Papa: Não existe uma verdadeira humildade sem humilhação

O Papa Francisco inspirou sua reflexão no Rei Davi, “um grande”, tinha uma “alma nobre”, mas era também um pecador, tinha “pecados grandes”.

“Não existe uma verdadeira humildade sem humilhação” . Foi o que disse em síntese o Papa Francisco na Missa celebrada na manhã desta segunda-feira na Capela da Casa Santa Marta.

Uma reflexão que parte da figura do Rei Davi, centro da primeira leitura.

Davi de fato, é “um grande”. Havia vencido o filisteu, tinha uma “alma nobre” – porque por duas vezes poderia ter matado Saul e não o fez – mas era também um pecador, tinha “pecados grandes”: “o do adultério e do assassinato de Urias, o marido de Betsabá”, “aquele do censo”.

Mesmo assim – observa Francisco – a Igreja o venera como Santo, “porque deixou-se transformar pelo Senhor, deixou-se perdoar”, arrependeu-se, e por “aquela capacidade não tão fácil de reconhecer ser pecador: “Sou pecador’”.

Em particular a Primeira leitura coloca o foco na humilhação de Davi: seu filho Absalão, “faz uma revolução contra ele”.

Naquele momento Davi não pensa “na própria pele”, mas em salvar o povo, o Templo, a Arca.

E foge, “um gesto que parece covarde, mas é corajoso”, sublinha o Papa. Chorava, caminhando com a cabeça coberta e pés descalços.

Mas o grande Davi é humilhado, não somente com a derrota e a fuga, mas também com o insulto.

Durante a fuga, um homem chamado Semei o insultava dizendo que o Senhor fez recair sobre ele todo o sangue da casa de Saul – “cujo trono usurpastes – e entregando o trono ao filho Absalão: “eis que estás na ruína – afirmava – porque és um homem sanguinário”.

Davi o deixa fazer, não obstante os seus quisessem defendê-lo: “É o Senhor que inspira de insultar-me”, talvez “este insulto comoverá o coração do Senhor e me abençoará”.

Às vezes, nós pensamos que a humildade é ir tranquilos, ir talvez de cabeça baixa olhando para o chão… mas também os porcos caminham de cabeça baixa: isso não é humildade. Esta é aquela humildade falsa, prêt-à-porter, que não salva nem protege o coração. É bom que nós pensemos nisto: não existe verdadeira humildade sem humilhação, e se você não for capaz de tolerar, de carregar nas costas uma humilhação, você não é humilde: faz de conta, mas não é.

Davi carrega nas costas os próprios pecados. “Davi é Santo; Jesus, com a santidade de Deus, é Santo”, afirmou o Papa e acrescentou: “Davi é pecador, Jesus é pecador, mas com o nossos pecados. Mas os dois, humilhados”.
Sempre existe a tentação de lutar contra quem nos calunia, contra quem nos humilha, quem nos faz passar vergonha, como este Semei. E Davi diz: “Não”. O Senhor diz: “Não”. Este não é o caminho. O caminho é o de Jesus, profetizado por Davi: carregar as humilhações. “Talvez o Senhor olhará para a minha aflição e me dará o bem em troca da maldição de hoje”: transformar as humilhações em esperança.

Francisco advertiu, porém, que a humildade não é justificar-se imediatamente diante da ofensa, tentando parecer bom: “Se você não sabe viver uma humilhação, você não é humilde”, afirmou. “Esta é a regra de ouro”.

Peçamos ao Senhor a graça da humildade, mas com humilhações. Havia aquela freira que dizia: “Eu sou humilde, sim, mas humilhada jamais!”. Não, não! Não existe humildade sem humilhação. Peçamos esta graça. E também, se alguém for corajoso, pode pedir – como ensina Santo Inácio – pode pedir ao Senhor que lhe envie humilhações para se parecer sempre mais com o Senhor.

Por Vatican News

Anúncios

Falece Dom Célio de Oliveira, bispo de São João Del-Rei

Internado desde o dia 26 de dezembro, Dom Célio faleceu na madrugada desta sexta-feira, 19

Por volta das 2h desta sexta-feira, 19, faleceu Dom Célio de Oliveira Goulart, bispo de São João Del-Rei. Dom Célio estava internado desde o dia 26 de dezembro na Santa Casa de Misericórdia de São João Del-Rei e lutava contra um câncer. O velório será na Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar.

