Documentário: Carta do Papa“Laudato si, sobre o cuidado da casa comum.

“Laudato si – sobre o cuidado da casa comum”, apresenta texto que trata da ecologia humana. O clima está no centro das preocupações apresentadas pelo pontífice.  São indicadas, também, as problemáticas e desafios de preservação e prevenção e, ainda, os aspectos da criação à proteção, e questões como a fome no mundo, pobreza, globalização e escassez.

Este é o primeiro documento escrito integralmente pelo pontífice, que buscou inspiração nas meditações de São Francisco de Assis, patrono dos animais e do meio ambiente. Em 2013, no início do seu pontificado, o primeiro documento publicado por Francisco foi “Lumen Fidei”, que já tinha sido iniciado pelo papa emérito Bento XVI.

laudato si

Francisco disse que a Terra tem sido maltratada e saqueada. “Esta nossa ‘casa’ está sendo arruinada e isso prejudica a todos, especialmente os mais pobres. Portanto, o meu apelo é à responsabilidade, com base na tarefa que Deus deu ao ser humano na criação: ‘cultivar e preservar’ o ‘jardim’ em que ele o colocou. Convido todos a acolher com ânimo aberto este Documento, que está em sintonia com a Doutrina Social da Igreja”.

A Encíclica foi inspirado na invocação de São Francisco  “Louvado sejas, meu Senhor”, que no Cântico das Criaturas recorda que a terra pode ser comparada com uma irmã e uma mãe.

A nova Encíclica é composta por seis capítulos, são eles: “O que está a acontecer à nossa casa”, “O Evangelho da criação”, “A raiz humana da crise ecológica”, “Uma ecologia integral”, “Algumas linhas de orientação e ação” e “Educação e espiritualidade ecológicas”.

Ao longo do texto, o papa convida a ouvir os gemidos da criação, exortando todos a uma “conversão ecológica”, a “mudar de rumo”, assumindo a responsabilidade de um compromisso para o “cuidado da casa comum”.

“Deus, que nos chama a uma generosa entrega e a oferecer-Lhe tudo, também nos dá as forças e a luz de que necessitamos para prosseguir. No coração deste mundo, permanece presente o Senhor da vida que tanto nos ama. Não nos abandona, não nos deixa sozinhos, porque Se uniu definitivamente à nossa terra e o seu amor sempre nos leva a encontrar novos caminhos. Que Ele seja louvado!”, disse Francisco ao final da Encílica.

Informações: CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil)

Portal Terra de Santa Cruz – Boa Nova Web Rádio – A serviço da Evangelização

Anúncios

Festa do Padroeiro: Paroquianos de Seritinga/MG celebram São João Batista

Festa de São João Batista padroeiro da cidade e paróquia de Seritinga/MG.

O dia começo às 05hs da manhã  com a alvorada festiva anunciando que era dia de festa, dia do padroeiro maior. A alvorada contou com a apresentação da  Corporação musical São João Batista, que desfilou pelas ruas da cidade.  As 10hs da manhã foi celebrada  a primeira missa do dia, presidida por Dom Diamantino Prata de Carvalho, bispo Emérito da Diocese da Campanha/MG. Esta celebração matinal tem como tradição a descida da Imagem de São João Batista, que sai de seu trono para ser venerado de perto por seus fiéis devotos.  A Santa missa foi concelebrada pelos padres  Dehon Vicente Ferreira da paróquia de Cruzília/MG, Padre Rafael Neves que é natural de Serrano/MG com atuação em Juiz de Fora/MG e pelo Padre Geraldo Ernesto da Silva, Pároco de Seritinga/MG

Na descida da imagem, ocorreu a execução do hino de São João Batista e o hino Nacional Brasileiro pela corporação musical São João B.  A Imagem foi incensada por Dom Diamantino que em seguida realizou a oração do padroeiro . Após a celebração, as crianças da catequese realizaram a tradicional dança do mastro de São João no adro da Igreja Matriz . (Mastro esse que foi levantado no dia 13 de Junho no primeiro dia da novena do padroeiro)

As 18hs deu-se início a Santa Missa Pontifical,  presidia por Dom Pedro Cunha Cruz, bispo titular da Santa Sé Episcopal Campanhense. A solene celebração foi  concelebrada pelo Padre Geraldo Ernesto da Silva, pároco local contando com a participação dos romeiros e paroquianos que lotaram a igreja e rezaram pedindo a intercessão de São João Batista. Ao final da celebração Dom Pedro realizou a oração de São João Batista, em seguida incensou a imagem e proferiu a bênção final.

