frontões; abram-se, ó antigos portais, para que entre o Rei da Glória!”. E a porta se abriu… já, no interior da Catedral deu-se continuidade a santa missa, conforme pede a liturgia do dia. Concelebrou com Dom Pedro, o Reverendíssimo Padre Edson Pereira Oliveira, Vigário Paroquial da Campanha e Reitor do Seminário Propedêutico São Pio X.

Pelo anoitecer deste dia, aconteceu à procissão do Triunfo como é chamada pelo povo de nossa cidade, presidida pelo Reverendíssimo Cônego Luzair  Coelho de Abreu, pároco e cura da Catedral da Campanha e chanceler do bispado.

DSC04595

DSC04690.JPG

No decorrer dos dias passamos pelas tradicionais procissões e sermões que enriqueceram nossa mente e coração, mas, acima de tudo a nossa vida de fé. São elas as procissões do Depósito, do Encontro, e da Soledade de Maria, ocorridas na segunda, terça e quarta-feira santa.  Na quarta-feira santa vivemos um dia mais que especial, pois este ano o feriado municipal por ocasião do Nascimento do Beato Francisco de Paula Victor coincidiu com a semana santa e os devotos do beato não deixou de celebra-lo e fazer suas orações ao nosso beato Campanhense, o Pe. Victor. Foi realizada a procissão da penitência para o morro do cruzeiro (Mirante) levando a imagem do beato, mostrando para nós a Cruz do Senhor sinal e símbolo maior da nossa fé. Após a caminhada até o cruzeiro foi realizada a Santa missa presidida pelo Vigário Paroquial Padre Edson Pereira Oliveira.

Este slideshow necessita de JavaScript.

2.JPG

8.JPG

9.JPG

A quinta-feira santa é sempre marcada por duas celebrações importantes.  São elas a Missa dos Santos Óleos (Missa da Unidade Diocesana) e a Missa da Ceia do Senhor popularmente chamada de Missa do Lava Pés (Instituição da Santa Eucaristia) ambas presididas por Sua Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz.

A Missa dos santos óleos também chamada de missa do crisma e da unidade diocesana, consiste em dois pontos fundamentais: a Bênção dos Santos Óleos, que são os óleos do Crisma, dos Enfermos e do Batismo e por fim a Renovação das Promessas Sacerdotais por parte dos sacerdotes diante do Bispo. Foram mais de 120 sacerdotes de várias paróquias, os regulares, os pertencentes a ordens ou congregações, e padres que auxiliam na Semana Santa nas diversas paróquias da diocese da Campanha.  Além do clero, participaram desta celebração, muitos religiosos, seminaristas e agentes de pastorais e movimentos que vieram em caravanas. Como todo ano o bom povo campanhense doaram bolos, roscas, pães e outras quitandas para bem receber os visitantes que vieram para a missa da unidade diocesana.

DSC05347

DSC05349

A missa da Ceia do Senhor (Lava Pés): o termo lava-pés designa o gesto praticado por Jesus Cristo na última Ceia. Momento este em que o sacerdote, assistido por dois ministros, lava o pé direito de 12 homens, clérigos ou seculares. Este ano alguns membros do terço dos Homens foram escolhidos para a representarem os 12 apóstolos por ocasião do ano Mariano que nossa igreja no Brasil está vivendo!

Muito além da liturgia católica, o lava pés foi o evento que marcou a insistência do Senhor Jesus em um dos assuntos mais importantes do seu ministério: O papel dos cristãos e da igreja. O serviço. A humildade. O colocar-se abaixo, considerar uns aos outros superiores a si mesmo.

DSC05483.JPG DSC05432.JPG

DSC05419DSC05426

DSC05502.JPG

Sexta-feira Santa da Paixão do Senhor, o dia começou com a Via-sacra encenada pelos Jovens da Paróquia Santo Antônio. Ao cair da tarde, ás 15h, aconteceu a tradicional Ação Litúrgica onde recordamos o drama imenso da morte de Cristo no Calvário. A cruz erguida sobre o mundo segue de pé como sinal de salvação e de esperança. Neste dia não se celebra a missa em todo o mundo.

P1050369.JPG

O altar é iluminado sem mantel, sem cruz, sem velas nem adornos ficando completamente na penumbra. Esta celebração foi presidida por Sua Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz no qual se prostrou no chão frente ao altar no começo da cerimônia sem calçado como pede o rito litúrgico em sinal de humildade e ao mesmo tempo penitente que implora perdão por seus pecados.  Para esta celebração as cores dos paramentos do bispo como dos padres e ministros da palavra são vermelhas, a cor dos mártires: de Jesus, o primeiro testemunho do amor do Pai e de todos aqueles que, como ele, deu e continua dando sua vida para proclamar a libertação que Deus nos oferece.

P1050390.JPG

P1050393.JPG

Um ato simbólico, mas, muito expressivo e próprio deste dia: a veneração da Santa Cruz apresentada solenemente para os fiéis e é cantando três vezes a aclamação: “Eis o lenho da Cruz, onde esteve pregada a salvação do mundo. Ó VINDE ADOREMOS”, e todos ajoelham uns instantes de cada vez, e então vamos, em procissão, venerar a Cruz pessoalmente, com uma genuflexão (ou inclinação profunda) e um beijo (ou tocando-a com a mão e fazendo o sinal da cruz); enquanto cantamos os louvores ao Cristo na Cruz. Pela noite, um imenso número de pessoas participou da procissão do enterro (Senhor morto) pelas ruas de nossa cidade.

P1050401.JPG

P1050415.JPG

DSC00073

DSC00090

DSC00065

DSC00252.JPG

Por fim, a Vigília Pascal, a mais importante celebração de nossa semana santa (Sábado Santo) que foi presidia pelo nosso Bispo diocesano Dom Pedro Cunha Cruz. A vigília começa após o pôr-do-sol no Sábado Santo fora da igreja, onde o fogo ou fogueira é abençoado pelo celebrante. Este novo fogo simboliza o esplendor do Cristo ressuscitado dissipando as trevas do pecado e da morte. O Círio pascal ou (vela pascal) é abençoado com um rito muito antigo.

A celebração da Vigília pascal articula-se em quatro partes: (ritos) 1) a liturgia da luz; 2) a liturgia da Palavra; 3) a liturgia batismal; 4) a liturgia eucarística.

A liturgia da luz consiste na bênção do fogo, na preparação do círio e na proclamação do louvor pascal. O lume novo e o círio pascal simbolizam a luz da Páscoa, que é Cristo, luz do mundo.

DSC00281  DSC00273

DSC00268

A liturgia da Palavra propõe sete leituras do Antigo Testamento, que recordam as maravilhas de Deus na história da salvação e duas do Novo Testamento, ou seja, o anúncio da Ressurreição segundo os três Evangelhos sinópticos, e a leitura apostólica sobre o Batismo cristão como sacramento da Páscoa de Cristo.

DSC00309.JPG

A liturgia batismal é parte integrante da celebração. Quando não há Batismo, faz-se a bênção da fonte batismal e a renovação das promessas do Batismo. O rito consta, ainda, o canto da ladainha dos santos, a bênção da água, a aspersão de toda a assembleia com a água benta e a oração universal.

DSC00345

DSC00336

A liturgia eucarística é o momento culminante da Vigília, qual sacramento pleno da Páscoa, isto é, a memória do sacrifício da Cruz, a presença de Cristo Ressuscitado, o ápice da Iniciação cristã e o antegozo da Páscoa eterna.

DSC00392

Já no domingo de páscoa como em todos os anos, a procissão da ressurreição acorreu pelas 5h da manhã com grande participação dos fiéis campanhense proclamando o Aleluia, Cristo Ressuscitou e em seguida a Santa Missa na Catedral com a presença do Coral Campanhense.

O Coral Campanhense, mais um ano se fez presente em nossa semana santa, entoando os famosos moteto para cada dia e abrilhantando nossas celebrações litúrgicas nas quais o coral participa solenemente. São 60 anos de história, sempre presente em nossa comunidade paroquial. O coral Catedral também animou nossas celebrações com lindos cantos litúrgicos.

DSC04887.JPG

Por fim agradecemos a todos que de forma direta ou indireta contribuíram para a realização de nossa semana santa 2017 – Deus abençoe a todos!

Fotos e Texto; Por Bruno Henrique Santos 

VEJAM MAIS IMAGENS NOS ÁLBUNS DE FOTOS DA SEMANA SANTA EM NOSSO PERFIL NO FACEBOOK

CONFIRA EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE – HOMILIAS DE DOM PEDRO

Portal Terra de Santa Cruz – A serviço da evangelização 

Missa da Unidade Diocesana: Fiéis lotam a Catedral da Campanha/MG em Celebração do Santo Crisma

Nesta última quinta-feira santa, dia 13 de abril, aconteceu na Catedral Diocesana de Santo Antônio, em Campanha/MG a solene missa do Santo Crisma, presidida por Sua Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz. Concelebrou a mesma, o bispo Emérito Dom Diamantino Prata de Carvalho assim como todo clero diocesano. Nesta celebração o clero renova suas as promessas nas quais fizeram no dia de sua ordenação. Acontece no decorrer da celebração a bênção dos óleos dos enfermos, dos catecúmenos e do Santo Crisma.

Participaram desta solene celebração da unidade diocesana os padres regulares, pertencentes a ordens ou congregações, que auxiliam na Semana Santa nas diversas paróquias da diocese. Além do clero, seminaristas e religiosos também estiveram presentes.

Na missa do crisma, celebramos o nascimento do sacerdócio que é a participação na consagração de Jesus Cristo, o Messias, nosso Senhor e Deus.

DSC05297

Em sua homilia nosso bispo fala diretamente ao clero: Nós presbíteros fomos chamados na Igreja com uma vocação e missão especial, ou seja, amar a Jesus incondicionalmente; ser pastores com Ele, como Ele e por Ele. “Recebemos uma graça especial para sermos pastores santos” (PO 12). Paulo VI já nos levava a questionar ao dizer: “Se és sacerdote, por que não és santo? E, se não és santo, para que és sacerdote?”. Deus dá aos pastores um caminho para santificar-se. Exercendo autêntica e incansavelmente seu ministério no Espírito de Cristo, cada atividade ministerial produz santidade (PO 13). Desta forma, contemplando O Bom Pastor, os ministros ordenados alcançarão o vínculo o vínculo da perfeição sacerdotal que leva à unidade suas vidas e atividades. Imitamos a Cristo em sua entrega e em seu serviço. “É a doação de nós mesmos que mostra o amor de Cristo por seu rebanho, através de nosso modo de pensar e agir, nosso modo de comportar-nos com o povo” (CF PDV 23). A caridade específica de ministros de Deus, não permite tratar mal o rebanho a nós confiado, mas a leva-lo cada vez mais a Deus, como pontes que devemos ser e não muros da discórdia, da divisão, da insensibilidade e até da infâmia. Somos ministros da misericórdia, para além de um ano só que já vivemos dedicados a ela.   