Resultado de imagem para São João Del-Rei Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar.

Acontecerá neste sábado, 20, às 10h, na Catedral Basílica, a celebração da Missa de Corpo Presente. Após esta cerimônia, o corpo seguirá para a cidade de Itaúna, onde será velado na Igreja Matriz de Sant’Ana.

O sepultamento será no domingo, 21, após a Missa na Matriz, às 10h. Conforme desejo de seus familiares, Dom Célio será sepultado em Itaúna, no jazigo da família, junto de seus pais.

Dom Célio de Oliveira Goulart

Com informações e fotos da Arquidiocese de São João Del-Rei

 

Inscrições para o SISU começam na próxima terça-feira

Segundo ministro da Educação, inscrições para o Sisu foram antecipadas para saciar a ansiedade dos candidatos

As inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foram antecipadas para 23 de janeiro, conforme anuncio do ministro da Educação, Mendonça Filho, realizado nesta quinta-feira, 18. Segundo ele, estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2017, e que queiram tentar uma vaga em instituições públicas de ensino superior têm entre 23 e 26 de janeiro para se inscrever.

O anúncio foi feito durante entrevista coletiva para divulgar os resultados do Enem 2017, liberados na manhã desta quinta-feira, 18. O prazo inicial para registrar a nota da prova e se candidatar a uma instituição pública de ensino superior era de 29 de janeiro a 1º de fevereiro. De acordo com o ministro da Educação, o motivo da antecipação seria para saciar a ansiedade dos candidatos.

O cronograma das demais seleções da pasta, como o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Programa de Financiamento Estudantil (Fies), segundo ele, permanece inalterado.

Leia também -> COMO A EDUCAÇÃO PODE AJUDAR PROFISSIONAIS COM DEFICIÊNCIA A SE MANTEREM NO MERCADO 

Com informações Agência Brasil

São Sebastião, defensor da Igreja, martirizado por amar Cristo

São Sebastião, defensor da Igreja e apóstolo dos confessores, daqueles que eram presos. (FESTA LITÚRGICA EM 20 DE JANEIRO)
O santo de hoje nasceu em Narbonne; os pais eram oriundos de Milão, na Itália, do século terceiro. São Sebastião, desde cedo, foi muito generoso e dado ao serviço. Recebeu a graça do santo batismo e zelou por ele em relação à sua vida e à dos irmãos.

Ao entrar para o serviço no Império como soldado, tinha muita saúde no físico, na mente e, principalmente, na alma. Não demorou muito, tornou-se o primeiro capitão da guarda do Império. Esse grande homem de Deus ficou conhecido por muitos cristãos, pois, sem que as autoridades soubessem – nesse tempo, no Império de Diocleciano, a Igreja e os cristãos eram duramente perseguidos –, porque o imperador adorava os deuses. Enquanto os cristãos não adoravam as coisas, mas as três Pessoas da Santíssima Trindade.

Esse mistério o levava a consolar os cristãos que eram presos de maneira secreta, mas muito sábia; uma evangelização eficaz pelo testemunho que não podia ser explícito.

São Sebastião tornou-se defensor da Igreja como soldado, como capitão e também como apóstolo dos confessores, daqueles que eram presos. Também foi apóstolo dos mártires, os que confessavam Jesus em todas as situações, renunciando à própria vida. O coração de São Sebastião tinha esse desejo: tornar-se mártir. E um apóstata denunciou-o para o Império e lá estava ele, diante do imperador, que estava muito decepcionado com ele por se sentir traído. Mas esse santo deixou claro, com muita sabedoria, auxiliado pelo Espírito Santo, que o melhor que ele fazia para o Império era esse serviço; denunciando o paganismo e a injustiça.
São Sebastião, defensor da verdade no amor apaixonado a Deus. O imperador, com o coração fechado, mandou prendê-lo num tronco e muitas flechadas sobre ele foram lançadas até o ponto de pensarem que estava morto. Mas uma mulher, esposa de um mártir, o conhecia, aproximou-se dele e percebeu que ele estava ainda vivo por graça. Ela cuidou das feridas dele. Ao recobrar sua saúde depois de um tempo, apresentou-se novamente para o imperador, pois queria o seu bem e o bem de todo o Império. Evangelizou, testemunhou, mas, dessa vez, no ano de 288 foi duramente martirizado.
São Sebastião, rogai por nós!