Após a missa, padre Geraldo deu início a solene procissão com a Imagem do patrono paroquial,  passando pelas principais ruas da cidade de Seritinga e parando na metade do caminho para bênção da Fogueira de São João que foi abençoada, incensada e acesa pelo Pároco. A procissão seguiu novamente para a praça de Nossa Senhora Das Graças , que fica em frente a matriz, onde os fiéis e devotos do santo,  assistiram a tradicional queima de fogos com as canções entoadas pela Corporação Musical de São João B.

Terminado os fogos,  o tradicional foguete de cascata foi lançado a porta da Matriz exibindo uma imagem do padroeiro.  Encerrando o dia festivo, entronizaram o andor com a Imagem de São João Batista na Matriz para a veneração do fiéis, devotos e romeiros.

Os paroquianos de Seritinga/MG mais uma vez celebraram com piedade e devoção a novena e festa de seu padroeiro maior, seguindo a tradição de anos em honra a São João Batista .

Escrito por Bruno Henrique Santos/Gestor do Portal Terra de Santa Cruz

Com Informações e colaboração de Iago Almeida/Seritinga-MG

Fotos acima: Jornal Panorama!

Fotos de Nilcéia de Fátima / Seritinga-MG

Portal Terra de Santa Cruz – Boa Nova Web Rádio – A SERVIÇO DA EVANGELIZAÇÃO

Pedro e Paulo, colunas e luzes que brilham no coração dos fiéis do Oriente e Ocidente

Após presidir na Basílica de São Pedro a missa pela Solenidade dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, o Papa Francisco assomou à janela do apartamento pontifício para rezar o Angelus com os milhares de fiéis reunidos na Praça São Pedro.

Sua alocução, que precede a oração, foi toda dedicada aos dois Apóstolos, cuja fé é o fundamento “da Igreja de Roma, que sempre os venerou como padroeiros”. Todavia – observa o Santo Padre – é “toda a Igreja universal que olha para eles com admiração, considerando-os como duas colunas e duas grandes luzes que brilham não somente no céu de Roma, mas no coração dos fieis do Oriente e do ocidente.

“Se aqui em Roma conhecemos Jesus – explicou o Papa – e se a fé cristã é parte viva e fundamental do patrimônio espiritual e da cultura deste território, isto se deve à coragem apostólica destes dois filhos do Oriente próximo”.

“Se aqui em Roma conhecemos Jesus isto se deve à coragem apostólica destes dois filhos do Oriente próximo” Papa Francisco

Pedro e Paulo
Estes dois homens “que eram diferentes um do outro: Pedro um “humilde pescador” e Paulo “mestre e doutor”, foram enviados a Roma para pregar o Evangelho:

“Eles, por amor à Cristo, deixaram sua pátria e, independentemente das dificuldades da longa viagem e dos riscos e das suspeitas que encontrariam, desembarcaram em Roma. Aqui eles se tornaram anunciadores e testemunhas do Evangelho entre as pessoas, selando com o martírio a sua missão de fé e caridade”.

E este fato ocorrido nos primórdios do cristianismo, é trazido por Francisco para os tempos atuais:

“Pedro e Paulo hoje retornam idealmente entre nós, percorrendo novamente as ruas desta cidade, batendo na porta de nossas casas, mas acima de tudo dos nossos corações. Eles querem trazer mais uma vez Jesus, o seu amor misericordioso, a sua consolação, a sua paz. Acolhamos a mensagem deles! Façamos tesouro de seu testemunho! A fé firme e sincera de Pedro, o coração grande e universal de Paulo, nos ajudarão a ser alegres cristãos, fiéis ao Evangelho e abertos ao encontro com todos”.

