Padre Marcelo Rossi – Um Pouco da sua História e de sua depressão e anorexia vencida pela graça de Deus.

Sr. Marcelo Mendonça Rossi, ou, como todos conhecemos, Padre Marcelo Rossi.  Polêmico para alguns e perfeito para outros, uma coisa é inegável: o Padre Marcelo Rossi é, atualmente, um dos maiores ícones da Igreja Católica no Brasil. Responsável por atrair multidões por onde passa e por propagar a fé, o nosso querido Padre, com seu jeito peculiar de ser, é , sem dúvidas, uma das razões da Igreja Católica continuar atraindo fiéis no Brasil.

Nascido em família humilde, foi criado junto com duas irmãs (Monica e Marta). Aos 16 anos se distanciou da Igreja, voltando a frequentá-la 5 anos depois, quando seu primo morreu em um acidente e, ao mesmo tempo, descobriu que sua tia estava com um tumor maligno. Aos 23 anos, inspirado da vida do Papa João Paulo II, passou a se dedicar ao sacerdócio, tendo feito faculdade de filosofia e teologia. Padre Marcelo Rossi

Um detalhe que muita gente não sabe é que não foi apenas o Papa que o influenciou na decisão de seguir o sacerdócio. Outra figura que teve papel fundamental nisso foi outro ídolo nosso, Ayrton Senna. Revela Padre Marcelo que, ao ver o piloto agradecendo a Deus por suas vitórias, percebeu que tinha que se dedicar mais a Deus e a religião como um todo.

Foi ordenado padre em dezembro de 1994. A forma com que pregava a palavra de Deus, aliado a sua habilidade em se comunicar com as pessoas, fez com que Padre Marcelo Rossi fosse idolatrado e seguido pelos fiéis aonde quer que fosse. A Paróquia em que rezava suas missas, rapidamente, ficou pequena e não comportava mais o número de pessoas que queriam ouvi-lo.

Sua ascensão foi tão grande, que passou a ter um programa diário na Rádio Globo, além de celebrar missas pela TV Globo e Rede Vida.

Apenas para demonstrar o quão rápida foi a ascensão do nosso Padre, em 1997 (apenas 3 anos após ter sido ordenado padre), celebrou uma missa para mais de 70 mil pessoas no estádio do Morumbi.

A grande pergunta: ao que se deve a fama de Padre Marcelo Rossi? Como ele ficou conhecido tão rapidamente?

Uma das maiores virtudes do Padre Marcelo é a facilidade com que transmite a palavra de Deus para os fiéis. Mais do que isso. Padre Marcelo sempre se preocupou em transmitir os ensinamentos da Igreja de maneira fácil e moderna, facilitando assim o aprendizado das lições da bíblia.

Nesse contexto, Padre Marcelo lançou vários CDs (mais de 11 milhões vendidos ao longo de sua carreira) e é considerado o maior fenômeno artístico cristão da América Latina.

É exatamente por esta razão – a facilidade em transmitir a palavra de Deus – que Padre Marcelo Rossi se tornou famoso tão rápido.

Padre Marcelo Rossi investigado pelo Vaticano

Para quem não sabe, Padre Marcelo foi investigado pelo Vaticano, durante 10 anos, em virtude de uma denúncia realizada por um religioso brasileiro, que acusou o padre de ser exibicionista demais e de desvirtuar as práticas católicas, transformando a missa em “circo”.

A investigação não deu em absolutamente nada e, como todo mundo sabe, nosso Padre continuou e continua, da sua forma, cativando milhares de fiéis por onde passa.


A depressão e anorexia do Padre Marcelo Rossi

Recentemente o Padre Marcelo passou por um quadro de depressão e anorexia. Sobre este fato, o Padre afirma que “É o mal do mundo globalizado. Querendo ou não, a gente recebe muita informação e não sabe como lidar com ela. E as pessoas estão se isolando. E foi o que começou a acontecer comigo.”

Para nossa alegria, o Padre está bem melhor e atribui isso, sobretudo, à sua mãe e à Igreja.

Sobre a depressão, o Padre Marcelo aconselha o seguinte:

  •  “Café da manhã, almoço e jantar são sagrados, procure evitar comer sozinho. Coma sempre com a família, amigos, e nunca assistindo à televisão, pois assim acaba comendo errado.”
  •  “Busque a oração individual em solidão (não isolamento) e na igreja.”
  •  “Faça ginástica. Caminhe rápido por pelo menos 45 minutos. Isso provoca a liberação do hormônio do bem-estar, a endorfina. É melhor do que comer chocolate, porque não engorda.”
  •  “Você tem que ter um tempo para viajar de férias por pelo menos 15 dias por ano, e sem sentir culpa. Só no décimo dia é que a gente se desliga das preocupações rotineiras.”
  • “Não deixe de dormir pelo menos oito horas por noite. A falta de sono acaba com qualquer um.”