Papa: jovens se sintam e sejam protagonistas no coração da Igreja

Um encontro de festa, com a alegria e o entusiasmo que os caracterizam, no qual o Sucessor de Pedro sentiu o calor e o afeto dos jovens chilenos.

“Arriscar, correr riscos. Queridos amigos, sede corajosos, ide prontamente ao encontro dos vossos amigos, daqueles que não conheceis ou que atravessam um momento difícil.” Foi a exortação do Papa Francisco no encontro com os jovens esta quarta-feira (17/01) no “Santuário de Maipú”, em Santiago, um dos eventos memoráveis desta visita do Santo Padre ao Chile, no âmbito de sua 22ª viagem apostólica internacional, que depois o levará ao Peru.

Um encontro de festa, com a alegria e o entusiasmo que os caracterizam, no qual o Sucessor de Pedro sentiu o calor e o afeto dos jovens chilenos. Após a saudação do jovem Ariel ao Santo Padre teve lugar um momento particularmente simbólico. Foi feita a apresentação do Símbolo dos jovens para o Sínodo: os jovens carregaram a Cruz do Chile. Tendo entregue ao Papa uma fita – sinal do sangue derramado por Cristo –, Francisco a colocou na Cruz.

Segundo centenário do Santuário dedicado à Virgem do Carmo

Já no início de seu discurso o Papa disse considerar muito importante poder estar com eles e “caminhar juntos por um pouco, ajudando-nos a olhar em frente!”, ressaltou, acrescentando a satisfação de encontrar-se no “Santuário de Maipú” dedicado à Virgem do Carmo, cujo templo comemora este ano seu segundo centenário.

“ A Virgem do Carmo acompanha-vos para poderdes ser os protagonistas do Chile que sonham os vossos corações. E sei que o coração dos jovens chilenos sonha, e sonha em grande. ”

“Vós gostais de aventuras e desafios. Antes, aborreceis-vos quando não tendes desafios que vos estimulem”, disse o Papa afirmando que em seu ministério episcopal teve a oportunidade de descobrir que há muitas e boas ideias no coração e na cabeça dos jovens.

Encontro do Papa com os jovens
“O problema somos nós, os grandes, que muitas vezes, com cara de sabichões, dizemos: ‘Pensa assim porque é jovem, depressa amadurecerá’. Até parece que amadurecer seja aceitar a injustiça, pensar que nada se pode fazer, resignar-se porque tudo sempre foi assim.”

Foi tendo em conta toda esta realidade dos jovens que o Papa disse querer realizar este ano o Sínodo e, antes do Sínodo, o Encontro de jovens, “para que se sintam e sejam protagonistas no coração da Igreja; para nos ajudar a fazer com que a Igreja tenha um rosto jovem”.

“ Quanta necessidade tem a Igreja chilena de vós, para nos ‘sacudirdes’ e ajudardes a estar mais perto de Jesus! ”

Tendo contado o caso do jovem que ao encontrar-se com seu celular com a bateria descarregada ou sem sinal da internet, disse-lhe que ficava aborrecido porque não podia acompanhar o que estava acontecendo, por ficar fora do mundo, Francisco afirmou que o mesmo pode nos acontecer com a fé.

“Sem conexão, sem a conexão com Jesus, acabamos por afogar as nossas ideias, os nossos sonhos, a nossa fé e enchemo-nos de mau humor. E de protagonistas que somos e queremos ser, podemos chegar a pensar que tanto vale fazer algo como não o fazer. Ficamos desconectados do que está acontecendo no ‘mundo’. Começamos a sentir que ficamos ‘fora do mundo’, como me dizia aquele jovem.”

Francisco apontou aos jovens a regra de ouro de Santo Alberto Hurtado, jesuíta chileno: “Que faria Cristo no meu lugar?”, qual palavra-chave, “a carga da bateria para acender o nosso coração, acender a nossa fé e a centelha nos nossos olhos. Isto é ser protagonistas da história”, afirmou.

Jesus é fonte de vida e de alegria

Olhos cintilantes porque descobrimos que Jesus é fonte de vida e alegria. Ser protagonistas é fazer o que Jesus fez. Onde quer que estejas, com quem quer que te encontres e seja a hora que for: “Que faria Jesus no meu lugar?”