Novos arcebispos

Francisco voltou-se então para a cerimônia por ele presidida esta manhã na Basílica vaticana onde abençoou os Pálios dos Arcebispos Metropolitas nomeados no últimos ano, vindos de diversos países:

“Renovo a minha saudação e o meu augúrio a eles, aos familiares e àqueles que os acompanham nesta peregrinação. Os encorajo a prosseguir com alegria a sua missão a serviço do Evangelho, em comunhão com toda a Igreja e especialmente com a Sé de Pedro, como expressa precisamente o sinal do Pálio”.

Por fim, o Pontífice recordou a presença na mesma cerimônia dos Membros da Delegação vinda a Roma em nome do Patriarca Ecumênico, “o caríssimo irmão Bartolomeu”:

“Também esta presença é sinal das fraternas ligações existentes entre as nossas Igrejas. Rezemos para que se fortaleçam sempre mais os vínculos de comunhão e o testemunho comum”.

Ao concluir, o Papa Francisco confiou a Salus Populi Romani “o mundo inteiro e em particular esta cidade de Roma, para que possa encontrar sempre nos valores espirituais e morais de que é rica o fundamento da sua vida social e da sua missão na Itália, na Europa e no mundo”.

Por Rádio Vaticano 

Adaptação: Portal terra de Santa Cruz – Boa Nova Web Rádio – A SERVIÇO DA EVANGELIZAÇÃO

Deus retira todo medo de nosso coração

Os medos são verdadeiros fantasmas que nos assustam, que tiram nossa paz interior e nos deixam viver em falsas seguranças na vida

Por que tendes tanto medo, homens fracos na fé? Então, levantando-se, ameaçou os ventos e o mar, e fez-se uma grande calmaria” (Mateus 8, 26).

Jesus está nos mostrando, hoje, diante desse acontecimento, no mar onde Seus discípulos da barca começaram a ficar apavorados, que o medo é uma grande tempestade que vai nos apavorar durante a nossa vida. As crianças têm medo, os jovens têm medo, nós adultos também temos medos.

imagens blog 1 861.jpg

Os medos são verdadeiros fantasmas que nos assustam, que tiram nossa paz interior e nos deixam viver falsas seguranças na vida, quando, na verdade, a fé é o remédio de que precisamos, a cada dia, para vencer a tempestade do medo.

Ninguém vive sem ter medo, mas não podemos viver a partir dele. Existem medos que tomam conta de nós, apavoram a nossa vida, tiram nossa paz interior e não nos deixam ir para frente. Existem medos que são verdadeiros monstros dentro de nós e que, muitas vezes, são alimentamos por nós; e deixamos que cresçam e nos apavorem.

Não podemos seguir Jesus por causa de nossos medos; precisamos segui-Lo e n’Ele vencer os medos que há em nós, a cada dia ter a coragem de enfrentar esses monstros e deixá-los no lugar deles.

Como vamos fazer isso? Não fazemos, mas permitimos que Deus faça, permitimos que Ele vença, a cada dia, os nossos medos. Se podemos entender fé como entrega, não existe maior entrega do que dar a Deus nossas inseguranças e incertezas.

Isso não significa que quem segue Deus vai saber de tudo, vai ter segurança em tudo. Não! Mas tem convicção de onde colocou o seu coração e sua confiança!

Hoje, Jesus quer acalmar aquilo que dentro de nós está agitado. A Palavra de Deus vem ao nosso encontro para trazer calmaria às agitações que cresceram dentro de nós, às inseguranças que gritam dentro do nosso coração, aos medos e fantasmas que andam perturbando a nossa mente e alma.

Que a paz do coração de Deus acalme todos os medos do nosso coração!

Deus abençoe você!

Por Pe. Roger Araújo – Comunidade Canção Nova 

Adaptação: Portal Terra de Santa Cruz