VEJA NO VÍDEO ABAIXO A HOMILIA COMPLETA OU LEIA AQUI

A animação litúrgica (canto) ficou a cargo do coral da Paróquia Sagrado Coração de Jesus de Três Corações/MG – Cotia, contamos a ilustre presença e participação do Coral Campanhense, entoando o Ecce Sacerdos, tradicional canto sacro, composto para a ocasião; e Ó Redemptor, (versão latina) Acolhei, ó Redentor, pelo Missal Romano, durante a procissão dos Santos Óleos.

Dom Pedro Cunha Cruz encerrou a celebração com Bênção Papal, concedida pelo Santo Padre o Papa Francisco. Ao final da celebração, a paróquia Santo Antônio ofereceu aos visitantes um lanche, doado pelos agentes de pastorais e pela população campanhense.

DSC05316

Este slideshow necessita de JavaScript.

Por Bruno Henrique Santos – Gestor do Portal Terra de Santa Cruz

Semana santa 2017

Portal Terra de Santa Cruz – a Serviço da Evangelização

Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor em Campanha/MG

A Semana Santa começa com o Domingo de Ramos no qual comemoramos a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, evento este da vida de Jesus relatado nos quatro evangelhos canônicos (Marcos 11:1, Mateus 21:1-11, Lucas 19:28-44 e João 12:12-19) Esta solene celebração que ocorre no mundo toda pelos cristãos católicos, é um prelúdio das dores e humilhações nas qual Jesus Cristo passou.

Em Campanha/MG, como é de tradição, a abertura da Semana Santa é feita por Sua Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz, bispo diocesano da Diocese da Campanha, na Catedral de Santo Antônio.

O bispo da Santa Sé Episcopal da Campanha-MG celebrou a Missa Pontifical de abertura da Semana Santa 2017 pela manhã deste domingo 09 de abril. Os fiéis se reunirão na Igreja Nossa Senhora das Dores para a bênção de ramos, em seguida todos seguiram em procissão conduzida solenemente pela Banda Marcial Irmão Paulo que abrilhantou a caminhada onde atualizamos a entrada de Jesus em Jerusalém aclamado pelo povo com gritos de “Hosana ao filho de Davi, bendito quem vem em nome Senhor, Hosana nas alturas”.

DSC04507
Ao chegar à Catedral Diocesana de Santo Antônio, Dom Pedro se aproximou da porta principal e com a Cruz processional, a tocou por três vezes “Levantai, ó portas, os vossos frontões; abram-se, ó antigos portais, para que entre o Rei da Glória!”. E a porta se abriu… já, no interior da Catedral deu-se continuidade a santa missa, conforme pede a liturgia do dia. Concelebrou com Dom Pedro, o Reverendíssimo Padre Edson Pereira Oliveira, Vigário Paroquial da Campanha e Reitor do Seminário Propedêutico São Pio X.

DSC04572.JPG

O canto litúrgico ficou a cargo do belíssimo Coral Catedral.

DSC04594.JPGAs celebrações do Domingo de Ramos encerraram-se com a procissão do Nosso Senhor do Triunfo e santa missa na Catedral. Os fiéis da Campanha/MG se reuniram na Igreja do Mártir São Sebastião para bênção de Ramos e procissão com a imagem do Nosso Senhor do Triunfo. Presidiu a solene missa o Reverendíssimo Cônego Luzair Coelho de Abreu, pároco e cura da Catedral. Esta foi à última celebração do dia neste Domingo de Ramos deixando aberta a piedosa e tradicional Semana Santa da Campanha/MG.

Por Bruno Henrique Santos/Gestor do Portal Terra de Santa Cruz

PARA SABER: O SIGNIFICADO DOS RAMOS

Os ramos lembram nosso batismo. Esses ramos significam a vitória: “Hosana ao Filho de Davi: bendito seja o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel; hosana nas alturas”. Os ramos santos nos fazem lembrar que somos batizados, filhos de Deus, membros de Cristo, participantes da Igreja, defensores da fé católica, especialmente nestes tempos difíceis em que esta é desvalorizada e espezinhada. Os ramos sagrados que levamos para nossas casas, após a Missa, lembram-nos de que estamos unidos a Cristo na mesma luta pela salvação do mundo, a luta árdua contra o pecado, um caminho em direção ao Calvário, mas que chegará à Ressurreição.

DSC04600

DSC04595

DSC04659

Portal Terra de Santa Cruz – A serviço da Evagelização

A Cultura abraça a fé: Unidos de Vila Maria brilha no Anhembi com enredo sobre os 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida – Emoção e Fé!

Escola Samba Unidos de Vila Maria de SP lembrou 300 anos da aparição da imagem da padroeira do Brasil e misturou samba com canto religioso em desfile grandioso, solene e emocionante.   A Vila Maria chamou representantes da Igreja Católica para ajudar a desenvolver o enredo. A Igreja ajudou com a pesquisa histórica e pediu que se evitasse a nudez e que o respeito e bom comportamento fossem mantidos, assim a escola de samba fez na avenida, acolheu as orientações da igreja e deu um show a parte uma linda e emocionante homenagem a Nossa Senhora Aparecida.

A rainha de bateria Dani Bolina, por exemplo, usou figurino “comportado”. Foram 3500 componentes e cinco carros na avenida, em uma hora de desfile.

No enredo chamado “Aparecida – a rainha do Brasil: 300 anos de amor e fé no coração do povo brasileiro”, a Vila Maria mostrou os vários milagres atribuídos a ela e a devoção dos seguidores.

A comissão de frente encenou a história da aparição da imagem em 1717, diante de três pescadores. Após acharem a imagem de barro, eles voltaram a jogar a rede no rio. A rede voltou repleta de peixes, diz a história – o primeiro milagre atribuído a ela.

Até a representação de Nossa Senhora na música popular brasileira foi mostrada no enredo “Romaria”, de Renato Teixeira, “Nossa senhora, cuida do meu coração”, de Roberto e Erasmo Carlos e “Negra Mariama”, de Milton Nascimento.

maria 01.jpg

maria-7

vila-maria-alm4768-alan-morici-g1

Confira o enredo e todo seu significado

Ficha Técnica – Enredo 2017

Presidente
Adilson José
Supervisão Geral
Direção de Carnaval
(Demis Roberto e Marcelo Muller)
 
Pesquisa Histórica
Marcelo Muller
 
Argumentação e Desenvolvimento de Enredo
Sidnei França

Desenvolvimento do Enredo

Prece de Abertura – Cântico da Aparição
Aparecida das Águas… Do Caminho de Vila Rica ao Milagre da Fartura… Óh, Virgem Santa!
 
Prece nº 1 – Cântico de Devoção
Nossa Senhora da Conceição Aparecida… No Cortejo da Fé Ardente, Um “Caso de Amor e Devoção”
 
Prece nº 2 – Cântico de Luz
No Percurso da História o Teu Brilho Reluz… A Coroa é de Ouro, o Manto é Azul!
 
Prece nº 3 – Cântico dos Milagres
Nas Súplicas do Povo, o Clamor de Salvação e Liberdade… Milagres da “Mãe Negra”
 
Prece nº 4 – Cântico de Proteção
Embala Nossa Pátria Mãe Gentil… És Consagrada Padroeira… A Rainha do Brasil!
 
Prece nº 5 – Cântico de Paz
No Coração dos Fieis, o Relicário da Paz… 300 Anos de Amor!

Apresentação do Enredo

Todas as vezes que venho ver Aparecida
Venho pensando e tentando entender a imagem pequena,
Maria morena, ferida e alquebrada, no rio jogada, depois encontrada
Escola de fé!
A rede pescou, o povo juntou, de manto a cobriu, da cor do Brasil
E então coroou…
E o pobre e o rico, o branco e o negro, caboclos e índios se deram as mãos
Mil vezes Aparecida!
(Padre Zezinho)

 

Sob a luz do carnaval, o Grêmio Recreativo Cultural Social Escola de Samba Unidos de Vila Maria faz de seu desfile um momento de profunda celebração da fé. Emoção infinita e inesgotável, que embala na procissão do carnaval os divinos mistérios que envolvem um dos maiores símbolos de fé do povo brasileiro.
Um inexplicável sentimento toma conta de toda uma comunidade. Sentimento que floresce, cresce, comove, arrebata e propaga dentre todos os sambistas. Corações se inundam de amor. Almas reluzem na fé. Formada por um povo fiel, devoto e apaixonado, a nossa Escola de Samba faz do samba oração em louvor a ela… A Rainha dos Céus, Mãe dos Homens: Nossa Senhora da Imaculada Conceição Aparecida!
Deixamos a ti – Virgem Santa – a nossa felicidade plena em forma de preces. Preces entoadas por milhares de corações “unidos”, reunidos e guardados por teu manto de amor. Desfilando com o brilho da tua luz, dedicamos a ti o nosso canto mais puro de “amor e devoção”, pois a fé em ti é sublime e inabalável.
Rogai por nós, iluminai teus filhos… Óh, Mãe de Deus!