“Ide com a única promessa que temos: no meio do deserto, do caminho, da aventura, sempre haverá a ‘conexão’, sempre existirá um ‘carregador de baterias’. Não estaremos sozinhos.” Sempre gozaremos da companhia de Jesus, de sua Mãe e duma comunidade. Uma comunidade que certamente não é perfeita, mas isso não significa que não tenha muito para amar e oferecer aos outros, acrescentou.

Premente exortação aos jovens chilenos

“Sede vós os jovens samaritanos que nunca abandonam um homem caído no caminho. Sede vós os jovens cireneus que ajudam Cristo a levar a sua Cruz e compartilham o sofrimento dos irmãos. Sede como Zaqueu, que transforma o seu coração materialista num coração solidário. Sede como a jovem Madalena, buscando apaixonadamente o amor, que só em Jesus encontra as respostas de que necessita. Tende o coração de Pedro, para deixar as redes nas margens do lago. Tende o carinho de João, para repor n’Ele todos os vossos afetos. Tende a disponibilidade de Maria para cantar com alegria (ao Senhor) e fazer a sua vontade”, exortou, por fim, Francisco.

Com informações: Vatican News

MPF reafirma que recibos de aluguéis de apartamento vizinho ao de Lula são falsos

Ministério Público Federal (MPF) reafirmou, na quinta-feira (11), que os recibos de aluguéis apresentados pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva são falsos. A declaração consta nas alegações finais de um processo que apura a autenticidade dos documentos, que foram anexados pelos advogados do petista, acusado de receber propina da Odebrecht.

Os recibos são assinados pelo empresário Glaucos da Costamarques, dono de um apartamento vizinho ao que o ex-presidente mora, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Além deles, os advogados de Lula também entregaram à Justiça a cópia do contrato de aluguel, firmado entre o empresário e a ex-primeira-dama Marisa Letícia. Dois deles apresentam datas que não existem no calendário.

De acordo com a denúncia do MPF, Costamarques comprou o imóvel com dinheiro da Odebrecht. A quantia teria sido repassada ao empresário para disfarçar o real proprietário do imóvel que, segundo os procuradores, é o ex-presidente Lula.

A defesa de Lula, no entanto, rebate a tese e diz que o imóvel era alugado pela família do ex-presidente há vários anos, desde quando pertencia a outras pessoas. O apartamento é usado, entre outras coisas, para abrigar os seguranças que fazem a escolta pessoal de Lula.

Glaucos Costamarques foi interrogado por Sérgio Moro em duas oportunidades (Foto: Reprodução)

Pagamentos após 2015
O contrato de aluguel entre Costamarques e a ex-primeira-dama foi assinado no ano de 2011. No entanto, o empresário afirmou várias vezes à Justiça que só começou a receber o dinheiro do imóvel da família do ex-presidente após o mês de novembro de 2015.

O empresário contou que, naquele mês, estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, passando por um tratamento cardíaco, quando recebeu uma visita do advogado de Lula, Roberto Teixeira.

Nessa visita, o advogado teria lhe pedido para assinar uma série de recibos referentes aos anos em que os aluguéis ainda não tinham sido pagos. Em seguida, ele receberia os valores atrasados e passaria a receber o dinheiro mensalmente.

Dias após a alegada visita do advogado, o contador João Muniz Leite, que prestava serviços a Lula e a Glaucos foi ao hospital, levando vários recibos, que foram assinados no mesmo dia.

A visita do contador foi narrada por ele próprio em depoimento à Justiça e corroborada por documentos enviados pelo hospital. No entanto, conforme dados do Sírio-Libanês pelo hospital ao juiz Sérgio Moro, não há qualquer registro da entrada de Roberto Teixeira no hospital, no período mencionado por Costamarques.

Já o MPF diz que há outros elementos que comprovariam esse contato de Teixeira com Costamarques, como uma série de ligações telefônicas feitas pelo advogado ao empresário, no período de internação. Apesar da avaliação do MPF, a defesa de Costamarques ainda insiste na versão das visitas ao hospital.