Uma breve oração do nosso Padre Marcelo Rossi

Fonte: Orações Poderosas 

Adaptação Portal Terra de Santa Cruz 

O que os pais católicos devem pensar sobre o caso de crianças transgêneros?

No domingo (20/09/2015), um programa de Televisão exibiu um documentário sobre crianças e jovens “transgêneros”, levantando a questão de como deveriam ser educados. Com isso, muitas perguntas chegaram até nós. 

Ainda embrião, os Teus olhos me viram, e tudo estava escrito em Teu livro… (Sl 138).

Foto/Reprodução: http://www.google.com.br

Em tempos de luta contra a implementação da perigosa “Ideologia de Gênero” em nossas famílias, em nossa sociedade, é preciso entender com clareza o que é essa ideologia, qual o seu objetivo, para também compreendermos outros problemas que deverão nos ser apresentados de agora em diante pela mídia.

Há uma diferença entre a “ideologia de gênero” e os “transgêneros”. A primeira nega que haja sexo masculino e feminino definido para cada pessoa, e cada um deve “construir” a sua sexualidade dentro de uma vasta diversidade, a partir de suas experiências sociais. A criança transgênero seria aquela que nasce com um corpo masculino, mas com uma alma feminina, e vice-versa. Ou seja, a criança não se reconhece com o próprio sexo ao qual foi criado. É algo realmente preocupante e complexo.

O Catecismo da Igreja ensina que: “Cabe a cada um, homem e mulher, reconhecer e aceitar sua identidade sexual” (n.2333). Portanto, diante do que a Igreja nos ensina, os pais e educadores católicos, devem educar as crianças que tenham tendência homossexual, no sentido de aceitar e se comportar segundo o seu sexo de nascimento. Os pais católicos devem ensinar seus filhos segundo o que nos ensina a Igreja.

Além disso, “ser homem” e “ser mulher” são realidades queridas por Deus em sua igualdade e em sua diferença, um e outro têm uma comum dignidade. Deus cria a alma no momento da concepção da pessoa e de acordo com sua identidade sexual. Dom Fernando Rifan, bispo de Campos, RJ, coloca a seguinte reflexão para rebater a possibilidade da pessoa nascer transgênero: “A perfeita unidade entre a alma e o corpo se desfaz, o corpo tendo um sexo e a alma outro. A harmonia humana é desfeita.”

(Fonte: A ideologia de gênero – Dom Fernando Arêas Rifan, CNBB)

Também há casos, muito raros, de hermafroditas, que nascem fisicamente com órgãos sexuais de homem e de mulher. A orientação da Igreja é que os médicos optem pelo sexo mais acentuado e tratem da criança de modo a definir sua sexualidade preponderante.

Quer entender o que está por trás da Ideologia de Gênero?

A Igreja não entra na discussão das causas de tendência homossexual. No entanto, muitos pesquisadores estudam a questão. Numa entrevista concedida à “Revista Época” (n. 416, 8/05/2006, pp. 86-87); o sociólogo americano John Gagnon, Professor emérito da Universidade do Estado de Nova York, e um dos pioneiros no estudo sobre sexo, afirma que “a orientação sexual não é definida naturalmente, mas sim influenciada pela sociedade”. Ele é um dos mais importantes estudiosos do sexo, e afirma que o desejo sexual, não tem origem nos instintos naturais do ser humano. Ele faz estudos sobre sexo há 40 anos, publicou 12 livros e 100 artigos.

Dr. Gagnon foi um dos primeiros a contrariar a perspectiva defendida pelo sexólogo Alfred Kinsey, que afirmava ser o sexo um instinto natural. Para Gagnon o comportamento sexual é completamente regido por regras sociais. Em seu livro “Uma Interpretação do Desejo”, lançado no Brasil, ele apresenta os seus mais importantes ensaios.

Um estudo a partir de 2 milhões de pessoas, foi realizado nos EUA e mostra que as experiências familiares na infância influenciam fundamentalmente na orientação sexual. É o estudo: “Childhood Family Correlates of Heterosexual and Homosexual Marriages: A National Cohort Study of Two Million Danes,” por Morten Frisch e Anders Hviid, publicado em “Archives of Sexual Behavior”, em 13 de outubro de 2006. Este estudo foi realizado com pessoas nascidas na Dinamarca entre 18 e 49 anos. A Dinamarca foi o primeiro país a legalizar as uniões homossexuais e têm estatísticas completas de uniões do mesmo sexo desde 1989.