Avante, com fé… Unidos de Vila Maria


Sinopse do Enredo

“Sempre que o meu pranto rolar
Ponha sobre mim suas mãos
Aumenta minha fé e acalma o meu coração”
(Trecho de “Nossa Senhora”, de Erasmo Carlos e Roberto Carlos)


Prece de Abertura – Cântico da Aparição
Aparecida das Águas… Do Caminho de Vila Rica ao Milagre da Fartura… Óh, Virgem Santa!
Óh! Mãe Aparecida… Vieste a nós!
Pelos Caminhos do Ouro, no Vale do Paraíba, naquele quinhão de terra, rincão do Brasil, tem início uma linda história de fé… A tua história!
Chega ao pequeno vilarejo a notícia de que o Conde de Assumar, Governador da Província de São Paulo e das Minas Geraes, estaria de passagem por ali a caminho de Vila Rica – terra de muito ouro e reluzentes diamantes.
Convocados pelo poder local e iluminados pelos céus, três pescadores seguem a procura de peixes no Rio Paraíba. Desceram o rio e nada conseguiram… Depois de muitas tentativas, eis que um deles lançou a rede nas águas e apanhou o corpo de uma imagem de barro… Era Nossa Senhora da Conceição, sem a cabeça. Lançou novamente a rede e apanhou a cabeça da mesma imagem.
Bendita rede, iluminada trama de humilde ofício!… Dali em diante, peixes chegaram em abundância para aqueles três humildes pescadores… Eis o primeiro milagre… O milagre da fartura!
 
“Aparecida” das Águas… Do Caminho de Vila Rica ao Milagre da Fartura… Óh, Virgem Santa!
 
Prece nº 1 – Cântico da Devoção
Nossa Senhora da Conceição Aparecida… No Cortejo da Fé Ardente, Um “Caso de Amor e Devoção”
Óh! Mãe Aparecida… Espalhaste em nossos corações o teu louvor!
No auge do esplendor barroco do Vale do Paraíba a devoção foi crescendo no meio do povo sofrido e muitas graças foram alcançadas por aqueles que rezavam diante de ti, a santa que “apareceu”… Desde então és tu… “Aparecida”!
De um oratório de família, viraste posse do vigário, foste aberta à visitação pública… Mas foi graças aos bandeirantes e aos tropeiros – que ali faziam suas paragens rumo às riquezas das Geraes – que a fama dos teus poderes extraordinários, Nossa Senhora da Imaculada Conceição “Aparecida”, foi se espalhando pela vastidão desse país menino.
O número de fiéis aumentava a cada dia… A louvação à ti, Mãe Santa, crescia, multiplicava, e número de romeiros só fazia aumentar… Eis no coração do povo a louvação à Rainha dos Céus!
Na peregrinação do povo à Mãe Virgem, os caminhos da fé ardente… Para aquela gente simples e sofrida daquele projeto de nação, foi o alento…
No cortejo da fé ardente, és um “caso de amor e devoção”!
Prece nº 2 – Cântico de Luz
Óh! Virgem… No Percurso da História o Teu Brilho Reluz… A Coroa é de Ouro, o Manto é Azul!
Óh! Mãe Aparecida… Iluminaste este povo com o brilho da fé!
A tua luz foi vista por famosos estrangeiros… A fé misericordiosa em ti ganhou retrato na pintura de Debret… Naturalistas registraram costumes em teu louvor… Saint-Hilaire se encanta ao observar sinais de profunda comoção à tua imagem,
Em tua capela teria rezado Dom Pedro I, pedindo luz e proteção para a mais nobre missão de sua existência: A Independência do Brasil!
Também da nobreza vieram presentes a ti em sinal de agradecimento… Presentes da Princesa Isabel, que dariam a forma definitiva pela qual te tornaria popularmente conhecida: O manto e a coroa!
Surge a Basílica Velha… Através da Estrada de Ferro do Norte, a fé em ti – Nossa Senhora Aparecida – percorre distâncias e arrebata rincões inimagináveis… De fenômeno da fé local, torna-te estandarte da crença do povo brasileiro… És a santa nos trilhos da fé!
Óh! Mãe Amantíssima, no percurso da história o teu brilho reluz… A coroa é de ouro, o teu manto é azul!
Prece nº 3 – Cântico dos Milagres
Nas Súplicas do Povo, o Clamor de Salvação e Liberdade… Milagres da “Mãe Negra”
Óh! Mãe Aparecida… Tem de piedade de nós!
Dia-a-dia, sol a sol… Súplica, gratidão, clamor e fé!
Milhares de fieis percorrem distâncias muito além do que se possa sequer imaginar para a ti pedir, mas também para agradecer… Vem dos quatro cantos do Brasil devotos testemunhando milagres atribuídos à vossa misericórdia… Romeiros em preces clamam: Rogai por nós… Óh! Mãe Santa!
Muitos são teus milagres popularmente reconhecidos… Milagre da onça, testemunho da fé na salvação… Milagre do cavalo preso, exemplo da fé que comove e impulsiona… Milagre das velas, demonstrando a fé persistente que acende a alma… Porém, milagre maior foi o do Negro Zacarias, pois igual a este jamais se viu. Verdadeiro louvor da fé na liberdade. Dádiva divina que serviu de alento e esperança no raiar de um novo tempo… A fé rompeu grilhões!
Para quem clama por ti, Virgem Aparecida, é certa a graça a alcançar, pois a verdadeira fé – absoluta e altaneira – faz sonhar com o fim dos percalços do caminho e acreditar no impossível.
Afinal, nas súplicas do povo o clamor de salvação e liberdade… Os teus milagres são nosso amparo… Milagres da Mãe Negra!
Prece nº 4 – Cântico de Proteção
Embala Nossa Pátria Mãe Gentil… És Consagrada Padroeira… A Rainha do Brasil!
Óh! Mãe Aparecida… Cobriste este país com teu sagrado manto… Olhai por nós!
Desde muito tempo, quando o Brasil sequer sabia o tamanho do Brasil, tua pequena imagem se tornara símbolo da identidade de um povo moreno na pele e rico na fé.
E fora tua divina proteção – materialização de súplicas atendidas – que fizeram com que singela e amorosa figura se perpetuasse na memória e no sentimento da nação, entrando em todos os lares.
Conhecendo intimamente todos os corações brasileiros.
Inestimável a identificação e imensa a confiança do povo em sua santa de devoção, escolhida por corações radiantes de fé, sendo proclamada honrosamente a “Rainha do Brasil”… Porém, clamor maior não poderia haver senão a consagração definitiva: Padroeira!
De lá para cá, batizaste Marias, Aparecidas, Cidos, Cidas e Cidinhas… Culturalmente se faz presente nas telonas dos cinemas, nas telinhas da TV… Abençoaste uma legião de caminhoneiros que percorre as artérias desse país… Nos rodeios, a fé sertaneja exalta a ti, Santa Protetora!
E as canções… Ah! São tantas as canções de fé… Da “romaria de caipira, Pirapora, Nossa Senhora de Aparecida”, dos fieis peregrinos que pedem para cuidar da “sua vida, do seu destino, do seu caminho”… Cuida dos filhos teus!
Orgulhosamente, és tu o símbolo maior dessa pátria mãe gentil… És a nossa Padroeira… A Rainha do Brasil!
Prece nº 5 – Cântico de Paz
No Coração dos Fieis, o Relicário da Paz… 300 Anos de Amor!
Óh! Mãe Aparecida… Zelai por nós e cubra-nos de amor!
Em teu louvor foi consagrada a cidade onde escolheste se tornar “Aparecida”… Um Santuário foi erguido em tua fé… Abrigo do povo, casa de Deus… Cenário da infinita beleza da fé popular.
Virgem Mãe… Cubra de paz esse povo sofrido, sedento de amor, de compaixão e de esperança… Proteja a todos sob teu manto… Cuida daqueles que se curvam diante de sua misericórdia… Relicário da paz!
Hoje, a Unidos de Vila Maria clama pelo futuro desse país menino que ainda aprende a cuidar dos filhos teus… Filhos que esperam por ti… Óh! Mãe de Deus!
Nossa Senhora Aparecida… Tua luz nos guia e aponta o caminho. A ti cantamos em louvor…
São sessenta e cinco minutos em romaria, por 300 anos de amor!
Rogai por nós, óh! Mãe… Amém!
 

Sidnei França: Carnavalesco Unidos de Vila Maria


AGORA CANTE E ESCUTE O ENREDO – UMA VERDADEIRA ORAÇÃO 
Aos teus pés vou me curvar
Senhora de aparecida
A prece de amor que nos uniu
Salve a rainha do BrasilPedi aos céus
Para iluminar essa jornada
Seguir com fé na caminhada
Santa aparecida dessas águas
Fez a nossa rede prosperar
Virgem Conceição Imaculada
Os teus feitos vão se revelar
Num choro incontido
O nó na garganta
A história marcada em devoção
Jóia da princesa pra te coroar
Presente que acalanta o coração

Oh senhora, oh senhora
Reluz teu manto azul bordado em ouro
A benção de viver a tua glória

Milagre
É lindo ver o povo venerando
Pagando promessas em oração
Negra mãe, divina liberdade
Do impossível és a salvação
O cortejo vem te receber
E eu já posso ouvir a cantoria
É gente abraçada a chorar
Vila Maria abraçada vem pedir
Pátria mãe gentil
Não deixa de exaltar a padroeira
Pro bem do meu país
Nos dê a paz bendita e verdadeira

A escola Unidos de Vila Maria é uma das mais tradicionais de São Paulo, criada em 1954. Desde 2002 participou todos os anos do grupo Especial, exceto em 2014, quando foi campeã do Acesso. Sua melhor colocação recente foi o vice-campeonato em 2007 e o 5º lugar no grupo das campeãs de 2016.

Foi um feito histórico que ficará marcado na mente de todo o povo Brasileiro, no ano nacional Mariano a famosa frase que viralizou  nas redes sociais nos últimos meses e é tema de uma canção do Ministério de Música Colo de Deus “acaso não sabeis que sou da Imaculada” – “acaso não sabeis que 2017 é da imaculada”, vem confirmado que Maria está olhando por todos nós Brasileiros, que Ela intercede sempre pelas nossas necessidades. Podemos dizer com base na frase que 2017 é todo da Imaculada sem sombra de dúvida pois, até no carnaval Ela imperou como Rainha da nossa Nação.

Nota 10 para a cúpula da Igreja que autorizou essa manifestação de fé, cultura e devoção a Virgem Maria Mãe Aparecida – Parabéns a Escola Unidos de Vila Maria, foi um belo e respeitoso desfile. Que pelas mãos de Maria venha o título de Campeã do Carnaval Paulistano 2017.

Aos teus pés vou me curvar, Senhora de aparecida, A prece de amor que nos uniu, Salve a rainha do Brasil – SALVE MARIA !!