No documento apresentado à Justiça, na quinta-feira, o MPF insiste que os recibos foram produzidos apenas para dar um lastro de legalidade ao contrato de aluguel, o qual, na avaliação dos procuradores, é fictício.

“Ademais, em vista do farto acerto probatório que atesta a ausência de relação locatícia real, deve ser dito o óbvio, em resposta à tentativa insistente e precária da defesa de provar a existência de pagamentos única e exclusivamente invocando a força probatória atribuída pela lei civil a recibos de pagamento: documentos ideologicamente falsos não fazem prova de pagamento ou quitação. Ao contrário, a falsidade do recibo concorre francamente para confirmar os matizes criminosos dos atos que tentam, em vão, lastrear”, diz o MPF no documento.

Durante o andamento dessa análise dos recibos, a defesa de Lula apresentou à Justiça um relatório feito por um perito particular nos recibos. Segundo o documento, todos as as assinaturas de Costamarques são verdadeiras e os recibos não foram assinados no mesmo dia, diferente do que afirma o MPF.

Recibo anexado pela defesa do ex-presidente Lula cita 31 de novembro de 2015 (Foto: Reprodução)

Próximos passos
Agora, o juiz Sérgio Moro deverá receber as alegações finais tanto da defesa de Lula, quanto de Costamarques, que foram citados no incidente de falsidade. Em seguida, o juiz deve decidir se considera os recibos apresentados por Lula como ideologicamente falsos, como quer o MPF ou se vai apontá-los como verdadeiros, tal como pediram os advogados do petista.

Independente da decisão, o resultado desse processo será anexado à ação penal que trata do caso e poderá ser usado tanto nas alegações finais do MPF e das defesas dos réus, quanto na sentença, que será proferida pelo juiz Sérgio Moro.

Outro lado
Em nota, a defesa do ex-presidente Lula voltou a dizer que o petista é vítima de lawfare, ou seja, do uso da máquina jurídica como forma de intimidação e perseguição. “Ao invés de reconhecerem a improcedência da acusação, os procuradores passaram a colocar indevidamente sob suspeita a autenticidade dos recibos”, diz trecho da nota.

Os advogados de Lula lembram que o MPF desistiu de pedir uma perícia nas assinaturas de Glaucos nos recibos.

“Depois, diante da prova de que os recibos haviam sido assinados pelo proprietário do imóvel, os procuradores desistiram de pedir uma perícia em relação aos documentos, passando a sustentar que eles seriam “ideologicamente falsos”, pois, segundo a versão apresentada, os aluguéis não teriam sido efetivamente pagos. A acusação é inverídica e descabida”, afirmam.

“O Ministério Público Federal quer atribuir valor probatório à declarações de Costamarques no que se refere aos aluguéis, mas ao mesmo tempo despreza sua afirmação de que é o proprietário do imóvel e não ‘laranja’ de Lula”, segue a defesa do petista.

Para os advogados, “ao agir dessa forma, o MPF revela que não tem critério na escolha das provas. Reconhece como idôneo somente aquilo que confronta a defesa de Lula. É a mesma lógica utilizada para recusar o depoimento do ex-advogado da Odebrecht Rodrigo Tacla Durán”, afirma.

Já a defesa de Glaucos da Costamarques ratificou os depoimentos prestados pelo cliente e disse que todas as questões em aberto serão melhor expostas na apresentação das razões finais do processso.

A Odebrecht reiterou que vem colaborando com as investigações. Os advogados que representam Roberto Teixeira e João Muniz Leite não foram encontrados.

Nada a ver com o triplex
Atualmente, Lula responde a três denúncias que foram formuladas pela força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. A primeira, que já foi julgada por Sérgio Moro, está em fase de recurso no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. Nela, o ex-presidente foi condenado a nove anos e meio de prisão.

Naquela denúncia, Lula foi acusado de receber um apartamento triplex em Guarujá, no litoral paulista. O imóvel seria um pagamento de propina feito pela construtora OAS, em troca de benefícios que a empresa obteve junto à Petrobras.

O julgamento desse caso no TRF-4 está marcado para o dia 24 de janeiro deste ano. O recurso de Lula nesse caso poderá resultar tanto em absolvição do ex-presidente, como até mesmo em um eventual aumento de pena, dependendo da análise dos desembargadores.