“Nosso estudo mostra evidência prospectiva, baseada na população, de que as experiências familiares infantis são determinantes nas decisões de casamentos homossexuais e heterossexuais na vida adulta”, dizem os autores do estudo. Algumas principais correlações encontradas na pesquisa foram as seguintes, publicadas pelo site da Instituição Courage (http://www.couragerc.net/)

Vários especialistas, como o psicólogo holandês Dr. Gehard Van der Aardweg, PhD em psicologia; Dr. Richard P. Fitzgibbons, Médico Psiquiatra; Dr. Edward R. Fields, americano, o espanhol Vallejo Nájera, o prof. Stanton Jones, psicólogo do “Wheaton College”, o psicólogo Mark Yarhouse, diretor do “Instituto para o Estudo da Identidade Sexual” da “Regent University”, nos EUA (http://www.sexualidentityinstitute.org), apontam alguns fatores não genéticos que podem ser responsáveis pela homossexualidade de muitos jovens. (http://www.hli.org; e www.vidahumana.org).

O psicólogo holandês Dr. Gehard Van der Aardweg, PhD em psicologia; que há mais de trinta anos atende homossexuais, em seus livros “A batalha pela normalidade sexual” (Editora Santuário Aparecida) e “Homossexualidade e Esperança” (Ed. Diel, Portugal), afirma que a homossexualidade não é genética e nem hormonal, mas social e educacional. De forma alguma esses pesquisadores sérios podem aceitar que órgão genital do feto se forme antes do cérebro, e que por isso algumas crianças nasçam transgêneros,ou seja, psicologicamente acreditem pertencer ao sexo oposto.

Muitos pesquisadores estão de acordo que a homossexualidade é uma condição adquirida e não genética. Existe uma enorme quantidade de informações por parte de pesquisadores e terapeutas que sugerem fortemente que a homossexualidade é uma condição sócio– psicológica que causa uma pré-disposição homossexual. O mais provável, segundo esses pesquisadores, é que a homossexualidade seja causada por traumas percebidos ou reais, devido a condicionamentos familiares, ambientais, sociais, culturais ou espirituais.

Os psicólogos americanos Masters e Jonhson, especializados em sexualidade, afirmaram em seu livro “Human Sexuality” (Sexualidade Humana) que:

“A teoria genética da homossexualidade tem sido em geral desprezada hoje em dia, e apesar do interesse em possíveis mecanismos hormonais na origem da homossexualidade, nenhum cientista sério hoje sugere que uma simples relação de causa e efeito possa existir”. (pp. 319-320).

A Congregação para a doutrina da Fé, do Vaticano, já publicou vários documentos sobre a homossexualidade, todos evidenciando o caráter imoral da “prática” homossexual, não da tendência: 1 – Persona Humana, de 29/12/1975; Carta aos Bispos da Igreja Católica sobre o Atendimento Pastoral das Pessoas Homossexuais, de 1986 e “Algumas reflexões acerca da resposta a proposta legislativas sobre a não-discriminação das pessoas homossexuais”, de 1992. A Igreja tem o direito de ensinar a seus filhos a lei de Deus sobre este assunto. O Catecismo da Igreja fala do assunto nos números 2357 a 2359.

A homossexualidade se reveste de formas muito variáveis ao longo dos séculos e das culturas. A sua gênese psíquica continua amplamente inexplicada. Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações graves (Gn 19,1-29; Rm 1,24-27; 1Cor 6,9-10; 1Tm 1,10), a tradição sempre declarou que “os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados” (CDF, decl. Persona humana, 8). São contrários à lei natural. Fecham o ato sexual ao dom da vida. Não procedem de uma complementaridade afetiva e sexual verdadeira. Em caso algum podem ser aprovados” (§2357).

A Igreja reconhece que: “Um número não negligenciável de homens e de mulheres apresenta tendências homossexuais profundamente enraizadas. Esta inclinação objetivamente desordenada constitui, para a maioria, uma provação. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á para com eles todo sinal de discriminação injusta. Estas pessoas são chamadas a realizar a vontade de Deus em sua vida, e se forem cristãs, a unir ao sacrifício da cruz do Senhor as dificuldades que podem encontrar por causa de sua condição”. (§2358)

“As pessoas homossexuais são chamadas à castidade. Pelas virtudes de autodomínio, educadores da liberdade interior, às vezes pelo apoio de uma amizade desinteressada, pela oração e pela graça sacramental, podem e devem se aproximar, gradual e resolutamente, da perfeição cristã” (§2359)

Escrito por Professor Felipe Aquino – Blog Canção Nova


Adaptação Portal Terra de Santa Cruz  

Apocalipse 12,7 – Houve uma batalha no céu: Miguel e seus anjos guerrearam contra o Dragão”

Os anjos estão nos servindo e precisamos, na verdade, invocar, buscar o socorro na proteção dos santos anjos, especialmente, estes três que celebramos hoje.