Por Bruno Henrique / Gestor do Portal Terra de Santa Cruz

Referências/fontes: http://www.unidosdevilamaria.com.br – Fotos: g1.com

Formação da CF2017 – Cultivar e guardar a criação Forania N.Sra das Fontes – Diocese da Campanha/MG

A campanha da fraternidade é realizada todos os anos pela Igreja Católica no Brasil.

A CF 2017 nada mais é do que uma campanha que envolve a comunidade com diversas ações pastorais em todas as regiões do Brasil.

A Campanha da Fraternidade é marcada pelo empenho de todos em favor da solidariedade e fraternidade, sempre abordando temas atuais, que a cada ano propõe uma transformação social e comunitária, seja ela em desafios sociais, econômicos, culturais e até mesmo religiosos, onde toda a população envolvida na Campanha da Fraternidade é convidada a ver, julgar e agir.

Este ano a campanha vem com o tema “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida” e o lema “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2.15).  “Cultivar e guardar nasce da admiração”! A beleza que toma o coração faz com que nos inclinemos com reverência diante da criação e de tudo que Deus criou. A iniciativa alerta para o cuidado da criação, de modo especial dos biomas brasileiros que tem sofrido diversas perdas e tem sido explorada de formas erradas por grandes empresas e sentido fortemente o mau cuidado do ser humano. A natureza clama por socorro, sobrevivência.

Bioma é uma unidade que agrupa diversos organismos de acordo com as condições físicas de um mesmo ambiente, como microclima, solo, altitude, temperatura e umidade. Deste modo, é possível generalizar e encontrar semelhanças em espécies animais e vegetais que habitam um mesmo espaço, mesmo que estas não possuam nenhum parentesco entre si. O termo, que pode ser entendido como um ecossistema em larga escala, foi usado pela primeira vez na década de 1940 pelo ecologista norte-americano Frederic Clementes.

campanha-f-2017-biomas

Diversas dioceses do país inteiro estão realizando formações com base nas diretrizes e texto base da CF2017 lançado pelo CNBB assim levando até as paróquias e comunidades a importância de vivenciar e por em prática a proposta da CF2017. Em nossa Diocese da Campanha, foram realizadas as formações divididas por foranias. Todas as foranias se reuniram no dia 12 de fevereiro (domingo) para apresentar as lideranças das paróquias que compõem cada forania a Campanha da Fraternidade 2017 e sua proposta do cuidar e cultiva a criação.

A forania Nossa Senhora das Fontes se reuniu no Salão Paroquial Santo Antônio em Campanha/MG, a formação ficou a cargo dos membros do GRADI (Grupo de Assessores Diocesano) Mirian de Oliveira Cristiano Nascimento e Antônio Tadeu Pires ambos da paróquia Sagrado Coração de Jesus – Cotia – Três Corações/MG. Estiveram presentes no encontro diversos membros de pastoral e conselhos das paróquias pertencentes à forania Nossa Senhora das Fontes.

A formação foi bastante produtiva abordando a realidade dos biomas brasileiros nos dias atuais e vendo as necessidades de cada região e mostrando os caminhos para uma formação consciente de modo que as pessoas contemplem o meio ambiente de uma forma mais cristã.

Os principais biomas terrestres no Brasil são a Amazônia, o Cerrado, a Mata Atlântica, a Caatinga, os Pampas e Pantanal que juntos ocupam todo território brasileiro. Em nossa diocese destacamos a Mata Atlântica que está em nosso território e foi alvo de debates e rodas de conversas durante a tarde de formação.

Foi colocado em questão o processo de conscientização de nossos padres, leigos, instituições, órgãos públicos e famílias em geral. A ideia é fazer com que todos se envolvam por está causa do cuidado da casa comum e tenham consciência de que é importante o trabalho eficaz de cada um pelo bem e cuidado da “MÃE TERRA”.  A Campanha da Fraternidade sugere que durante a Quaresma, que se inicia na Quarta-feira de Cinzas (um de março), todos cristãos busque viver a experiência de uma espiritualidade franciscana, de modo que se torne uma atitude comum e concreta para a vida humana e terrestre.

14721679_1299540356746363_4839742973252826501_n“São Francisco, o grande defensor do meio ambiente, nos ensina com a sua vida e com seus escritos que a natureza não pode ser manipulada muito menos tratada como objeto de lucro, pelo contrário, a natureza é a nossa irmã, o bioma faz parte do nosso relacionamento fraterno”. Já diz um ditado antigo: Deus perdoa sempre, o Homem às vezes, a Natureza nunca.

Que essa campanha da fraternidade possa ser para nós um incentivo a mudar nossas ações com a natureza que possamos cuidar daquilo que Deus nos deu e que acima de tudo, o nosso coração esteja voltado à graça do Pai nesta quaresma, tempo propício para mudança de vida, hábitos e uma profunda conversão ao evangelho de Jesus Cristo e uma consciência ampla sobre o cuidado das coisas de Deus.

Agradecemos os membros do GRADI que se colocaram disposição para passar a formação sobre a CF2017.

Conheça a NATUREZA E MISSÃO DO GRADI: O GRADI é o Grupo de Assessores Diocesanos e, como tal, assessora a Coordenação Diocesana de Pastoral na sua missão própria. Como grupo de assessoria tem natureza consultiva. Sua missão é colaborar com a Coordenação Diocesana de Pastoral na reflexão e na formação e dinamização pastoral da Diocese, falando em seu nome e transmitindo o seu pensamento.

Texto de Bruno Henrique Santos/Gestor do Portal Terra de Santa Cruz 

FOTOS: Miriam de Oliveira Cristiano Nascimento – (GRADI)

CONHEÇA O HINO DA CF2017

https://youtu.be/Ja693wVcyjQ?t=106

O hino da Campanha da Fraternidade 2017 foi escrito pelo Padre José Antônio de Oliveira e música de Wanderson Luiz Freitas.
Acesse: http://www.campanhadafraternidade2017… e saiba mais .

Segue a letra do hino abaixo.

01 – Louvado seja, ó Senhor, pela mãe terra,
que nos acolhe, nos alegra e dá o pão (cf. LS, n.1)
Queremos ser os teus parceiros na tarefa
de “cultivar e bem guardar a criação.”

Refrão:
Da Amazônia até os Pampas,
do Cerrado aos Manguezais,

chegue a ti o nosso canto
pela vida e pela paz (2x)

02 – Vendo a riqueza dos biomas que criaste,
feliz disseste: tudo é belo, tudo é bom!
E pra cuidar a tua obra nos chamaste
a preservar e cultivar tão grande dom (cf. Gn 1-2).

03 – Por toda a costa do país espalhas vida;
São muitos rostos – da Caatinga ao Pantanal:
Negros e índios, camponeses: gente linda,
lutando juntos por um mundo mais igual.

04 – Senhor, agora nos conduzes ao deserto
e, então nos falas, com carinho, ao coração (cf. Os 2.16),
pra nos mostrar que somos povos tão diversos,
mas um só Deus nos faz pulsar o coração.

05 – Se contemplamos essa “mãe” com reverência,
não com olhares de ganância ou ambição,
o consumismo, o desperdício, a indiferença
se tornam luta, compromisso e proteção (cf LS, n.207).

06 – Que entre nós cresça uma nova ecologia (cf LS, cap.IV),
onde a pessoa, a natureza, a vida, enfim,
possam cantar na mais perfeita sinfonia
ao Criador que faz da terra o seu jardim.

PORTAL TERRA DE SANTA CRUZ – A SERVIÇO DA EVANGELIZAÇÃO

O BRASIL PRECISA DE DEUS – Misericórdia Senhor!

Hoje eu vimos nos noticiários que uma Mãe junto com seu marido matou o próprio filho, no caso o marido era padrasto do menino. O rapaz era gay e foi morto a facadas e teve seu corpo queimado em um canavial. Simplesmente por ser gay. (Confira a notícia – www.diariodaregião.com.br)
 
Uma mãe fazer isso meu Deus. Onde vamos parar? Não consigo aceitar, isso é demais, não importa o que rapaz era, a vida dele era mais importante, não se pode decidir o fim da vida de alguém, esse direito é somente de Deus. O que dizer dos massacres nas penitenciárias? O que dizer dos inúmeros assaltos seguidos de mortes de inocentes? O que dizer de tanta maldade no coração do ser humano? Como falta Deus para pessoas assim.
 
Tem faltado amor nas pessoas, tem faltado acima de tudo, DEUS no coração desse povo eu fico vendo os noticiários e fico espantado com tantas barbarias acontecendo. Violências gratuitas, pessoas inocentes morrendo, a que nível de intolerância nosso País chegou? As leis não funcionam tudo é motivo para brigas, confusões e mortes. Estamos vivendo em uma verdadeira guerra.
 
Muitas vezes voltamos o nosso olhar para as guerras na Síria e outros países, compadecemo-nos por eles, mas, deixamos de olhar o que está ao nosso redor perto de nós, no nosso país.
 
Aqui vivemos em meio à guerra do tráfico de drogas, quantos jovens e adolescentes se enveredando para este caminho errado. Vivemos em meio à guerra da corrupção, políticos que assolam o povo brasileiro com suas malandragens, pessoas que deveriam estar defendendo os direitos da nação, cuidando e preservando nossa história, olhando com carinho para nossa educação e saúde pessoas que nós colocamos no poder e que hoje fazem do Brasil uma verdadeira sujeira espalhada de fora a fora chamada CORRUPÇÃO. Vivemos na guerra da intolerância, do racismo, do preconceito da falta de respeito. Temos até um congresso que virou palácio de “HERODES”, pois agora querem matar bebês. São tantos absurdos que para pessoas de bem é difícil de acreditar.
 
Penso que a maior guerra de todas, é a da falta de amor entra as pessoas e a disseminação do ódio.
 
Precisamos de Deus, pois, vejo um “povo” que está desnorteado, desequilibrado emocionalmente, espiritualmente e fisicamente. Um “povo” sem fé, que ainda não se encontrou, não conhece a si próprio e que tem uma carga emocional muito grande nas costas. Perderam-se os valores, a compostura, o diálogo, o contato amoroso.
 
Como eu fico feliz quando vejo pessoas se amando sejam elas quem for, pois isto é sinal de que ainda há esperança para nosso mundo em especial nosso país. Vamos amar mais minha gente. O mundo precisa de amor e não ódio, de mais compreensão e não de intolerâncias, de mais respeito e nenhum preconceito, de mais educação, formação e não exclusão.
 