Já o segundo processo contra Lula é esse em que os recibos são contestados pelo MPF. A denúncia afirma que o petista recebeu propina da Odebrecht com o apartamento alugado e também com um terreno para a construção de uma nova sede do Instituto Lula.

A obra, no entanto, nunca saiu do papel e o terreno sequer foi transferido para a instituição. Assim como no caso dos dois apartamentos, a defesa de Lula nega qualquer irregularidade.

O terceiro processo ainda está em fase inicial. Nele, o ex-presidente é acusado de receber propina tanto da Odebrecht, quanto da OAS, por meio da reforma de um sítio em Atibaia, no interior de São Paulo. Os depoimentos das testemunhas de acusação devem começar só em fevereiro deste ano e não há data para que o caso seja julgado no Paraná.

Fonte: G1.com/Paraná 

Como a educação pode ajudar profissionais com deficiência a se manterem no mercado

Menos de 1% da população com algum tipo de deficiência está formalmente empregada no Brasil

Continuar competitivo é o objetivo de todo profissional que busca se manter no mercado. Este foi o objetivo de Amanda Lima, de 30 anos, ao ter a chance de entrar na faculdade com a bolsa de estudos do Educa Mais Brasil. “Existem vagas para o deficiente por conta da legislação, mas o conhecimento e a visão de mercado aprendidos na graduação agregam valor a qualquer atividade que eu desempenhe na empresa”, observa Amanda.

Deficiente física desde os 6 anos de idade (tem um encurtamento na perna devido a um acidente), ela se refere à Lei de Cotas de 1991, que estabelece que as empresas com mais de 100 empregados preencham 2% das vagas com pessoas com deficiência. Apesar da vigência da legislação, hoje menos de 1% da população com algum tipo de deficiência está trabalhando formalmente no Brasil. São 45 milhões de pessoas, das quais 403.255 estão empregadas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Faculdade com bolsa de estudo

O acesso ao Ensino Superior foi um dos fatores determinantes para que Amanda continuasse ativa no mercado. Há quatro anos, ela ouviu falar do programa Educa Mais Brasil, que concede bolsas de até 70% para educação em diversos níveis: do ensino infantil à pós-graduação. Na época, ela trabalhava como auxiliar administrativa de uma empresa em Camaçari, na Bahia, onde mora, e os horários não permitiam que ela se dedicasse a uma faculdade. Com a ajuda do Educa Mais, optou pelo curso de Administração no formato EAD (Ensino a Distância).

Menos de 30 dias depois de ter feito a inscrição no site do programa, recebeu a notícia de que tinha sido contemplada com a bolsa. “Não tive nenhum tipo de problema ou desgaste, o que normalmente a gente sempre acha que vai ter. O Educa Mais Brasil foi 100% a alavanca para que eu começasse minha graduação. Sem o Educa, provavelmente eu teria protelado por mais tempo, até ter estabilidade financeira”, conta Amanda.

Ela começou a faculdade em 2013 e se formou em agosto de 2016. No fim daquele ano, foi desligada da empresa. Mas o obstáculo não atrapalhou os planos da agora administradora, que já está empregada em outra empresa da região e só pensa em continuar a crescer. “Todo mundo sonha com o reconhecimento no que faz. Tenho 6 meses de empresa, mas é um lugar onde já venho crescendo, já fui transferida de um setor para outro. Quero continuar buscando e demonstrando capacidade”, comemora.

Os planos para o futuro? Fazer uma pós-graduação na área, também com auxílio do Educa Mais Brasil, parceria que ela considera fundamental para realizar seus novos sonhos profissionais. “Gosto do que faço e quero me aprofundar cada vez mais”, afirma. Para quem sonha com mais educação, é só acessar o site educamaisbrasil.com.br e escolher uma das 18 mil instituições de ensino em todo o país.

Amanda, no dia da graduação em Administração, que cursou com o auxílio do programa Educa Mais Brasil (Foto: Divulgação)
 Educa Mais
Fonte: G1.com

 

Chile e Peru aguardam o Papa: paz e esperança

A redação brasileira do Vatican News irá acompanhar, ao vivo, com reportagens, transmissões e crônicas, todas as atividades do Papa Francisco.

