Há irmãos que levam o outro para onde querem, mas precisamos ser aqueles que levam a graça de Deus para o irmão

“Quando Jesus andava à beira do mar da Galileia, viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro,e seu irmão André” (Mateus 4,18). 

Hoje, celebramos o apóstolo Santo André. André poderia até ter ficado escondido, porque pouco se fala ou se faz referência a ele. Sabemos que era um apóstolo querido e amado pelo Senhor, e talvez lembremos dele porque é irmão de Simão Pedro. Alguns podem pensar: “Ele é mais importante? É irmão de tal. É filho de fulano (…)”; essas são as referências genéricas que nós fazemos. Mas quem é André? É o irmão de Simão Pedro. Veja, André foi um apóstolo fundamental e essencial. Cada apóstolo têm a sua importância, assim como cada um de nós temos a nossa importância.

O Pedro que nós conhecemos, o chefe da Igreja, o primeiro papa, o discípulo primeiro de Jesus. Todas as coisas que Jesus iria realizar, Ele fazia referência a Pedro. É Pedro, Tiago e João que estavam mais próximos de Jesus, é Pedro quem vai chefiar a Igreja de Jesus, a Igreja Primitiva, mas foi o irmão dele que o levou a seguir Jesus. Na narração do Evangelho encontramos isso de forma tão explícita: “Encontramos o Messias”. É André quem vai levar o seu irmão para ser seguidor de Jesus. André é o irmão companheiro, é o irmão que leva a graça de Deus para o outro.

Há irmãos que nos levam para tantos cantos da vida; que levam o outro para beber, para jogar; há irmãos que levam o outro para onde quiserem, entretanto, precisamos ser aqueles que, levam a graça de Deus para o irmão. É preciso ser o irmão, mas não o irmão como Caim, que matou seu irmão Abel. Não podemos ser indiferentes ao irmão, aqui me refiro até ao irmão de sangue, filho do mesmo pai e da mesma mãe. André era irmão de Simão Pedro e levou o seu irmão para que conhecesse Jesus. Você já levou a graça de Jesus para os seus irmãos? Não faça isso querendo forçar ou obrigar.

Faça isso com a ternura de André, porque ele não tinha aquele ímpeto, aquele sentimento forte como tinha Pedro, mas tinha a docilidade. Ele era aquele apóstolo, aquele homem, com o temperamento manso era reflexivo. Pedro já era mais agitado. O fato de ser mais sereno ajudou o outro a encontrar o Senhor. Ainda que, o nosso temperamento não seja como o de André, mesmo assim, que encontremos na serenidade, na calma, na sabedoria, o caminho para encaminhar os nossos para seguir Jesus. 

Deus abençoe você! Por Padre Roger Araújo – Sacerdote da Comunidade Canção Nova.

Anúncios

1 Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s