Precisamos ter Fé, não interessa a crença, desde que seja para o bem de si e de todos. Buscar Deus constantemente é o mais importante, acreditar e confiar em sua misericórdia sempre, e esperar Nele, no amor D’ele que é infinito por nós.
 
Que Deus tenha misericórdia de cada inocente que morre no Brasil e no mundo e de cada pessoa que comete tais atrocidades, pois são pessoas que não viu, não sentiu, e não conheceu a Deus.
Peço a Deus por dias melhores.
Por Bruno Henrique / Gestor do Portal Terra de Santa Cruz 

Inauguração e Bênção do Caminho de Fé Beatos Nhá Chica e Pe. Victor em Campanha/MG

Neste dia 22 de Dezembro do ano de 2016, foi inaugurado em Campanha/MG no morro do Cruzeiro o Caminho de Oração Beata Nhá Chica e Beato Pe. Victor. A Rua Monsenhor Osório, subida para o morro do cruzeiro foi toda pavimentada e marcada com as 15 estações da via-sacra, um caminho lindo de fé e oração para os devotos dos referidos beatos rezarem e fazerem seus pedidos a Deus por intermédio de nossos queridos beatos.

Assim também foi inaugurado o mirante do cruzeiro, mais um local de lazer para o povo Campanhense, mas acima de tudo um local de Oração.

Iniciativa partiu do Poder Legislativo e Executivo da Cidade da Campanha sob orientações e aprovação do Bispo Diocesano da Campanha Dom Pedro Cunha Cruz, o Pároco e Cura da Catedral de Santo Antônio Cônego Luzair Coelho de Abreu e do Vigário Paroquial da Campanha o Reverendíssimo Pe. Edson Pereira Oliveira, cuja bênção do local foi realizada pelo mesmo com a presença do Diácono Clayton.

A cerimônia deu-se início  às 18hs da tarde desta quinta-feira (22/12) com presença dos representantes do poder legislativo e executivo que ambos tiveram seus momentos de fala e colocações importantes. Pe. Edson abençoou as imagens do Beato Pe. Victor e Nhá Chica após o descerramento das placas de ambos os monumentos.

A igreja e o povo da Campanha muito se alegram com esta iniciativa. Rezemos para que o povo seja cada vez mais fiel à intercessão de nossos beatos nesta terra de Santa Cruz.

Deus abençoe a todos que colaboraram de forma direta ou indireta para que esteja iniciativa e homenagem se realizasse.

Beata Nhá Chica e Beato Pe. Victor Rogai por nós!

Texto e Fotos  por Bruno Henrique – Gestor do Portal Terra de Santa Cruz 

VEJA MAIS FOTOS EM NOSSO PERFIL NO FACEBOOK

Portal Terra de Santa Cruz – A serviço da Evangelização

 

Reconhecimento Canônico dos restos mortais do Servo de Deus Dom Othon Motta e instalação do Tribunal para causa de Beatificação – Catedral da Campanha/MG

Dia histórico e emocionante para o povo Campanhense e toda Diocese da Campanha.

Aos cinco dias do mês de Novembro do ano de 2016, aconteceu  na Catedral Diocesana da Campanha, às 10h da manhã, sábado, o reconhecimento Canônico dos Restos Mortais do Servo de Deus Dom Othon Motta (3º Bispo Diocesano da Campanha de 1960 a 1985), e instalação do Tribunal para a Causa de Beatificação.

Os atos solenes se deram com o início da Santa Missa presidida por Vossa Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz, bispo diocesano da Campanha. Concelebraram esta santa eucaristia, a Vossa Excelência Reverendíssima Dom Diamantino Prata de Carvalho, bispo emérito da diocese da Campanha, o Reverendíssimo Cônego Luzair Coelho de Abreu, chanceler do bispado, pároco e cura da Catedral de Santo Antônio da Campanha, o Reverendíssimo Padre Bruno Cesar Dias Graciano, promotor da Causa do Servo de Deus Dom Othon Motta e pároco na Paróquia São Lourenço Mártir em São Lourenço/MG, entre outros presbíteros, diáconos, seminaristas e religiosas(os).

Cerimônia realizada na Catedral da Campanha, faz parte da primeira fase do processo de beatificação do Servo de Deus. Em sua homilia Vª Exª Reverendíssima Dom Pedro C. relata um pouco da Vida de Dom Othon, sua humildade, seu desprendimento das coisas matérias, sua preocupação com os mais necessitados e o grande pastor que Dom Othon foi.

Confira no vídeo abaixo a homilia completa :

      Os restos mortais de Dom Othon Motta foram exumados há uma semana em uma cerimônia fechada. Neste sábado(05), a igreja apresentou aos fiéis os restos mortais do servo de Deus fazendo o reconhecimento canônico e instalação do tribunal para a causa de beatificação.  A ata da cerimônia foi lida pelo chanceler do bispado, o Reverendo Cônego Luzair Coelho de Abreu e em seguida foi colocada junto aos restos mortais de Dom Othon Motta.  Feito o simulacro pelo postulador da causa dos Santos em Roma, o Sr. Paolo Villota , deu-se início a transladação dos restos mortais para a urna fixada no interior da Catedral, onde os  fiéis poderão realizarem suas orações e veneração.

Confira o momento do simulacro e transladação dos restos mortais do Servo de Deus Dom Othon Motta

      Sendo essa a primeira fase do processo de Dom Othon Motta, neste mesmo dia após a Santa Missa e translado da urna, todos os presentes na igreja participaram da Instalação do Tribunal para a Causa de Beatificação.  Esse tribunal vai se ocupar de entrevistar das testemunhas que conheceram o servo de Deus. Vai procurar fotos, pertences e histórias sobre Dom Othon Motta. Estarão conhecendo a família e toda a vida dele e sobre tudo as virtudes do Servo de Deus. O Memorial para Dom Othon Motta já foi inaugurado em Campanha e funciona das 14h às 16h de segunda à sexta-feira e aos sábados e domingos das 09h30m às 11h30m. Rua João Luiz Alves 116 – Centro.

Dom Othon nasceu da cidade de Santa Cruz, no Rio de Janeiro a 12 de maio de 1913. Ordenado sacerdote em 12 de janeiro de 1936, sagrado Bispo em 24 de maio de 1953, chegou à cidade da Campanha em 15 de setembro de 1959 para ser Bispo Coadjutor de Dom Frei Inocêncio Engelke OFM (1935- 1960), com direito a sucessão.  Em 1960 tornou-se bispo titular da Diocese da Campanha. Ficou como bispo da Campanha até ano de 1982, quando tornara-se emérito por motivo de saúde. Faleceu, em 4 janeiro de 1985, aos 72 anos.

Dom Othon, o homem humilde,  desprendido,  muito culto e inteligente e, mais do que isso, muito virtuoso.”  já era reverenciado entre os fiéis, morreu com fama de santidade.  Ele  sempre foi lembrado por todos aqueles que o conheceram. Em junho deste ano o vaticano deu início ao processo de beatificação. Sua vida fora marcada “Nos vínculos da Caridade”, conforme seu lema episcopal, foi de suma importância para apascentar e governar nossa Diocese num período de mudanças profundas na Igreja e no mundo.

Cabe a nós fiéis e devotos, rezarmos para que, em breve possamos ver o Servo de Deus Dom Othon Motta, entre os beatos e tão logo entre os Santos de nossa igreja.

VEJA TODAS AS FOTOS EM NOSSOS ÁLBUNS NO FACEBOOK -> Álbum 1 e álbum 2

“Um Santo não morre. No Céu, Dom Othon, que reza por sua saudosa Diocese, ora também por mim…”, escreveu por ocasião do centenário de nascimento de Dom Othon, o Bispo emérito de Taubaté Dom Antônio Afonso de Miranda SDN, que fora Aministrador Apostólico de 1977 – 1981.

SERVO DE DEUS DOM OTHON MOTTA ROGAI POR NÓS!

Por Bruno Henrique/ Gestor do Portal Terra de Santa Cruz 

Portal Terra de Santa Cruz – A serviço da evangelização

Jornada da Misericórdia – Forania Nossa Senhora das Fontes Campanha-MG

Jornada da Misericórdia – Forania Nossa Senhora das Fontes Campanha-MG

No ultimo domingo 30/10, aconteceu na Catedral Diocesana da Campanha, a “Jornada da Misericórdia” com a presença do Apostolado da Oração e MESC (Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão) das paróquias que compõem a Forania Nossa Senhora das Fontes. Essa foi a última jornada de cinco já realizadas com as outras foranias da diocese da Campanha.

A jornada tem como objetivo, a peregrinação a Porta Santa, a Santa Eucaristia e a meditação sobre o Sacramento da Misericórdia. Estiveram presentes cerca de 600 pessoas, todos do Apostolado da Oração e MESC.

O evento começou por volta das 13h da tarde com acolhida das caravanas de cada paróquia da Forania Nossa Senhora das Fontes. Foi realizada uma meditação sobre a “Misericórdia de Deus, como projeto de Vida”, a passagem pela Porta Santa e a Hora Santa com adoração ao Santíssimo Sacramento conduzida pelo Reverendíssimo Pe. Carlos Ribeiro Natali, assessor diocesano do MESC, Pároco na Paróquia São Sebastião – Passa Quatro/MG e pelo Diácono Jean Steferson, assessor diocesano do Apostolado da Oração, diácono em transição na Paróquia Nossa Senhora das Dores – Boa Esperança/MG.

As 16h, o evento se encerrou com a Santa Missa presidida por Vossa Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz, bispo diocesano da Campanha. Concelebrou esta Santa Eucaristia o Reverendíssimo Cônego Pe. Luzair Coelho de Abreu, Chanceler do bispado, pároco e cura da Catedral de Santo Antônio, bem como o Reverendo Pe. Carlos Ribeiro N. e o Diácono Jean S.

Após a Santa Missa todos se dirigiram ao Centro Comunitário Santo Antônio (FHUADÃO) para uma confraternização .

Escrito por Bruno Henrique Santos, gestor do Portal Terra de Santa Cruz – Campanha-MG

Algumas fotos -> Veja o álbum completo em nosso perfil no facebook 

PORTAL TERRA DE SANTA CRUZ – A SERVIÇO DA EVANGELIZAÇÃO

SEMANA PAROQUIAL DA MISERICÓRDIA 2016 – Campanha/MG “Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso” (Lc 6,36).