Serão no total 21 discursos com seis homilias e quatro saudações. Dessa maneira o Papa Francisco irá se comunicar com os fiéis do Chile e do Peru durante a sua primeira viagem Apostólica neste 2018. Na próxima segunda-feira, dia 15 Francisco pega o seu cajado de Mensageiro da Esperança e dá inicio à sua 22º Viagem Apostólica Internacional que o levará novamente à América Latina.

Uma viagem intensa e rica de encontros.
Nestes dois países se sentirá um pouco em casa: Bergoglio já esteve nestas duas nações quando sacerdote e arcebispo de Buenos Aires. O Chile recebe pela segunda vez um Pontífice na sua história; recebeu João Paulo II em 1987, enquanto para o Peru será a terceira vez. Uma viagem pastoral, de 15 a 22 de janeiro.

“Creio que não será uma viagem simples, mas será realmente uma viagem muito interessante” disse o Card. Parolin a Vatican News. O Papa vai como pastor universal da Igreja para encontrar Igrejas locais; naturalmente, Igrejas que são particularmente vivas, particularmente ativas como a Igreja no Chile, como a Igreja no Peru e que, por outro lado, encontram-se também enfrentando numerosos desafios diante da realidade do mundo de hoje.

Os desafios são muitos! O cardeal Parolin acenou para dois, particularmente, que o Papa tem muito a peito. O primeiro é o desafio da população indígena. Outro tema muito sentido pelo Papa e sobre o qual tem sempre voltado com palavras inclusive muito incisivas é o da corrupção, que impede o desenvolvimento e também a superação da pobreza e da miséria.

Portanto, uma viagem que abraça questões várias, sejam religiosas, sejam sociais, sejam políticas. A imprensa latino-americana chama também a atenção para o tema dos abusos sexuais. Tanto no Peru como no Chile as revelações sobre abusos sexuais envolvendo sacerdotes católicos estão no centro da atualidade.

A 22ª viagem apostólica internacional do Papa Francisco “terá um propósito pastoral acima de tudo” e se concentrará em temas como “paz, unidade, esperança”, unidos “à alegria do Evangelho”, como indicou o Santo Padre na sua mensagem em vídeo enviada às populações dos dois países na véspera da sua partida. “Venho até vocês como peregrino da alegria do Evangelho, para compartilhar com todos a paz do Senhor e confirmá-los na mesma esperança. Paz e esperança compartilhadas entre todos”, disse.

Um programa intenso e rico de encontros. O Papa Francisco visitará entre os dias 15 e 18 as cidades de Santiago, Temuco e Iquique, no Chile, e no Peru de 18 a 21 as cidades de Lima, Puerto Maldonado e Trujillo.

Entre os momentos salientes da viagem ao Chile, mencionamos o encontro com as populações mapuche chilenas e, em particular, a Missa que o Papa celebrará em Temuco, na quarta-feira, dia 17 de janeiro, para os povos indígenas da região. Será uma missa muito animada, com cantos e danças indígenas locais. O Papa também almoça em privado com oito membros da comunidade Mapuche.

Já no Peru, um dos principais encontros será em Puerto Maldonado. Ali o Papa Francisco, pela primeira vez, entrará em contato com as comunidades da Amazônia. O Santo Padre almoça com representantes das comunidades indígenas amazônicas, serão nove.

Um encontro que, junto com aquele com cerca de 3.500 indígenas no Ginásio de esporte Coliseo Madre de Dios no Chile, será também fundamental para a preparação do Sínodo Especial para a região Pan-amazônica convocado pelo Papa para outubro de 2019. Pode-se dizer que o encontro em Puerto Maldonado será um primeiro encontro do Sínodo, também porque estará presente o cardeal Baldisseri, que é o secretário-geral do Sínodo dos Bispos. Na Amazônia, o Papa Francisco entregará várias cópias da encíclica “Laudato Si” na língua local.

O Papa, como fez tantas vezes no passado, quer conversar com os povos indígenas, quer mostrar respeito por eles, precisamente ali, onde se encontram. Ao mesmo tempo, há o tema do respeito pelos povos e também pela Criação. Então, há também uma ligação com a encíclica “Laudato si”. Uma ocasião para reafirmar que podemos aprender muito das populações indígenas, sobretudo no que diz respeito à relação com a natureza.

Tanto no Chile quanto no Peru, o Papa Francisco se encontrará com sacerdotes jesuítas. No Peru, os jesuítas celebram os 450 anos de presença no país.

