Bispo da República Centro-africana comenta sobre segurança do Papa Francisco no país e como visita do Pontífice pode auxiliar no processo de paz

Viagem do Papa leva esperança de paz aos centro-africanos

A Igreja Católica na República Centro-Africana aguarda com grande expectativa a chegada do Papa Francisco. O Pontífice chegará à capital do país, Bangui, no próximo domingo, 29, por volta das 10h (horário local – 7h em Brasília).

Uma das grandes preocupações é quanto à segurança do Santo Padre, devido aos recentes conflitos na região. Segundo o vice-presidente da Comissão Episcopal Centro-africana, Dom Nestor Désiré Nongo Aziagbia, a insegurança continua sendo um grande desafio, porém ele confia que as forças internacionais serão capazes de garantir a segurança do Pontífice. “Eles vão tomar as medidas adequadas para garantir que esta visita apostólica seja um sucesso”, afirmou.

Dom-Nestor-Désiré

Dom Nestor Désiré Nongo Aziagbia, vice-presidente da Comissão Episcopal Centro-africana e bispo da diocese de Bossangoa da arquidiocese de Bangui / Foto: Claude Truong-Ngoc – Wikimedia Commons

Além da preparação do local, os centro-africanos se preparam espiritualmente para receber o Santo Padre, com uma oração, composta pela conferência episcopal, um programa catequético e um tríduo, realizado nesta semana que antecede a visita.

Entre os compromissos de Francisco no país, estão a visita à Presidente de transição, Catherine Samba Panza, a um campo de refugiados e a abertura da primeira Porta Santa do Jubileu da Misericórdia, na Catedral de Bangui.

O Papa permanece na República Centro-africana até segunda-feira, dia em que se encontrará com a Comunidade muçulmana na Mesquita Central de Koudoukou e presidirá uma Missa no Estádio do Complexo esportivo Barthélémy Boganda.

Em entrevista ao site noticias.cancaonova.com, Dom Aziagbia, também bispo da diocese de Bossangoa da arquidiocese de Bangui, explica ainda como a visita do Santo Padre pode ajudar no processo de paz. Confira:

Como a Igreja está se preparando para a visita do Papa?

Dom Aziagbia: O Papa, sendo um líder espiritual, a Igreja local se prepara espiritualmente para recebê-lo. A Conferência Episcopal compôs uma oração que é recitada todos os dias pelos fiéis.

Além disso, foi lançado um programa catequético de rádio. Este programa é construído em torno da igreja primitiva, ministérios e autoridade na Igreja, o Papa, as viagens apostólicas do Santo Padre e da Igreja Católica na República Centro-Africana (RCA). Tudo isso é para ajudar os fiéis na apropriação de sua fé, para melhor cumprir a sua missão no mundo de hoje.

Está previsto um tríduo de oração na última semana antes da chegada do Santo Padre. No entanto, a dimensão material e logística não foi esquecida, e estamos bem adiantados.

noticias.cancaonova.com: Qual é a esperança das pessoas com a visita do Pontífice?

Dom Aziagbia: No contexto do bloqueio, na resolução pacífica desta crise que continua a fazer vítimas inocentes, as pessoas da RCA têm grandes esperanças nesta visita pastoral. Vemos o fator catalisador nessa visita para a criação de confiança dos centro-africanos, para a criação de um clima sereno de diálogo. Estamos confiantes de que, pelas suas exortações, o Santo Padre recolocará os centro-africanos e centro-africanas no caminho da coesão social e do respeito mútuo dentro da justiça e da verdade.

noticias.cancaonova.com: A imprensa mundial fala da violência no país, portanto, como estão preparando a segurança do Papa? Há um perigo iminente?

Dom Aziagbia: A insegurança continua sendo um grande desafio. Os eventos recentes do final de setembro e final de outubro em Bangui destacam a precariedade em que está mergulhada uma grande parte da população centro-africana. Vendo os acontecimentos que tiveram lugar nas cidades de Sibut e Batangafo, continuo confiante de que as forças internacionais que se encarregam da segurança do povo centro-africano são capazes de garantir a segurança do Papa. Então, eles vão tomar as medidas adequadas para garantir que esta visita apostólica seja um sucesso.

noticias.cancaonova.com: Sobre a paz na região, como é que a visita do Papa poderia ajudar nesse ponto?

Dom Aziagbia: A paz é uma disposição interior que leva os irmãos a olharem na mesma direção, para se falarem, para se perdoarem.

Enquanto houver déficit destes princípios básicos sob um fundo de conflitos de interesses, infelizmente, isso levará à conflitos.

Espero que os diferentes atores como os fiéis, os homens e mulheres de boa vontade aceitem se recolocarem na causa, escutando as interpelações do Santo Padre e resolutamente se comprometam a tornarem-se construtores da paz.

noticias.cancaonova.com: Qual é a importância desta visita para a sociedade centro-africana?

Dom Aziagbia: A visita do Papa coloca os centro-africanos de frente com as suas responsabilidades, face a sua história. Este é um lembrete para estarem mais envolvidos na busca de soluções para saírem da crise. Além disso, também seria uma interpelação aos amigos que vieram da comunidade internacional para a cabeceira da RCA para nos ajudar, em conformidade com o mandato que receberam.

noticias.cancaonova.com: O que se espera que possa acontecer ou mudar no país após a visita do Papa?

Dom Aziagbia: Esperamos que, com a visita do Papa, os centro-africanos sejam desafiados a levarem a sério seus papéis na resolução desta crise que continua a penalizar tantas famílias a cada dia. Este pode ser o início da renovação social e política na República Centro-Africana.

Por Cícero Lemes  CN

Fonte: noticias.cancaonova.com

Adaptação: Portal Terra de Santa Cruz

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s