Aconteceu entre os dias 17 e 22 de outubro, a Semana Paroquial da Misericórdia, promovida pelos Apóstolos Eucarísticos da Divina Misericórdia da Paróquia Santo Antônio da Campanha.

O evento trouxe como tema central “Misericórdia e Justiça no cuidado da Casa Comum”, escolhido por ocasião do Ano Santo da Misericórdia e a Campanha da Fraternidade 2016, que nos convida a refletir sobre o cuidado da Casa Comum com base na Encíclica Laudato Si (Louvado Sejas) escrita recentemente pelo Santo Padre, o Papa Francisco, que nos exorta a colocar como obra de misericórdia, o cuidado da criação.

Desde o princípio, a justiça social (Êx22:21-23;23:2-9; Lv 19:10; Pv 14:31; 29:7) fez parte das leis de Deus e de seu ideal para seu povo. A justiça social é a intenção original de Deus para a sociedade humana: um mundo em que as necessidades básicas são satisfeitas, as pessoas prosperem e a paz reine.

Durante toda semana vários temas foram abordados, que nos levaram à compreender um pouco mais a Misericórdia e a Justiça de Deus, o cuidado com a Casa Comum, sendo a primeira casa o nosso coração.

Ministraram palestras os Reverendíssimos Padres Rogério Ferreira da Silva, Carlos Henrique Machado Paiva, Reginaldo Sebastião Oliveira e o Cônego Luzair Coelho de Abreu. Ainda, houve debates e rodas de conversas sobre Ano Santo da Misericórdia ministrado pelo Irmão Augusto Cezar, da Congregação dos Irmãos do Sagrado Coração e o Seminarista Vinícius Thiago Amaral.

No primeiro momento refletimos sobre o tema “Cuidado da Casa Comum como Obra de Misericórdia”; sobre isso, nos orienta o Santo Padre, Papa Francisco, “É preciso que tenhamos como obra de misericórdia espiritual “a grata contemplação do mundo” e a corporal, os “simples gestos quotidianos” que permitem quebrar “a lógica da violência, da exploração, do egoísmo”.

No Jubileu da Misericórdia, Ano Santo Extraordinário que acontece até o dia 20 de novembro de 2016, nos propomos a reconhecer os pecados que cometemos contra a criação, para que seja possível “dar passos concretos no caminho da conversão ecológica”.

Em uma de suas várias mensagens o Santo Padre, Papa Francisco, nos ensina: “Habitados por tal arrependimento, podemos confessar os nossos pecados contra o Criador, contra a criação, contra os nossos irmãos e irmãs”, ou seja, podemos e temos condições de cuidar da nossa casa comum, buscando diariamente a conversão, o perdão, a boa convivência com os outros e acima de tudo cuidar de nós mesmos, entendendo que somos limitados e pecadores, e assim saber que onde Deus faz morada, onde Deus revela sua face e a beleza da criação, tudo isso começa em nós e por nós. Toda a Criação é bela, seja mineral, vegetal ou animal; e tudo foi feito para o homem. “O homem é a única criatura que Deus quis por si mesma” (GS, 24). Tudo é fruto da misericórdia divina: “Os Céus e a Terra proclamam a Vossa glória!

Refletimos a Misericórdia e a Justiça como marcas do povo de Deus, como atributo máximo da nossa salvação e como bem comum dado por Deus a nós. Misericórdia é quando a miséria do outro nos toca profundamente, é quando temos a capacidade de trazermos o outro para dentro de nós mesmos; quando o nosso coração é mísero, aberto e despojado, temos a possibilidade de acolher as outras pessoas dentro dele e sermos misericordiosos para com eles.

A Justiça é dar a cada um aquilo que lhe é devido. A justiça de Deus não é a mesma que humanamente conhecemos, aquelas que estão ligadas ao cumprimento da lei. Quando passamos a pensar em justiça de Deus, compreendemos que, o seu fundamento é o amor e é a partir do amor de Deus que seremos julgados, assim como diz São João da Cruz “no anoitecer da vida, seremos julgados pelo amor”.

Não podemos e nem devemos falar de misericórdia e justiça separados. No coração de Deus a misericórdia abrange a justiça, mas não se submete às leis e julgamentos humanos, é superior, pois, vem de um Deus que é misericordioso e que a pratica, baseada no amor em plenitude.

Dentre outras, refletimos sobre a parábola do Pai Misericordioso (O Filho Pródigo – Lucas 15,1-3. 11-31). Essa parábola vem como uma história que nos mostra as imagens e figuras concretas, de um Pai que é pura misericórdia e de um o filho que além de pedir sua parte da herança, corta relações com o seu pai e sai de casa, gasta todo o dinheiro que recebeu sem qualquer escrúpulo, e com isso perdeu sua dignidade e o que ele acreditava ser importante: o dinheiro. Com o passar do tempo, lembrou que os empregados do pai comiam com fartura, mas ele, naquele momento precisava ao menos da comida que alimentava os porcos para sobreviver.

Nesse estado miserável, de pecado e dor que o filho se encontrava, não resistiu e decidiu voltar pra casa de seu Pai e esse Pai o esperava todos os dias. Quando o filho chegou, seu pai o avistou de longe e foi logo ao seu encontro, e ouviu seu filho: “Pai, pequei contra o Céu e contra ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados”. E o pai cheio de amor e compaixão apenas o cobriu de beijos, o abraçou e disse aos seus empregados: “Trazei depressa a melhor túnica e vista-lhe, dai-lhe um anel para o dedo e sandálias para os pés. Trazei o vitelo gordo e matai-o; vamos fazer um banquete e alegrar-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi encontrado” (Lucas 15, 11-31).

O Pai poderia ter dado ao filho uma bronca, talvez nem o aceitar de volta, porém, o pai agiu como um verdadeiro pai misericordioso, cobriu-o de beijos, devolveu a ele a dignidade, a vida novamente e mostrou ao filho que seu amor por ele era imenso.

É dessa forma que Deus age, Ele nos acolhe, nos abraça, se enche de compaixão por nós e vem ao nosso encontro e nos pede para ficarmos junto d’Ele. Sua Misericórdia nos é revelada todos os dias… muito ele tem a nos dar pois sua misericórdia é infinita.

A misericórdia de Deus é o atributo máximo da nossa salvação, e quando falamos em salvação, para consegui-la, não basta ter fé. Nós precisamos mostrar essa fé em nossa casa, testemunhá-la e vivenciá-la (Atos 4:10, 12; Romanos 10:9, 10; Hebreus 5:9). A salvação não depende de nós. A salvação é dom de Deus (Efésios 2:8, 9). Que possamos abrir o nosso coração e acolher a salvação que Deus oferece incessantemente a nós pecadores.

            O nome de Deus é misericórdia: com esse pensamento, o Papa Francisco iniciou a Bula de Proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia. Desta forma, aprendemos que é possível ver, sentir e ser tocado pela Misericórdia, pois em todas as ações de Jesus vemos a misericórdia do Pai. A misericórdia é o caminho de união entre Deus e o homem, é sempre assim que Deus vem ao nosso encontro, através da misericórdia, vemos toda manifestação do amor de Deus.

Quando falamos em Ano da Misericórdia, entendemos que, de maneira muito especial, Deus vem manifestar todo seu amor como sempre o faz, porém, de maneira ainda mais intensa, forte e precisa, pois Ele estará derramando seu manancial de amor e misericórdia abundantemente sobre todo o seu povo.

Nesse ano que estamos vivendo, somos convidados a conhecer mais sobre este poder da misericórdia de Deus que tudo vence, enche o coração de amor e consola com o perdão.

Quando olhamos para algumas realidades desse tempo, vemos o quanto é necessário repetir o que São João Paulo II dizia: “Há uma urgência de anunciar e testemunhar a misericórdia de Deus. (…) É tempo de regresso ao essencial, para cuidar das fraquezas e dificuldades dos nossos irmãos. O perdão é uma força que ressuscita para nova vida e infunde a coragem para olhar o futuro com esperança”. Precisamos levar muitos irmãos a se encontrarem com a misericórdia, viver e sentir de verdade todo esse amor infinito que vem de Deus, mesmo sendo eu, você, miseráveis pecadores, é a nós que Ele quer atingir com os raios de sua misericórdia .

A Semana Paroquial da Misericórdia 2016 encerrou-se com a Santa Missa às 18h30m na Catedral de Santo Antônio, dia de São João Paulo II. A celebração foi presidida pelo Reverendíssimo Cônego Luzair Coelho de Abreu, Pároco e Cura da Catedral da Campanha.

Por fim, no dia 23/10 (domingo) aconteceu a Peregrinação pelos locais santos de nossa cidade, selando toda semana de formação e oração que vivemos. A peregrinação iniciou-se Cruzeiro localizado na Praça Zoroastro de Oliveira, passando pelas Igrejas de Nossa Senhora das Dores, São Sebastião, Oratório do Lar Vicentino, Cemitério Municipal, Capela São Miguel Arcanjo, Memorial Servo de Deus Dom Othon Motta, no qual rezamos pela sua santificação, encerrando a peregrinação na Catedral, onde todos os peregrinos puderam passar pela Porta Santa da Misericórdia, participar da Santa Missa, realizando assim todos os passos para se alcançar as indulgências do Ano Santo da Misericórdia.

Por Bruno Henrique Santos – Coordenador dos Apóstolos Eucarísticos da Divina Misericórdia e Gestor do Portal Terra de Santa Cruz  – Paróquia Santo Antônio – Campanha/MG

Veja todos as fotos no álbum da Paróquia Santo Antônio – Campanha

Portal Terra de Santa Cruz – A serviço da Evangelização 

DNJ 2016: Cerca de 4mil Jovens celebram a Misericórdia de Deus em Três Corações-MG/Diocese da Campanha

Neste último domingo 23/10 a Juventude da Diocese da Campanha celebrou o Dia Nacional da Juventude (DNJ) no ginásio Pelezão em Três Corações/MG

Com mais de 4 mil jovens, o DNJ 2016 teve como tema “Aqui também mora a Misericórdia de Deus”, tema este que vem em comunhão com o Ano Jubilar da Misericórdia que estamos vivendo, uma verdadeira oportunidade de celebrar e meditar as misericórdias de Deus em nossas vidas.  Jovens de várias paróquias da Diocese da Campanha estiveram presentes no evento, são jovens do EAC, EJC, e da RCC e de outros movimentos e pastorais.