Francisco cruza novamente o Oceâno Atlântico para confirmar na fé povos de duas nações. Vai até eles para lançar sementes de esperança com a alegria do Evangelho. Será um novo impulso para a espiritualidade desses povos que buscam no seu dia a dia a dignidade de filhos de Deus.

Por Silvonei José – Vatican News 

 

Violência contra o povo e a Igreja marca 2017, diz cardeal

“Igrejas vandalizadas, saqueadas ou queimadas. Fiéis martirizados. O balanço do ano passado é alarmante”, constata o arcebispo de Bangui, Dom Dieudonné Nzapalainga, que afirma manter a “fé na bondade do Senhor em relação a nós, como o Papa Francisco tanto nos recordou durante sua permanência em Bangui”.

“Para onde estamos indo? Em que se transformará o povo da República Centro Africana em 2018?”.

Foi o que perguntou o arcebispo de Bangui, cardeal Dieudonné Nzapalainga, ao abrir a Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Centro-africana, em andamento em Bangui, capital do país, de 8 a 14 de janeiro.

Durante o encontro, os bispos debaterão questões como segurança, educação e saúde.

2017, um “ano infeliz”

Ao fazer um balanço do ano recém concluído – refere a Agência Fides – o purpurado sublinhou que 2017 foi “um ano infeliz, que viu o assassinato e a agressão de muitos servos de Deus em Bangui, mas sobretudo em nossas Províncias: Banguassou, Alindao, Mokoyo, entre outras”.

“Igrejas vandalizadas, saqueadas ou queimadas. Fiéis martirizados. O balanço do ano passado é alarmante – disse o purpurado. Mas temos fé na bondade do Senhor em relação a nós, como o Papa Francisco tanto nos recordou durante sua permanência em Bangui”.

Situação no país continua a deteriorar-se

A situação nas diversas regiões da República Centro Africana continua a deteriorar-se. Entre as áreas mais atingidas pela presença de grupos armados, está Paoua, nordeste do país, fronteira com a República dos Camarões, onde em 27 de dezembro foram registrados violentos combates entre os membros da RJ (Révolution Justice) e do Mouvement pour la Libération de la Centrafrique (Mnlc).

Ao menos 30 mil pessoas buscaram refúgio em Paoua, fugindo dos vilarejos nos arredores, por causa das violências indiscriminadas cometidas contra a população civil por guerrilheiros de ambas as facções.

Por Vatican News 

 

Missão Continental: abandonado à própria sorte, povo se apega a Deus

Na sua solidão e no seu abandono, o povo se apega a Deus. É uma “maneira muito espiritual que o povo tem para enfrentar tanto sofrimento”, afirma Dom Sebastião Bandeira.

Amigo ouvinte, a edição de hoje do quadro semanal “O Brasil na Missão Continental” conclui a participação do bispo da Diocese de Coroatá, Dom Sebastião Bandeira Coêlho, que esteve conosco estes dias neste espaço de formação e aprofundamento.

Apresentando-nos esta Igreja particular maranhense situada na Região dos Cocais, pertencente à Amazônia Legal, nosso convidado traçou-nos nas edições precedentes o perfil de uma diocese em estado permanente de saída missionária, no signo da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, “a qual veio nos acordar para a consciência missionária”, destacou.

Esforço da Igreja para que ninguém se sinta esquecido ou abandonado

Tendo abraçado plenamente a “Missão Continental” proposta pela Conferência de Aparecida e tendo assumido concretamente o compromisso de testemunhar Jesus Cristo em todos os lugares da sociedade, afirmara precedentemente o bispo de Coroatá, “esta Igreja particular esforça-se para que ninguém se sinta esquecido ou abandonado”, num contexto em que o povo “se sente muito abandonado pelo Estado, pelas autoridades”, ressaltara.

Pois bem, na edição de hoje em suas considerações finais Dom Sebastião retoma essa questão para afirmar que “no mundo nosso onde os políticos estão decepcionando, onde a saúde é precária, há pouca assistência médica, onde a justiça não age, o povo na sua solidão e no seu abandono se apega a Deus”. Ele diz tratar-se de uma “maneira muito espiritual que o povo tem para enfrentar tanto sofrimento”.

Vamos ouvir:

Raimundo de Lima – Vatican News