“Houve uma batalha no céu: Miguel e seus anjos guerrearam contra o Dragão” (Apocalipse 12,7)

Nós, hoje, celebramos a Solenidade dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael. Olhando para estes três grandes arcanjos, os maiores na hierarquia angelical, vamos contemplar a importância dos anjos em nossa vida.

Eles foram criados, primeiro, para a glória de Deus, mas também colocados ao nosso serviço. Os anjos estão nos servindo e precisamos, na verdade, invocar, buscar o socorro na proteção dos santos anjos, especialmente, estes três que celebramos hoje.

Miguel é aquele que vence as tentações, as grandes batalhas contra o maligno, contra satanás, contra aquele que se opõe a Deus e às Suas milícias. Miguel é o todo-poderoso, enviado a vencer, para sempre, o inimigo de Deus.

O outro anjo que invocamos, no dia de hoje, é São Rafael, a cura de Deus. Precisamos tanto da intercessão de São Rafael pelas doenças, enfermidades, por tantas epidemias, tantas doenças que se espalham pela face da terra e muitas delas, inclusive, sem cura. Precisamos nos unir ao arcanjo São Rafael, aquele que é a medicina divina, para que alcance do coração de Deus a sabedoria necessária para iluminar os nossos médicos, os nossos pesquisadores, aqueles que se dedicam dia e noite para buscar os recursos necessários, para curar tantas doenças e enfermidades que assolam a humanidade. Nós, hoje, invocamos o poderoso São Rafael para que não nos deixe perecer por tantas doenças, calamidades e enfermidades.

O arcanjo Gabriel, o grande comunicador de Deus, ensina-nos a importância da boa comunicação; é ela quem salva, quem coloca a humanidade no caminho correto. Quanta coisa se perdeu e quantas situações se complicaram por falta de uma verdadeira e boa comunicação! Por isso, nós invocamos a proteção do grande arcanjo São Gabriel para que nos ensine o caminho da boa comunicação.

Deus abençoe você!

Por Padre Roger Araújo – Sacerdote da Comunidade Canção Nova.


Adaptação: Portal Terra de Santa Cruz

 

Novena de São Miguel – Nona e última graça.

Início: Fazer o sinal da cruz

V- Oh! Deus, vinde em meu auxílio.

R- Senhor, apressai-Vos em me socorrer.

Rezar a oração do dia correspondente e as orações finais.

Novena de São Miguel 9

Nona graça:

Enfim, nós vos rogamos, oh! glorioso Chefe, defensor da Igreja militante e triunfante, de vos dignar, juntamente com os Coros dos Anjos, de nos guardar e defender vossos fiéis, as nossas famílias e aqueles que se recomendaram às nossas orações, a fim de que, levando com o vosso socorro uma vida pura, possamos eternamente usufruir da contemplação de Deus, convosco e com todos os Santos Anjos.

Orações Finais:

Oh! Deus todo poderoso e eterno, que para a salvação do gênero humano enviastes, milagrosamente, a Vossa Igreja o Vosso Gloriosíssimo Príncipe, o Arcanjo São Miguel, concedei-nos o seu socorro salutar e a sua ajuda eficaz contra todos os nossos inimigos, a fim de que, nossa partida deste mundo, obtenhamos de comparecer à presença de Vossa Divina e Santa Majestade.

Por Jesus Cristo, nosso Senhor.Amém.

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate, para que não pereçamos no dia do Juízo.

Em seguida reza-se: Um Pai-Nosso a São Miguel, um Pai-Nosso à São Gabriel, um Pai-Nosso à São Rafael e um Pai-Nosso ao nosso Anjo da Guarda.

Pequena novena a São Miguel Arcanjo para obter graças

Glorioso São Miguel Arcanjo, o primeiro entre os Anjos de Deus, guarda e protetor da Igreja Católica, lembrando de que Nosso Senhor vos confiou a missão de velar pelo seu povo, em marcha para a vida eterna, mas rodeado de tantos perigos e ciladas do dragão infernal, eis me prostrado a vossos pés, para implorar confiantemente o vosso auxílio, pois não há necessidade alguma em que não possais valer.

Sabeis a angústia porque passa a minha alma.

Ide junto a Maria, nossa Mãe muito amada, ide a Jesus e dizei-lhe uma palavra em meu favor, pois sei que eles nada vos podem recusar.

Intercedei pela salvação da minha alma e, também agora, por aquilo que tanto me preocupa.

(Dizer, como quem conversa, o que desejamos).

E se o que peço não é para glória de Deus e bem da minha alma, obtende-me paciência e que eu me conforme com a vontade divina, pois sabeis o que é mais do agrado de Nosso Senhor e Pai.

Em nome de Jesus, Maria e José, atendei-me.Amém.

Rezam-se nove glórias em ação de graças por todos os dons concedidos por Deus a São Miguel, e aos Nove coros de Anjos.

Por Portal Terra de Santa Cruz