O Dia Nacional da Juventude (DNJ) surgiu em 1985, durante o Ano Internacional da Juventude, promovido pela Organização das Nações Unidas. Estava evidente que a juventude precisava mobilizar-se e construir espaços de participação, para pensar e repensar uma nova sociedade. Todos os anos organiza-se um dia de festa da juventude, sempre com um tema importante a ser debatido e trabalhado com grupos.

 

O DNJ é o principal evento do Setor Juventude da Diocese da Campanha e assim acontece em todo o país, em todos os estados. Ele tem a  intenção de promover o protagonismo juvenil, defender a vida da juventude, anunciar sinais de vida e denunciar sinais de morte.

Neste evento todos são chamados a viver verdadeiramente um encontro com Deus. Foi realizado shows, palestras, teatro, adoração e Missa, tudo para levar e mostrar ao Jovem que ele pode ser feliz sem precisar atrever-se por caminhos tortuosos que não agradam o coração de Deus e não os fazem bem. Equipes de organização foram montadas para bem receber os jovens desde o começo até o fim do evento.

A Santa Missa foi presidida por Vossa Excelência Reverendíssima Dom Pedro Cunha Cruz, bispo diocesano da Campanha, concelebraram a santa Eucaristia, padres e diáconos entre eles o assessor diocesano do Setor Juventude, o Reverendíssimo Pe. Aylton Marcos de Jesus Santos que esteve a frente da organização do DNJ2016.  Os seminaristas das casas de formação Propedêutica, Filosófica e Teológica estiveram presentes participando das atividades do dia ao decorrer do evento.

Foi um dia de muitas bênçãos e reflexões, animação e diversão, música e acima de tudo, muita oração. Aos organizadores do DNJ2016, deixamos aqui o nosso abraço e que Deus abençoe a todos que se dispuseram a ajudar e preparar este grande Dia Nacional da Juventude na Diocese da Campanha.

DNJ SOMOS MAIS QUE JUVENTUDE  – CONFIRA ALGUMAS FOTOS 

14590247_884566391644403_8252190198117818935_n

Fotos: Maria Aparecida Andrade Anézio – Três Corações/MG 

Escrito por Bruno Henrique/Campanha-MG 

 

 

Exaltação da Santa Cruz – Bendita seja Cruz, o amor por ela se revelou

Símbolo revelador da vitória de Jesus sobre o pecado, a morte e o demônio; também na Cruz encontramos o maior sinal do amor de Deus

Temos a Santa Cruz como símbolo maior de nosso portal que, leva o nome também de Santa Cruz, a cruz é o caminho que leva ao Pai. Nós somos a Igreja da cruz, por isso a exaltamos.  Não existe mais barreira entre nós, por ela o véu do templo rasgou-se e amor por ela se revelou.

A festa de hoje pode parecer contraditória, principalmente aos olhos dos críticos da Igreja e do Cristão.  Como podemos “exaltar” o instrumento da morte de um inocente? O Apóstolo Paulo, no início da era cristã já dizia que a cruz é uma loucura para os pagãos, mas para nós é o sinal da vitória. Jesus venceu a cruz. Por isso ela se tornou bandeira de salvação. Agora é ponte. Era cruz… agora é luz.

No unimos com a igreja do mundo todo para exaltar a Santa Cruz, que é fonte de santidade e símbolo revelador da vitória de Jesus sobre o pecado, a morte e o demônio; também na Cruz encontramos o maior sinal do amor de Deus, por isso : “Nós, porém, pregamos um Messias crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os pagãos ” (I Cor 1,23).

Esta solenidade está ligada à dedicação de duas importantes basílicas construídas em Jerusalém por ordem de Constantino, filho de Santa Helena. Uma, construída sobre o Monte do Gólgota e outra, no lugar em que Cristo Jesus foi sepultado e ressuscitado pelo poder de Deus. A dedicação destas duas basílicas remonta ao ano 335, quando a Santa Cruz foi exaltada ou apresentada aos fiéis. Encontrada por Santa Helena, foi roubada pelos persas e resgatada pelo imperador Heráclio.

Graças a Deus a Cruz está guardada na tradição e no coração de cada verdadeiro cristão, a cruz está presente em nossas vidas no momento em que decidimos seguir Jesus.

O evangelho de Marcos 8, 27-35 nos apresenta o diálogo de Jesus com Pedro sobre quem era Jesus para ele e para os outros e o que fazer para segui-lo. Neste diálogo, Jesus nos deixa claro e é direto quando diz “Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. Pois, quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; mas, quem perder a sua vida por causa de mim e do Evangelho, vai salvá-la”. Sabemos por tanto que se quisermos segui-lo temos que tomar a cruz, carrega-la e suportar o fardo como Jesus suportou até o fim tornando-a o maior símbolo da fé cristã e a nossa salvação.

Humilhou-se a si mesmo, fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz” (Fl 2, 8).  Não podemos esquecer que a cruz pela cruz não salva ninguém, a cruz por tempos, foi um símbolo de castigo cruel e desumano imposto pelo império romano naquela época ainda antes e depois de Cristo esse modelo de castigo perpetuou por longos anos a frente era pena de morte para os piores criminosos. Engraçado dizer isso ” piores criminosos”, ficamos a perguntar que crime Jesus cometeu o que de ruim ele fez para merecer tamanho castigo?  Ele não fez nada, nós seres humanos fizemos e muito, por nossos pecados Jesus morreu, pela inveja do ser humano, por defender os humildes, por obedecer até o fim o seu Pai . Mas o Pai quis Seu filho morto numa cruz? Não! O Pai quis que Seu Filho assumisse plenamente a nossa humanidade e fosse capaz de nos redimir por ela.  

O Cristo transformou o que há de mais negativo, ruim, miserável  na humanidade toda, na mais pura benção que podemos ganhar do céu. Jesus pregado e morto na cruz por nossos pecados é a prova maior do tamanho do amor de Deus por nós e que ele chega ao extremo para salvar e proteger a humanidade .

Por fim a Igreja nos convida a rezarmos no dia de hoje está oração: “Do Rei avança o estandarte, fulge o mistério da Cruz, onde por nós suspenso o autor da vida, Jesus. Do lado morto de Cristo, ao golpe que lhe vibravam, para lavar meu pecado o sangue e a água jorravam. Árvore esplêndida bela de rubra púrpura ornada dos santos membros tocar digna só tu foste achada”. “Viva Jesus! Viva a Santa Cruz!”

“Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, para que todos os que nEle crerem tenham a vida eterna” (Jo 3,14-15)

Oração da Exaltação da Cruz de Cristo 

Salva, Senhor, teu povo e abençoa a tua herança;
concede à Tua Igreja vitória sobre os inimigos
e protege, pela tua Cruz, este povo que é teu.

Cristo Deus, que voluntariamente foste levantado na Cruz,
tem compaixão do teu povo que traz o teu nome.
Alegra, pelo teu poder, os nossos fiéis governantes,
dando-lhes a vitória sobre os inimigos:
encontrem na tua aliança
uma arma de paz, um troféu invencível.”

A Cruz exaltada convida toda a criação
a cantar hinos à paixão imaculada
daquele que sobre ela foi erguido:
sobre a Cruz ele levou à morte
quem nos tinha dado a morte,
ressuscitou os mortos
e, tendo-os purificado,
em sua compaixão e infinita bondade
os fez dignos de viver nos céus;
alegremo-nos, pois, exaltemos seu nome
e magnifiquemos a sua extrema condescendência.

Erguendo os braços para o alto
e pondo em fuga o tirano Amalek,
Moisés te prefigurou, ó Cruz veneranda,
glória dos fiéis, sustentáculo dos mártires,
ornamento dos apóstolos, defesa dos justos,
salvação de todos os santos.
Por isso à vista da tua exaltação,
a criação se alegra e exulta glorificando a Cristo,

cuja extrema bondade reuniu, por teu meio,
o que estava disperso.


Escrito por:  Bruno Henrique – Gestor do Portal Terra de Santa Cruz

Referência:  Livro Orações da Santa Cruz,  Revista Deus Conosco, Blog Canção Nova.

Portal Terra de Santa Cruz – A serviço da Evangelização

Amar consiste na descoberta do que o outro tem de bom e ruim.

Caros(as) amigos(as),

Vamos falar do amor de Deus por nós!

Deus nos ama sabendo de nossa natureza pecadora e miserável, Deus sempre nos chama para perto d’Ele.

Podemos encontrar esse amor em nossos irmãos e irmãs que convivem dia a dia conosco. Fala-se tanto em amor, mas conhecemos o amor ao próximo quando da necessidade de dizer EU TE PERDOO. Amor é perdão.

Amar é olhar nos olhos do outro e saber que, mesmo fazendo o errado, demonstrando suas fraquezas e defeitos, ainda somos capazes de dizer EU TE AMO. Amar consiste na descoberta do que o outro tem de bom e ruim.

Por isso acredito no amor de Jesus.

Lendo as parábolas do Evangelho podemos constatar as diversas pessoas que Jesus encontrou por onde passou. Pessoas em situações de vergonha, excluídas da sociedade daquele tempo, sujas, pecadoras e indignas de qualquer honra. Por isso, Jesus escolheu os piores da sociedade para caminhar com Ele. Os doze apóstolos são exemplos dessa escolha, eram pessoas comuns; dentre os escolhidos estava um ladrão, porque Ele sabia que quando aquele ladrão começasse a conviver com Ele, o roubado seria o próprio ladrão, pois Jesus lhe roubara o coração apenas com o olhar do amor, do acolhimento e do perdão.

Quando Jesus chega até nós Ele rouba o nosso coração, e não nos resta mais nada a não ser olhar e dizer: “Senhor, embora sendo fraco, eu não consigo viver distante da tua proposta, longe do seu olhar”.

Amar é isso, descobrir nas pessoas que o olhar do outro nos tornam melhores do que somos. Amar é descobrir que, quando alguém entra em nossa vida, nos torna melhor do que quando estamos só.  Esse é o verdadeiro amor, é acreditar que se o outro não está por perto, somos apenas uma metade; não é uma dependência, e sim uma complementação; quando o outro está do nosso lado, nos sentimos mais fortes e ainda que não tenhamos forças para caminhar, o outro nos ajuda a seguir.

