Antropologia

dios-creadorA Antropologia nasceu com o grego Heródoto, no século V a.C. que foi cognominado Pai da Antropologia. Antropologia Teológica é a doutrina do homem no que tange a Deus. Teve sua transformação em duas grandes transições: a do cosmo para Deus, quando o cristianismo suplantou a visão grega da realidade. A segunda é de Deus para o homem e ocorreu na época moderna em conseqüência da secularização e do ateísmo. Repentinamente Deus desaparece de cena e cede lugar ao homem. Sua transformação teve início no Renascimento. O espírito humano abre-se a um novo modo de ver e agir, um violento contraste com o precedente, enquanto o primeiro, o centro de todo interesse era Deis, agora o centro é o homem. A filosofia é ao mesmo tempo a testemunha fiel e artífice principal da transição do teocentrismo para o antropotismo. Vemos aí (Descartes, Hume, Spinosa). Mas Kant que atinge o momento conclusivo, afirmando que o homem não é mais simplesmente o ponto de partida, mas também o ponto de chegada da reflexão filosófica. Vemos também dois princípios que são supremos na antropologia teológica: São o arquitetônico e hermenêutico. O arquitetônico é o eixo do ordenamento de todos os eventos da história da salvação. O hermenêutico é a verdade primária a cuja luz a teologia procura compreender e interpretar um dos aspectos da história da salvação.

A antropologia filosófica 

A antropologia filosófica é a antropologia encarada metafisicamente; é antes aquela parte da filosofia que investiga a estrutura essencial do homem; contudo, este ocupa o centro da especulação filosófica, na medida em que tudo se deduz a partir dele, na medida em que ele torna acessíveis as realidades, que o transcendem, nos modos de seu existir relacionados com essas realidades. Ou seja, a antropologia filosófica é uma antropologia da essência e não das características humanas. Ela se distingue da antropologia mítica, poética, teológica, e científico natural ou evolucionista por dar uma interpretação basicamente ontológica do homem. É também uma disciplina filosófica ou movimento filosófico que tem relações com as intenções e os trabalhos de Scheler, mas não está unido ao conteúdo específico desse autor.

“A reflexão sobre nós próprios, reflexão sempre renovada que o homem faz para chegar a compreender-se” Bernar Groethuysen

“Explicação conceitual da idéia do homem a partir da concepção que este tem de si mesmo em determinada fase de sua existência.” Landsberg

A antropologia  teológica

antropologia-teolgica-e-filosfica-13-638A antropologia teológica reflete sobre a criação, sobre Deus e busca as correlações entre Deus, sua obra criadora, o universo e o homem. Trata-se de uma articulação entre a cosmologia (teologia) da natureza e o ser humano. Por vezes, nós, imersos no antropocentrismo, imaginamos que esses bilhares de estrelas existem por causa de nós. Esquecemos que nossa espécie acabou de chegar. Criação remete ao biologismo, a Deus que é criador, ao mundo etc.

A Criação: o cosmos e a vida. Como se fala de Deus que cria diante de um cosmo em mutação? No fundo a pergunta é: qual a pertinência de uma visão antropo ou geocêntrica?! O universo tem 13 bilhões e 700 milhões de anos. A história da terra é recente, a 4,5 bi de anos arás. A vida só surge a 3,8 bi de anos. Os dinossauros surgem aparecem, desaparecem…  e nossos ancestrais, desenvolvemos formas complexas de vida até chegarmos (no final) ao homem moderno. Hoje já não se fala em universos, mas de multiversos; parte-se sempre de visões científicas; a teologia carece sempre de reformulação, mesmo quando procura manter alguns eixos teológicos fundamentais. Os antigos padrões teológicos típicos da escolástica não respondem mais às exigências do nosso tempo (dai o repensar a criação e a ressurreição – Queiruga).

Fonte: Livro Introdução à antropologia teológica – Autor Luiz F. Ladaria


 Resumo: Antropologia é o estudo do homem, sua cultura e modo de pensar. Teologia é o estudo da bíblia, então é só unir os dois: é a vida do homem perante a bíblia. Podemos dizer que Teologia é a ciência que tem como objeto o estudo de Deus, por meio de sua revelação e da fé. Portanto, pode-se, melhor conceituar antropologia teológica coma a visão integrada do ser humano, quando se estuda as principais afirmações bíblico-teológicas a respeito da fé no Deus criador, do ser humano criado à imagem de Deus além da iniciativa salvífica de Deus (oferta de graça) e o acolhimento livre por parte do ser humano, que implica uma orientação fundamental de toda a vida para o amor e a luta pela justiça. (Bruno Henrique)


http://www.portalterradasantacruz.wordpress.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s