É nesse Deus que eu confio, o Deus que foi pregado na cruz, que é para nós, o braço que nos falta, a perna que nem sempre temos para andar, a coragem que não está em nosso coração. Ele vem ao nosso encontro e se hoje fossemos os mesmos que naquele tempo o pregaram na cruz, Ele ainda olharia para nós com amor, nos encontraria no meio da multidão e certamente diria que Ele sempre espera por nós!  E espera pelo nosso sim!

Deus é amor e espera que abramos nosso coração para Ele. O apóstolo João vai dizer em sua Primeira Carta: “Acima de tudo, ele enviou seu Filho mais querido como resgatador para nos livrar do pecado e da morte” (Jo 3,16). Quão grande é o amor Deus por nós!

            “O amor de Deus” — fico a me perguntar o que João tinha em mente quando escreveu essas palavras… “Deus é amor, o amor vem de Deus, Ele nos amou primeiro, quem permanece no amor, permanece em Deus, e Deus permanece nele”.  Essa expressão se refere ao amor de Deus por nós, mas também ao nosso amor por Ele. Que possamos entender que embora tenhamos nascidos pecadores, por meio de seu filho Jesus, Ele nos abriu o caminho para que pudéssemos ganhar a perfeição que Adão e Eva perderam e assim alcançarmos a vida eterna, como está escrito em Mt 20,28: “Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos”. Por amor a nós, o sacrifício aconteceu para que fossemos resgatados. Deus deu seu Filho muito amado para morrer numa cruz, tudo exclusivamente por amor a nós.

Isso toca nosso coração! O amor não é um sentimento simples; envolve mais que meras palavras. O verdadeiro amor a Deus vai além de apenas dizer “eu amo a Deus”.

Quando o amor do Pai se torna forte em nosso coração, nos sentimos motivados a viver de modo que agrada o seu coração. Temos sede d’Ele, desejamos sua presença no meio de nós, queremos ser cada vez mais íntimos do Senhor, queremos adorá-lo e render graças por tamanho amor a nós. Esse privilégio de sentir Deus, recebê-lo e adorá-lo em nosso coração, e principalmente ficar em sua presença, experimentamos através da Santa Eucaristia.

Como é lindo o nosso Deus, como é grande seu amor para conosco, Ele se fez pequeno para habitar em nós e faz do nosso coração a sua nova Jerusalém… Tornou-se para nós o alimento único que nos sustenta e dá forças.

Deus vai dizer em Pv 8,17: “Amo os que me amam, e quem me procura me encontra”. Queira, deseje, anseie encontrar-se com Deus, tenha a plena convicção de que Ele vos ama e se vos ama te quer sempre por perto.

Enfim, o amor de Deus é perfeito, mas de nada adiantará dizermos que amamos se não perdoamos nossos irmãos e irmãs, se não os amamos, pois quem ama, conhece a Deus, como está escrito em Jo 4,19-20: “Nós amamos a ele porque ele nos amou primeiro. Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão”. O mais belo da vida é isso, saber que Deus nos ama e está ao nosso lado e que habita no irmão, na irmã que está do nosso lado como verdadeira imagem e semelhança d’Ele.

Que a possamos conhecer e provar da fonte do amor que emana do coração de Jesus, que é misericórdia. Dêem graças ao Senhor, porque ele é bom, é fiel, é amigo, é compassivo e é eterno em nosso meio.

Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 8,38-39)

Deus abençoe a todos !

Escrito por Bruno Henrique /Gestor do Portal Terra de Santa Cruz

Referências: Sagrada Escritura (tradução da CNBB)

Encontro de formação do Clero da diocese da Campanha em Passa Quatro/MG

 

Nos dias 11, 12 e 13 de Julho aconteceu o encontro de formação permanente do clero da diocese da Campanha na cidade de Passa Quatro/MG. O encontro deu-se início nesta segunda-feira com o almoço às 12h e acolhida dos padres participantes no Hotel Recanto das Hortênsias.

13706100_1259079477459883_1026440251_n
Foto: Pe Joaquim 

Às 15h da tarde o Exmo. Revmo. Bispo da Diocese da Campanha acolheu solenemente todos os presbíteros presentes no encontro abrindo-o oficialmente. Dom Pedro  na ocasião informou aos participantes  a abertura do processo de beatificação do Servo de Deus Dom Othon Motta e de como está  o andamento deste novo processo, o quarto da nossa diocese, já conhecida como “terra de santos”, “berço da Santidade”, “Terra Santa” entre outros títulos populares dado pelo bom povo desta centenária diocese .

As 18h30m deu-se início a oração da liturgia das horas rezando as vésperas e a Santa Missa presidida pelo Pe. Sérgio Roberto Monteiro  que é o atual coordenador dos presbíteros da diocese da Campanha/MG, após a santa missa, todos se reunião para um fraterno jantar .

Na terça feira 12/06, o dia começou com oração da liturgia da horas,  rezando as LAUDES.  Às 08h30m na sala de palestras ouve uma reflexão sob o diaconato permanente que será  implantado em nossa diocese em breve.  Durante toda manhã foi desenvolvida com o clero o tema diaconato permanente, com reflexões  aprofundadas e bem colocadas para cada um sob o assunto de tamanha importância para nossa diocese tendo em vista os planos futuros de formação de diáconos permanentes em nossa igreja diocesana.

Após o momento de descanso e lazer, às 15h todos participaram de uma formação com tema Nulidade Matrimonial, assunto esse discutido recentemente no Sínodo dos Bispos em 2015 acorrido em Roma, conduziu a formação o Frei Paulo F. Missiolini, Juiz do Tribunal Eclesiástico da Diocese da Campanha . Ainda no período da tarde,  Dom Pedro conduziu uma palestra com base na recente Exortação Apostólica  Amoris Laetitia ( Alegria do Amor) do Santo Padre o Papa Francisco.

Às 18h30m com a oração da liturgia das horas rezando as vésperas, os presbíteros  concelebraram a Santa Missa presidida por Dom Pedro Cunha Cruz , em seguida todos se confraternizaram com um ótimo jantar encerrando o dia .

Nesta quarta feira, 13/06, o dia começou com a oração da liturgia das horas,  rezando as LAUDES , às 08h30m todos se direcionaram para sala de palestras onde o Pe. José Procópio Júnior conduziu a segunda parte da formação sob Nulidade Matrimonial .

A Formação litúrgica ficou a cargo do Pe. Daniel Menezes Fernandes, coordenador e assessor da Pastoral Litúrgica da Diocese da Campanha.   Durante a reflexão sobre a liturgia em um contexto geral, ficou claro que,  se deve valorizar a Santa Liturgia da Igreja, olhar e perceber sua real importância nas celebrações. Destacou-se também a valorização dos livros litúrgicos como o missal romano, lecionário, ritual de bênçãos, hinários entre outros. Que todos possam seguir as orientações litúrgicas relacionadas também ao santo altar enquanto figura do Cristo, o cordeiro imolado. O espaço sagrado deve ser respeitado, ornado e cuidado para que possam assim celebrar os santos mistérios de Nosso Senhor Jesus Cristo de maneira mais agradável.

Com o almoço e confraternização entre os amigos presbíteros presentes no encontro encerrou-se  os dias de formação permanente do Clero em preparação para o Retiro que acontecerá  de 8 à 11 de agosto , também em Passa Quatro/MG

Ficam aqui nossas orações diárias aos nossos presbíteros diocesano, que Deus fortifique em cada um o desejo de servir com amor, alegria e boa vontade a Igreja de Cristo, levando aos fiéis leigos a verdade do santo evangelho, levando conforto aos doentes, alegria aos tristes, acolhendo a todos de igual para igual com humildade e compaixão, sendo boca de Deus em suas paróquias, realizando um verdadeiro trabalho missionário, afim de contribuir para o crescimento da nova evangelização, tornando –nos grandes operários e protagonistas de uma Igreja em saída, sal da terra luz do mundo em busca do próximo, uma igreja misericordiosa !

Escrito por Bruno Henrique/ Gestor do Portal Terra de Santa Cruz 

FOTOS

Portal Terra de Santa Cruz – Boa Nova Web Rádio – A Serviço da Evangelização

Ano Santo da Misericórdia: Paroquianos de Cambuquira/MG realizaram a peregrinação à Porta Santa da Misericórdia em Campanha/MG

No último domingo 12/06, aconteceu em Campanha/MG a peregrinação da Paróquia São Sebastião de Cambuquira/MG, até a Porta Santa da Misericórdia na Catedral Diocesana da Campanha.

Mais de 200 fiéis paroquianos Cambuquirenses estiveram presentes na peregrinação, todos receberam a devida preparação com atendimento de confissões ao longo da semana na paróquia de Cambuquira. Os peregrinos saíram por volta das 3h da manhã sentido Campanha, vieram a pé rezando e cantando, chegando em torno das 08h. Todos se concentraram na entrada principal da cidade e caminharam em direção a Catedral de Santo Antônio.

Após a calorosa acolhida dos peregrinos, deu-se início a Santa Missa presidida por nosso Bispo Diocesano Dom Pedro Cunha Cruz, concelebrada pelos padres Aloísio Gustavo Dias pároco da paróquia São Sebastião de Cambuquira e Edson Pereira de Oliveira vigário paroquial da Campanha e Reitor do seminário propedêutico São Pio X .

A Catedral esteve repleta de peregrinos que com fé e confiança passaram pela porta Santa da Misericórdia lucrando para si as indulgências do Ano Santo da Misericórdia proclamado pelo Santo Padre o Papa Francisco, no dia 08 de dezembro de 2015 com a festa da Imaculada da Conceição e encerrando em 20 de novembro de 2016, dia em que a Igreja celebra no mundo a festa de Cristo Rei do Universo.

Na ocasião providencialmente aconteceu a Coroação dos príncipes e princesas da festa de Santo Antônio, padroeiro da Campanha e de nossa Catedral Diocesana, a coração foi realizada por Dom Pedro.

Ao final da celebração Dom Pedro, concedeu a bênção indulgenciaria aos fiéis e peregrinos, dando assim por encerrada a Santa Missa na Catedral.

Escrito por Bruno Henrique Santos / Gestor do Portal Terra de Santa Cruz / Paróquia Santo Antônio Campanha-MG

 Fotos: